Tempestades em Portugal (Lista das xx maiores)

A lista das XX maiores tempestades em Portugal, em particular as tempestades tropicais ou furacões e as suas consequèncias…

Este artigo é patrocinado por: «A sua instituição aqui»

Lista das XX maiores tempestades em Portugal

Tempestades em Portugal não são tão frequentes como em outros países devido ao seu clima mais ameno e à sua proximidade ao Oceano Atlântico. No entanto, ao longo dos vários séculos de existência foram sendo registadas várias ocorrências de tempestades ou perturbações atmosféricas.

Ao contrario de muitos outros países europeus, Portugal não possui registo sobre o clima, impedindo muitas vezes as reconstituições climáticas de determinadas épocas da história.

20 maiores tempestade que assolaram Portugal

Lesley (2018)

Esta foi a tempestade mais recente a atingir Portugal. Esta afetou particularmente as regiões a norte de Lisboa. A tempestade caracterizou-se por ventos e ondulação forte, assim como por grande quantidade de precipitação que levou à ocorrência de algumas inundações por todo o país. As perdas financeiras foram elevadas com a destruição de casas, culturas e negócios.

Dezembro (1739)

Esta tempestade surge de registos eclesiásticos, permitindo que esta ocorrência chegasse aos nossos dias. Segundo esses registos sabe-se que a tempestade terá atingido as regiões de Coimbra, Porto, Santarém, Lisboa, Évora e Montemor-o-Novo , assim como Cuba.

Félix (2018)

Esta tempestade atingiu as piores condições durante o fim de semana com fortes rajadas de vento e elevada precipitação em particular sobre a forma de granizo. A depressão atmosférica ter-se-á formado no arquipélago dos Açores e dirigido para a porção continental do país. Os estragos puderam ser mais intensos devido à ocorrência da tempestade Emma que a antecedeu.

Emma (2018)

A tempestade Emma, que ocorreu uma semana antes da tempestade Félix , trouxe elevados estragos devido às chuvas intensas que duraram cerca de um mês, assim como os ventos fortes. Estas condições causaram diversos estragos em propriedades e em empresas (principalmente agrícolas).

Gisele (2018)

Tempestade que se formou no arquipélago dos Açores, esta atingiu o país com ventos fortes e chuva intensa, particularmente junto à linha de costa. A zona mais afetada foi o Norte do país, apesar de ter-se estendido por regiões mais a sul, tendo trazido cheias e quedas de árvores.

Stephanie (2014)

Esta tempestade assolou não só Portugal, mas também o resto da Península Ibérica, com ventos consideravelmente fortes e mares bastante altas levando a proteção civil portuguesa a decretar alerta vermelho para a totalidade da sua costa. Depois de atingir a Península Ibérica esta dirigiu-se para o Mediterrâneo atingindo Itália.

Gong (2013)

Um ciclone com inicio no meio do Oceano Atlântico provocou uma forte tempestade em Portugal, com ventos fortes. Os estragos provocados resultaram na queda de árvores, no corte da eletricidade, assim como no corte das linhas telefónicas, deixando mais de um milhão de pessoas sem luz.

Fevereiro (1941)

A tempestade formou-se no oceano Atlântico tendo atingido imediatamente a cidade de Lisboa, com ventos extremamente fortes que causaram graves danos e se estenderam por todo o país, seguindo posteriormente para Espanha, ficando conhecida por tempestade Ibérica.

Novembro (1724)

Tempestade extremamente destrutiva, tendo afetado tanto o continente, como a ilha da madeira, no entanto, apesar da agressividade da tempestade, acredita-se que esta não era um sistema tropical.

Santa Barbara (1739)

Esta catástrofe afetou severamente Portugal, tendo permanecida na memoria coletiva dos portugueses durante muito tempo. Esta tempestade foi descrita por muitos como semelhante a uma guerra, tendo inspirado a criação de dois poemas.

Bruno (2017)

Superfície frontal fria que deixou Portugal em alerta laranja devido à sua severidade, isto é, ventos forte, muita precipitação e agitação marinha. Esta tempestade tornou-se numa das mais violentas a atingir o país. Antes da sua ocorrência já a tempestade Ana tinha feito estragos.

Outubro (1842)

Tempestade que se formou no meio do Atlântico e foi caracterizado pelos serviços de meteorologia dos Estados Unidos da América como um tornado de categoria 2. Este causou graves estragos na ilha da Madeira, desde destruição de habitação, a quedas de árvores e inundações.

Outubro (1906)

Tempestade atravessou o arquipélago dos Açores deixando um rasto de destruição à sua passagem, desde uma grande quantidade de precipitação até ventos extremamente fortes capazes de arrancar árvores.

Outubro (1944)

Tempestade, na época designa por por doze, chega à Península Ibérica, deixando grandes estragos tanto em Portugal como em Espanha. Esta tempestade caracterizou-se pelos ventos intensos que provocou destruição por onde passou.

Vince (2005)

Considerado o primeiro grande furacão a atingir Portugal. Este formou-se na ilha da Madeira e dirigiu-se para o continente, sendo que os seus efeitos fizeram sentir-se particularmente no sul do País, no entanto, não apresentou agressividade elevada, visto que não foram registados danos.

Helene (2018)

Esta tempestade levou à emissão de um aviso vermelho para o arquipélago dos Açores, em particular para as ilhas do Corvo e das Flores. Os principais efeitos desta tempestade foram chuvas intensas que afetaram a zona ocidental do arquipélago.

Furacão Arlene (1987)

Este furacão trouxe à Península Ibérica uma grande quantidade de precipitação, particularmente na cidade do Porto, causando inúmeras inundações por toda a cidade.

Charley (1992)

O furacão Charley foi uma tempestade que assolou os Açores causando diversos danos na base das Lajes, pois produziu ventos extremamente fortes, não tendo sido reportados nenhuma outra forma de estado do tempo provocada pelo furacão.

Nadine (2012)

Esta tempestade dirigiu-se para o arquipélago dos Açores provocando ventos fortes, elevada precipitação, assim como agitação marinha. Devido à sua aproximação diversos alertas de tempestade foram emitidos para as várias ilhas do arquipélago. Devido ao perigo provocado pela tempestade algumas escolas foram fechadas e voos foram cancelados.

Joaquim (2015)

Esta tempestade atravessou o Atlântico deixando atrás de si um rasto de destruição. Ao atingir Portugal o furacão Joaquim já tinha perdido parte da sua força, no entanto, durante cinco dias deslocou-se ao longo da costa de Portugal tendo provocado alterações do clima, acabando por ser absorvido por outro sistema frontal.

542 Visualizações 1 Total

References:

Sullivan,Brian K. (2018). Portugal Is Facing the Region’s Strongest Atlantic Storm Since 1842. Bloomberg. Consultado em: Novembro 29, 2018 em https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-10-12/portugal-spain-face-strongest-atlantic-storm-in-176-years

GARCIA, RICARDO (2014). Estudo contabiliza 148 tempestades fortes em Portugal no século XIX. Meteorologia. Publico. Jornal online. Consultado em: Novembro 29, 2018 em https://www.publico.pt/2014/03/17/ciencia/noticia/estudo-contabiliza-quase-150-tempestades-fortes-em-portugal-no-seculo-xix-1628366

Cipriano, Rita; Machado, Manuel Pestana (2018). Antes do furacão Leslie, o Vince, em 2005, e o temporal de 1842 foram os mais fortes a chegar a Portugal. Observador. Consultado em: Novembro 29, 2018 em
https://observador.pt/2018/10/13/antes-do-furacao-leslie-o-vince-em-2005-e-o-temporal-de-1842-foram-os-mais-fortes-a-chegar-a-portugal/

542 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.