Furacão

Conceito de furação, sua definição, diversas ocorrências, assim como os principais danos que podem decorrer, ao mesmo tempo indicando formas de prevenção

Furacão – conceito

Furacão

Furacão

Furacão é a designação atribuída a um fenómeno meteorológico, também conhecido como ciclone ou tufão, dependo das regiões onde ocorre, no entanto, apesar de poder ser confundido com um tornado, os furacões são consideravelmente maiores. Uma tempestade é designada por furacão se os seus ventos atingirem velocidades superiores 119 quilómetros por hora e apresentem movimentos circulares. Estes geralmente forma-se em águas oceânicas quentes (por vezes em zonas tropicais), devido a um sistema de baixas pressões e dirigem-se para terra onde causam destruição e pânico nas populações.

A ocorrência destes fenómenos são naturais e devem-se muitas vezes às condições atmosféricas e ambientais. As alterações climáticas, em particular o aquecimento global tem vindo a perturbar diversos ciclos presentes na natureza, afetando também a ocorrência de furações, geralmente aumentando a sua frequência, a intensidade e modificando os locais onde estes geralmente podem ocorrer. Apesar de os fatores apontarem nesse sentido estes são circunstanciais, não sendo possível afirmar com certeza absoluta esta relação.

Ocorrência:

Tal como qualquer tempestade, também os furações ocorrem geralmente em épocas especificas, apesar de serem mais frequentes que um tornado, por exemplo. No hemisfério norte, particularmente no Atlântico, os furações ocorrem durante o verão até novembro. Enquanto que no Pacifico esta época inicia-se mais cedo mas prolonga-se até novembro. No oceano Indico estes iniciam-me em abril e terminam em dezembro.

No entanto, a sua ocorrência deve-se a fatores específicos da atmosfera, como por exemplo, o aumento da temperatura atmosférica, assim como de fatores geográficos. A combinação entre estes dois tipos de fatores determinará a intensidade do furacão e consequentemente os danos que este provocar.

Escala:

A escala mais utilizada para caracterizar um furacão é a escala Saffir-Simpson, através da analise da intensidade dos ventos que formam a tempestade. Esta escala divide-se em 5 categorias, no entanto, alguns cientistas começaram a pensar em propor uma sexta categoria devido ao aumento da velocidade dos ventos.

Esta escala tem os seus menores valores na categoria, sendo que a categoria 5 apresenta os valores mais elevados. Apesar de ser uma categorização muito utilizada, esta é relativa, pois uma furacão de menor intensidade por causar mais danos do que um com maior intensidade, dependendo do local que atinge, o tipo de materiais de construção das casas, entre outros fatores.

A velocidade do vento, assim como a intensidade da precipitação e até a magnitude da destruição provocada pelo furacão permitem determinar a categoria a que este pertence, a velocidade dos ventos são um dos fatores mais importantes para indicar a delimitação das categorias, mas a destruição provocada também é importante para esta delimitação.

Danos e prevenção:

Danos de um tornado

Danos de um tornado

O avançar da tecnologia permitiu criar sistemas que ajudam a prever ocorrências de furações com alguns dias de antecedência, assim como determinar, com alguma margem de erro, o percurso que este irá tomar, auxiliando na preparação das populações para este evento.

Este previsão é realizada com o auxilio de satélites e computadores com programas especializados. No entanto, estes sistemas não são 100% fiáveis, pois um furacão nem sempre segue os padrões convencionados pelos cientistas.

Um furacão é um fenómeno natural cuja ocorrência provoca danos severos quando atinge grandes intensidades. Os danos podem variar consoante a escala do furacão, indo de correntes de ar muito fortes que arrancam algumas telhas, a furacões que destroem cidades inteiras sem deixar qualquer vestígio do que lá existiu.

Ao atingir uma cidade, os danos causados pelos furacões podem tornar-se bastante graves, podendo verificar-se varias mortes tanto humanos como de outros seres vivos devido à ocorrência destes fenómenos. Estes fenómenos como foi dito anteriormente são naturais e como tal a sua ocorrência não pode ser impedida.

No entanto, existem ações que podem ser tomadas para diminuir os efeitos causados por um furacão, como manter-se afastado de móveis ou objetos suspensos, janelas, ou qualquer superfície vidrada. Os objetos que se encontram no exterior devem ser removidos sempre que possível. As casas e o paisagismo devem ser construidos tendo em conta a frequência com que o local é atingido por furacões.

280 Visualizações 1 Total

References:

Than, Ker. (2013) Tufão, Furacão, Ciclone: Qual é a Diferença? National Geographic. Consultado em: Agosto 31, 2018, em https://www.natgeo.pt/meio-ambiente/tufao-furacao-ciclone-qual-e-diferenca

NOAA. (2017) What is eutrophication? National Ocean Service website Consultado em: Agosto 31, 2018, em https://oceanservice.noaa.gov/facts/hurricane.html

280 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática