Europeu 2004

A tragédia grega para Portugal

UEFA_Euro_2004_logo.svg Edição: 12ª

Participantes: 16

Organizador: UEFA

Anfitrião: Portugal

Campeão: Grécia

Vice-Campeão: Portugal

Melhor Marcador: Milan Baros – 5 golos (Rep. Checa)

Melhor Guarda-Redes: Petr Cech (Rep. Checa)

Melhor Jogador: Theodoros Zagorakis (Grécia)

Total de Jogos: 31 partidas

Total de Golos: 77 golos marcados

Assistência Total: 1,156,473 pessoas

665071_w2

Grécia – o vencedor inesperado

 

O Campeonato Europeu de Futebol de 2004 teve lugar em Portugal e foi conquistado pela selecção da Grécia, que surpreendeu o mundo do futebol. Para este, que é o terceiro maior evento desportivo do mundo, Portugal construiu e renovou 10 estádios, recebendo a competição entre 12 de Junho e 4 de Julho. Cerca de um milhão de turistas marcaram presença nesta altura, junto com mais de dois mil voluntários e dez mil jornalistas de todo o mundo.

Foram três semanas intensamente vividas no país, com festas e celebrações na rua após cada vitória da selecção nacional portuguesa, comandada pelo brasileiro Luís Filipe Scolari. As janelas encheram-se de bandeiras de norte a sul, muitas permanecendo penduradas por vários anos após o fim do europeu. No entanto, a competição não terminou em festa para os adeptos portugueses, mas sim numa tragédia grega.

 

https://www.youtube.com/watch?v=DYqmLfwLyh8

 

Fase de qualificação

Com Portugal já apurado como anfitrião da prova, as restantes 50 selecções membros da UEFA foram divididas em 10 grupos de qualificação, com cinco equipas cada. Apuraram-se directamente os primeiros classificados de cada grupo, com os segundos classificados a disputarem entre si os playoffs de apuramento.

Apuraram-se directamente no 1º lugar: França (Grupo 1), Dinamarca (Grupo 2), Rep. Checa (Grupo 3), Suécia (Grupo 4), Alemanha (Grupo 5), Grécia (Grupo 6), Inglaterra (Grupo 7), Bulgária (Grupo 8), Itália (Grupo 9) e Suíça (Grupo 10).

Apuraram-se nos playoffs: Holanda (Grupo 3), Rússia (Grupo 10), Croácia (Grupo 8), Letónia (Grupo 4) e Espanha (Grupo 6).

A selecção francesa fez uma fase de apuramento exemplar, vencendo todos os 8 jogos, marcando 29 golos (média de 3,62 por jogo) e sofrendo apenas 2. Digna de nota foi também a prestação da Rep. Checa, que tinha falhado o mundial dois anos antes na Coreia e no Japão, ao terminar em 1º lugar no grupo 3, sem derrotas, à frente da selecção Holandesa. Ambas as equipas viriam a encontrar-se novamente na fase de grupos e chegariam às meias-finais do Europeu.

Das quatro equipas com pior rendimento, sem qualquer ponto conquistado, destaca-se a selecção de San Marino, que não marcou qualquer golo e sofreu 30. Luxemburgo, Liechtenstein e Andorra também não somaram qualquer ponto na qualificação, sendo que os luxemburgueses terminaram o grupo também sem qualquer golo marcado, mas sofrendo “apenas” 21. Igualmente sem marcar golos terminou a Irlanda do Norte, mas conseguiu 3 empates a 0, somando 3 pontos no último lugar do seu grupo.

 

Fase de grupos

Grupo A
Equipas J V E D GM GS DG Pts
1 Portugal Portugal 3 2 0 1 4 2 2 6
2 Grécia Grécia 3 1 1 1 4 4 0 4
3 Espanha Espanha 3 1 1 1 2 2 0 4
4 Rússia Rússia 3 1 0 2 2 4 -2 3
Grupo B
Equipas J V E D GM GS DG Pts
1 França França 3 2 1 0 7 4 3 7
2 Inglaterra Inglaterra 3 2 0 1 8 4 4 6
3 Croácia Croácia 3 0 2 1 4 6 -2 2
4 Suíça Suíça 3 0 1 2 1 6 -5 1
Grupo C
Equipas J V E D GM GS DG Pts
1 Suécia Suécia 3 1 2 0 8 3 5 5
2 Dinamarca Dinamarca 3 1 2 0 4 2 2 5
3 Itália Itália 3 1 2 0 3 2 1 5
4 Bulgária Bulgária 3 0 0 3 1 9 -8 0
Grupo D
Equipas J V E D GM GS DG Pts
1 Rep. Checa Rep. Checa 3 3 0 0 7 4 3 9
2 Holanda Holanda 3 1 1 1 6 4 2 4
3 Alemanha Alemanha 3 0 2 1 2 3 -1 2
4 Letónia Letónia 3 0 1 2 1 5 -4 1

 

A fase final do torneio disputou-se com entre 16 equipas, divididas em 4 grupos, nos quais os dois primeiros classificados se apuravam para os quartos-de-final.

Portugal disputou o Grupo A, junto com Grécia, Espanha e Rússia. A equipa portuguesa começou mal, com uma derrota frente aos gregos no jogo de estreia, no Estádio do Dragão. No entanto, com as várias alterações promovidas por Scolari, Portugal venceu os dois jogos seguintes, contra Rússia (2-0), no Estádio da Luz, e Espanha (1-0), no Estádio de Alvalade, carimbando a passagem aos quartos-de-final.

O golo de Dmitri Kirichenko, aos 68 segundos, pela já eliminada Rússia na fase de grupos contra a Grécia, em Faro, foi o mais rápido de todas as fases finais do Campeonato da Europa.

No Grupo B, França e Inglaterra seguiram em frente sem problemas, deixando a Croácia e a Suíça para trás, ambas sem qualquer vitória.

Wayne Rooney tornou-se no mais jovem atleta a marcar numa fase final, quando facturou pela Inglaterra contra a Suíça. Deteve o recorde apenas quatro dias, até ao golo do suíço Johan Vonlanthen ante a França.

Suécia e Dinamarca qualificaram-se no Grupo C, com muita polémica pelo meio. Ambas as equipas terminaram com 5 pontos, os mesmos que a Itália, que ficou em 3º lugar. Um empate a duas bolas entre os nórdicos, na última jornada, garantia a passagem de ambos e o resultado aconteceu mesmo, o que gerou muita contestação entre a comitiva italiana, que ficou eliminada, apesar de vencer a Bulgária, com um golo ao cair do pano.

No Grupo D, a Alemanha desiludiu ao terminar a fase inicial sem qualquer vitória e apenas 2 pontos. A República Checa manteve a sua senda vitoriosa e ganhou todos os jogos, conseguindo o 1º lugar do grupo, deixando a Holanda em 2º. Os estreantes da Letónia ficaram em último sem qualquer ponto. O encontro entre holandeses e checos, na 2ª jornada, foi um dos melhores do torneio. A Holanda vencia por 2-0 aos 19 minutos, mas a Rep. Checa deu a volta ao resultado, fazendo o golo da vitória por Vladimir Smicer, a dois minutos do fim, vencendo por 3-2.

 

Quartos-de-final

Portugal Portugal 2-2 Inglaterra Inglaterra (6-5 pens)

França França 0-1 Grécia Grécia

Holanda Holanda 0-0 Suécia Suécia (5-4 pens)

Rep. Checa Rep. Checa 3-0 Dinamarca Dinamarca

 

Os quartos-de-final trouxeram surpresas e muita emoção, com dois jogos decididos apenas através da marcação de grandes penalidades. Portugal e Inglaterra protagonizaram um jogo histórico e memorável, que terminou com um empate a dois golos no prolongamento. Michael Owen colocou os britânicos em vantagem logo aos 3 minutos, Hélder Postiga empatou a 7 minutos do fim e, no prolongamento, Rui Costa consumou a reviravolta com um pontapé de fora da área, aos 110 minutos. No entanto, a festa só durou 5 minutos, até Frank Lampard restabelecer novamente a igualdade, na sequência de um canto.

Nos penáltis Portugal foi mais feliz, num momento histórico. O guarda-redes Ricardo tirou as luvas e defendeu a grande penalidade decisiva, de Darius Vassell, e assumiu ele próprio a decisão de marcar o penálti que assegurou a passagem às meias-finais.

A Grécia iniciou a sua onda de vitórias na fase a eliminar, sempre por 1-0, com um golo de cabeça, ao vencer a França. A Holanda só conseguiu eliminar a Suécia nos penáltis, enquanto a Rep. Checa goleou a Dinamarca por 3-0.

 

 

Meias-finais

Portugal Portugal 2-1 Holanda Holanda

Rep. Checa Rep. Checa 0-1 Grécia Grécia

 

Nas meias-finais, Portugal fez novamente a festa, pela última vez, com uma vitória bem conseguida frente à Holanda, por 2-1, com um dos melhores golos do Europeu, marcado por Maniche.

A Grécia voltou a ganhar, à sua maneira, carimbando a presença no derradeiro jogo.

 

Final

Portugal Portugal 0-1 Grécia Grécia

 

A alegria portuguesa virou tristeza no final dos 90 minutos. A derrota por 1-0 com os gregos ditou o fim do sonho de milhões de adeptos, que viram o cabeceamento de Charisteas resultar no único golo da partida.

Portugal foi o primeiro anfitrião a chegar à final do Campeonato da Europa desde a França em 1984 e o único país a perder o embate decisivo na sua própria casa.

O triunfo da Grécia tornou o país no nono vencedor diferente em 12 edições do Campeonato da Europa e foi o triunfo com menos golos numa final da prova, resultado que se repetiu quatro anos depois, quando a Espanha bateu a Alemanha, em Viena.

 

 

Pódio

Grécia Grécia

Portugal Portugal

Holanda Holanda

Rep. Checa Rep. Checa

 

Os melhores do Torneio

Guarda-Redes                             

Rep. Checa Petr Cech (Rep. Checa)

Grécia Antonios Nikopolidis (Grécia)

Defesas

Inglaterra Sol Campbell (Inglaterra)

Inglaterra Ashley Cole (Inglaterra)

Grécia Traianos Dellas (Grécia)

Portugal Ricardo Carvalho (Portugal)

Suécia Olof Mellberg (Suécia)

Grécia Georgios Seitaridis (Grécia)

Itália Gianluca Zambrotta (Itália)

Médios

Alemanha Michael Ballack (Alemanha)

Portugal Luís Figo (Portugal)

Inglaterra Frank Lampard (Inglaterra)

Portugal Maniche (Portugal)

Rep. Checa Pavel Nedved (Rep. Checa)

Grécia Theodoros Zagorakis (Grécia)

França Zinedine Zidane (França)

Avançados

Rep. Checa Milan Baros (Rep. Checa)

Grécia Angelos Charisteas (Grécia)

Suécia Henrik Larsson (Suécia)

Portugal Cristiano Ronaldo (Portugal)

Inglaterra Wayne Rooney (Inglaterra)

Dinamarca Jon Dahl Tomasson (Dinamarca)

Holanda Ruud Van Nistelrooy (Holanda)

2992 Visualizações 2 Total

References:

http://www.maisfutebol.iol.pt/uefa/portugal/equipa-ideal-do-euro2004-so-conta-com-quatro-portugueses

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2004/index.html

2992 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.