Plantas vasculares

Conceito de Plantas vasculares

Plantas vasculares (também são conhecidas por traqueófitas) são plantas que possuem tecidos condutores, além de possuírem como fase dominante a fase esporófita. As plantas vasculares correspondem às espécies pertencentes aos grupos genericamente denominados por pteridófitas e espermatófitas (gimnospérmicas e angiospérmicas).

A reprodução, nas plantas vasculares, ocorrer de duas formas diferentes, as pteridófitas produzem esporos, já as espermatófitas produzem sementes, em ambos os casos as células produzidas dispersam-se acabando por vir a germinar. Uma vez que se trata da fase esporófitas, as suas células são diploides, isto é, possuem dois cromossomas por cada célula.

Os vasos condutores correspondem a tecidos especializados denominados por xilema e floema que transportam os nutrientes, os sais minerais e a água, este facto foi um passo de grande importância na evolução das espécies vegetais, pois passou a permitir a sobrevivência destes seres fora de água, além de permitir um aumento do tamanho dos indivíduos.

Estes vasos dispõem-se em feixes, que vão desde as raízes até às folhas, permitindo a circulação da seiva bruta e da seiva elaborada. Os feixes encontram-se em todos os órgãos da planta, facilitando a troca de substância entre o meio e a planta (respiração da planta, por exemplo). O surgimento destes vasos permitiu que a água obtida pelas raízes e os nutrientes passassem a chegar rapidamente a todas as partes da planta, favorecendo assim o seu crescimento.

O crescimento também se deve ao facto de estas plantas sintetizam lenhina, que preenche as paredes celulares tornando-as mais resistentes, permitindo o aumento do seu tamanho sem que o caule vergue devido ao efeito da gravidade.

As espécies de plantas vasculares correspondem à maior parte das plantas que habitam a superfície terrestre, esta predominância deve-se ao surgimento dos vasos condutores e de outras características, como o sistema radicular, a existência de estomas e a pressão interna criada por estes novos elementos. Estas características permitiram à planta adaptar-se às diferentes condições que encontrou, deixando de ser obrigada a viver dentro de água, uma vez que a obtêm do solo onde se encontra fixada.

Características das plantas vasculares:

  • Sistema radicular – conjunto de raízes que permitem à planta absorver a água existente no solo, o que permite a planta viver fora de água. Além da água este sistema de raízes absorve também os sais minerais que são necessários para a realização da fotossíntese.
  • Estoma – conjunto das células-guarda e o ostíolo. Esta estrutura permite as trocas gasosas entre a planta e o meio ambiente. Situam-se na epiderme das folhas e de outros órgãos das plantas.
  • Floema – tecido responsável pelo transporte de água, compostos orgânicos e sais minerais (seiva elaborada). O floema é constituído por células vivas, denominado por tubo crivoso, esta estrutura é constituída por células alongadas dispostas longitudinalmente que comunicam por poros (placa crivosa), assim como por células de companhia (estruturas celulares vivas e alongadas) que auxiliam na condução da seiva.
  • Xilema – tecido responsável pelo transporte de água e sais minerais (seiva bruta) até às folhas, onde vai ocorrer a fotossíntese. O xilema é formado por células mortas lenhificadas (traqueídos), com diversos espaçamentos, alongadas e alinhadas formando os vasos. Possui também um conjunto de células vivas, denominadas de parênquima, que armazenam água e alimento.

As estruturas mencionadas variam consoante o grupo e a espécie de plantas, mas a sua base é semelhante. Por exemplo, plantas pertencentes as gimnospérmicas possuem um segundo feixe de vasos condutores e estruturas com esclerênquima, o que conferem resistência às plantas.

A distribuição dos feixes também varia consoante as espécies sejam monocotiledóneas ou dicotiledóneas, assim como consoante a zona em estudo (a distribuição do floema e do xilema não é igual nas raízes e no caule por exemplo).

No grupo das Pteridófitas e nas Gimnospérmicas os vasos xilémicos são formados por traqueídos. Além dos tecidos primários mencionadas acima, as espermatófitas apresentam também tecidos vasculares secundários, o que não ocorre nas Pteridófitas.

 

Fontes:

Antunes, Teresa; Pinto, Isabel Sevinate (2006). Botânica A passagem à Vida Terrestre Atlas e Texto. Lidel

McElrone, A. J., Choat, B., Gambetta, G. A. & Brodersen, C. R. (2013) Water Uptake and Transport in Vascular Plants. Nature Education Knowledge 4(5):6. Consultado em:  Julho 23, 2015, em http://www.nature.com/scitable/knowledge/library/water-uptake-and-transport-in-vascular-plants-103016037

Lower vascular plant. (2015). Encyclopædia Britannica. Consultado em: Julho 23, 2015, em http://www.britannica.com/plant/lower-vascular-plant

Tracheophyte. (2015). Encyclopædia Britannica. Consultado em: Julho 23, 2015, em http://www.britannica.com/plant/tracheophyte

 

Palavras-chave:

Vasos condutores

Sistema radicular

Traqueófitas

Xilema

Floema

14296 Visualizações 1 Total
14296 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.