Citocina

Com o objetivo de coordenar uma resposta imunológica efetiva, torna-se necessário a existência de um mecanismo pelo qual os linfócitos, células inflamatórias ou células hematopoiéticas consigam comunicar entre si.

Com o objetivo de coordenar uma resposta imunológica efetiva, torna-se necessário a existência de um mecanismo pelo qual os linfócitos, células inflamatórias ou células hematopoiéticas consigam comunicar entre si. As citocinas possuem esta função. As citocinas são uma família vasta e diversificada de pequenas proteínas ou glicoproteínas (< 30 kDA). Embora, inicialmente, as citocinas tenham sido descritas pelas suas propriedades imunomodulatórias, documentaram-se outras funções para além da sua mediação no sistema imunitário, nomeadamente na diferenciação e na migração celular. As citocinas conseguem influenciar tanto as respostas inatas como as adaptativas do sistema imunitário. Os principais produtores de citocinas são as células T helper e os macrófagos, no entanto elas podem ser praticamente induzidas e secretadas por todas as células nucleadas.

O efeito de uma citocina em particular deve-se à sua elevada afinidade de ligação ao recetor expresso na superfície da célula-alvo. Esta ação pode ocorrer de uma forma autócrina (atua na mesma célula), parácrina (atua numa célula próxima) ou endócrina (atua numa célula distante). O recetor ativa uma cascata de sinalizações, que leva a alteração da expressão génica na célula-alvo, provocando um determinado efeito biológico. Alguns dos efeitos mais comuns são a diferenciação, proliferação ou ativação da célula-alvo.

As citocinas detetadas no ambiente extracelular numa resposta imunológica podem interagir de diversas formas devido à sua:

Pleiotropia, diferentes efeitos em diferentes tipos de células-alvo;

Redundância, múltiplas citocinas têm o mesmo efeito;

Sinergia, efeito cooperativo de múltiplas citocinas;

Antagonismo, inibição do efeito de uma citocina por outra citocina;

Indução de uma cascata de eventos; mecanismo de diversos passos que amplificam a produção de uma citocina particular.

As respostas através do uso de citocinas ocorrem de uma forma não específica, portanto, têm que ser fortemente reguladas para evitar respostas inapropriadas no sistema hospedeiro, podendo ser prejudicial à manutenção do seu equilíbrio. Em indivíduos saudáveis, a ação da citocina é regulada pela sua produção transiente em resposta a um antigénio ou a um estímulo inflamatório potente, pelo seu curto tempo de meia vida, pelo perfil de expressão de recetores restringentes na superfície de células-alvo ativadas e não ativadas, bem como outros mecanismos. Está claro que existem casos de desregulação de secreção de citocinas que resultam em doenças. Exemplos destas é a influência do fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) no desenvolvimento da artrite reumatoide.

Alguns exemplos de citocinas e as suas funções:

Fator de estimulação de colónias (CSF, do inglês “colony stimulating factor”). Fazem parte da família hematopoietina das citocinas. Os CSF-macrófago e o granulócito/macrófago CSF induzem a proliferação de percursores naïves da medula óssea e a sua diferenciação nas colónias de macrófagos e nas colónias de granulócitos e macrófagos, respetivamente.

CXCL10 (também conhecido por IP-10). É uma quimiocina secretada pelas células estimuladas por interferão gama (IFN-γ). Somente os linfócitos T helper 1 (Th1) expressam o recetor que deteta o CXCL10, CXCR3, e, portanto, migram na sua direção. Esta quimiocina induz a migração das células Th1 de áreas de baixas concentrações de CXCL10 para áreas de altas concentrações desta molécula, como um local de infeção e inflamação.

Interleucinas. São um grupo vasto de citocinas, existindo mais de 30 tipos de interleucinas. A interleucina 1 (IL-1) é uma citocina que participa na regulação das respostas do sistema imunitário, em reações inflamatórias e na hematopoiese. A IL-2 induz a proliferação de linfócitos T e estimula a produção de anticorpos por parte dos linfócitos B. A IL-3 regula a produção, a diferenciação e a função dos granulócitos e dos macrófagos. A IL-4 é produzida pelos linfócitos T helper com o objetivo de ajudar os linfócitos T a se proliferarem e a sofrerem certas recombinações. A IL-7 atua como um fator de crescimento das células de linhagem linfoide. A IL-10 é uma citocina que inibe a síntese de outras citocinas, como o  IFN-γ, IL-2, IL-3, fator de necrose tumoral (TNF), entre outras.

Outros assuntos relacionados:

5316 Visualizações 1 Total
5316 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.