Gelo permanente

Conceito de gelo permanente, as suas principais características, onde se forma e os problemas que pode causar..

Gelo permanente –  Conceito

gelo permanente

gelo permanente

Gelo permanente é a designação atribuída ao gelo que se pode encontrar nos pólos e que tem permanecido no estado solido por centenas se não milhares de anos. Este gelo pode tomar também a nominação de gelo fixo, normalmente este entra pelo mar adentro mas fica permanentemente fixo à costa ou formando icebergues encalhados.

O que é :

O gelo permanente corresponde longas camadas de gelo que nunca descongela independente da estação do ano. Esta camada de gelo apresenta uma profundidade variada, conforma a topografia do local onde se encontra.

Estas estruturas podem apresentar apenas alguns metros ou estender-se por centenas de quilómetros, no entanto as suas dimensões variam com as estações do ano. O gelo permanente pode funcionar como ecossistema albergando diversas espécies tanto nas suas águas geladas como no próprio gelo.

O gelo para ser considerado permanente se possuir pelo menos 3 centímetros e essa camada se tiver mantido pelo menos durante um verão, não derretendo com facilidade.

Nos últimos anos camada de gelo permanente tem diminuído consideravelmente , possuindo uma redução de quase 1% da área congelada por ano, devido ao aquecimento global.

Como ser forma:

Este tipo de gelo forma-se ancorado a zonas costeiras entendendo-se mar a dentro. Estas estruturas de gelo não se conseguem formar em zonas com corrente forte e elevada ondulação.

Este gelo permanece ao longo da costa onde se forma, podendo unir-se a icebergues que se encontrem na proximidade, fixando-se ao fundo do mar, fazendo estender a sua área. No entanto, não é comum encontrar gelo permanente à deriva.

O gelo permanente é constituído por uma camada mais profunda que nunca descongela designada pergelissolo (permafrost), pois tudo o que se encontra a baixo desta camada encontram-se congelado. Esta camada é recoberta por uma camada de gelo e neve mais à superfície que pode derreter parcialmente durante a estação quente.

O permafrost é bastante mais sensível às elevadas temperaturas, apesar de se encontrar coberto por varias camadas de neve e gelo, este absorve mais o calor, sofrendo com o aquecimento global e contribuindo para as alterações climáticas. Estas camadas já começaram a derreter em certas zonas do ártico sendo muito preocupante.

As estruturas formadas pelo gelo permanente possuem uma percentagem de salinidade muito inferior à percentagem presente na água do mar com que entra em contacto.

Onde se encontra:

O gelo permanente não se move encontrando-se geralmente preso à costa, ao contrario do gelo à deriva cuja forma mais conhecida são os icebergues. No entanto, com o aumento das temperaturas, relacionado com o aquecimento global, grandes pedaços de gelo têm conseguido desprender-se passando a andar à deriva pelo mar.

A maior parte das camadas de gelo permanente encontram-se em regiões geladas do hemisfério norte, como a Sibéria e a América do Norte (Alasca) e no hemisfério sul, na região da Antártida.

Estas regiões podem ser habitat de diversas espécies de seres vivos tanto na água como em terra, como por exemplo as renas ou os ursos polares, no entanto, a vegetação é muito escassa sendo normalmente semelhante a tundra

As principais preocupações:

Gelo permanente

Gelo permanente

O aquecimento global tem levado ao aumento das temperaturas, o que vai afetar o gelo permanente, em particular a camada de permafrost, derretendo-o, um exemplo desse fenómeno são as calotes polares que começaram a derreter.

O seu derretimento pode causar graves problemas não só à saúde humana como também à distribuição da população. O gelo derretido traz consigo diversas doenças desconhecidas ou que já tinham sido erradicadas. Nas camadas de solo congelado que não se encontra exposto há centenas de anos podem encontrar-se vírus e bactérias dormentes que podem ficar ativos e iniciar a sua reprodução quando expostos a temperaturas mais elevadas.

Ao mesmo tempo a quantidade de água libertada pelo degelo faz subir o nível de água do mar podendo submergir regiões costeiras que se encontrem a baixo desse nível deixando dezenas de pessoas desalojadas e sem um local para ir.

773 Visualizações 1 Total

References:

(2017). Degelo. Há doenças presas no gelo permanente do Ártico que podem escapar com o aquecimento global. Observador. Lisboa, Portugal. Consultado em: Outubro 29, 2017, em http://observador.pt/2017/05/04/ha-doencas-presas-no-gelo-permanente-do-artico-que-podem-escapar-com-o-aquecimento-global

Péwé, Troy L. (2016). permafrost. Encyclopædia Britannica, inc. Consultado em: Outubro 29, 2017, em https://www.britannica.com/science/permafrost

Fountain, HENRY (2017). Alaska’s Permafrost is Thawing. The New York Times Company. Consultado em: Outubro 29, 2017, em https://www.nytimes.com/interactive/2017/08/23/climate/alaska-permafrost-thawing.html

773 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.