Organismos Unicelulares

Conceito de organismos unicelulares, as suas principais características, as formas de vida e os locais onde é possível encontrar estes organismos…

Conceito de Organismos Unicelulares

organismo unicelular

Organismos unicelulares são organismos cuja sua constituição possui apenas uma célula. A grande maioria destes organismos possui pequenas dimensões, sendo considerados formas de vida muito simples e pouco complexa, existindo há biliões de anos, o que os torna a forma de vida mais antiga no planeta.

Uma das teorias da evolução admite que toda a vida do planeta terá tido a sua origem a partir de um destes seres mais simples. A teoria endossimbiótica é um exemplo de teorias evolutivas, assumindo que os organelos presentes no eucariotas se formaram a partir da associação (simbiótica) entre bactérias unicelulares muito simples.

A maioria destes organismos são bactérias, Archaea, protozoários, algumas algas e alguns fungos mais simples. Estes organismos dividem-se em procariotas ou eucariotas, consoante a sua organização interna é mais simples ou complexa.

Principais características:

Os organismos unicelulares podem apresentar vida livre ou encontrarem-se presos, podem também viver em colónias com outros organismos, ou formar diversos tipos de relações, como por exemplo parasitismos ou mutualismo. Quando vivem em colónias, cada organismo é exactamente igual ao outro, sendo obrigado a desenvolver todas as funções que são vitais para a sua sobrevivência, não havendo uma dependência permanente entre os membros, isto é, não demonstram especializações.

A maior parte dos seres unicelulares possuem dimensões muito reduzidos, sendo considerados microscópicos, no entanto, têm vindo a ser descobertos organismos que possuem um tamanho considerável, como por exemplo, os espécimes encontrados a oeste do oceano Pacífico que atingiam mais de 10 centímetros (organismos xenofióforos). Algumas algas unicelulares também podem atingir tamanhos bastante grandes, com vários centímetros, sendo visíveis a olho nu.

Alguns destes indivíduos apresentam cílios ou flagelos que lhes permitem movimentar-se mais facilmente em ambientes aquáticos. A sua locomoção também pode dever-se à presença de pseudópodes. A maior parte dos organismos unicelulares alimenta-se por fagocitose, sendo a sua reprodução assexuada, geralmente por divisão binária.

Os cilios, flagelos ou pseudópodes podem também facilitar a alimentação, visto a sua movimentação atrair o alimento à região bocal (nos protozoários designada por citóstoma). Os alimentos não digeridos são eliminados pelo citoprocto (nos protozoários).

Os organismos procariontes não apresentam um núcleo definido (apresentam um único cromossoma circular), assim como também não possuem organelos no seu citoplasma, como por exemplo, mitocôndrias ou cloroplastos. Outros tipos de organismos unicelulares (eucariontes) podem apresentar núcleo e organelos.

Apesar de apenas apresentarem uma única célula, alguns destes organismos apresentam dois núcleos, que desenvolvem funções distintas. O macronúcleo é responsável pelo controlo do metabolismo de célula, enquanto o micronúcleo realiza a meiose.

Forma de vida e distribuição:

Os organismos multicelulares, durante o seu ciclo de vida apresentam pelo menos uma etapa como seres unicelulares, na maioria dos casos essa etapa corresponde aos gâmetas. Em alguns casos podem existir organismos que apesar de serem geralmente unicelulares, podem desenvolver formas de vida multicelulares.

Os organismos unicelulares podem ser encontrados por todo o planeta e nos mais diversos ambientes. O ambiente mais associado a estes indivíduos são os ambientes aquáticos, particularmente em água doce, no entanto, podem ser encontrados em quais quer tipos de ambiente (alguns preferem ambientes extremos). Além de ambientes de água doce, estes indivíduos podem habitar o solo, assim como no interior de seres vivos (estômago…).

Estes organismos são sobreviventes natos sendo possível encontrar alguns deles nos ambientes mais inóspitos do planeta como a grandes profundidades, nos oceanos, mas regiões mais frias do Ártico ou ainda nas regiões vulcânicas. Alguns destes organismos devem a sua resistência à existência de paredes celulares compostas por silício e outros compostos que dão origem a estruturas que se assemelham a conchas.

As espécies de algas unicelulares encontram-se maioritariamente em água doce, apesar de ser possível encontrar algumas espécies no oceano. Muitas destas algas são responsáveis por uma grande parte do oxigénio produzido no planeta (25%), assim como pela produção primária marinha (40%). Algumas destas algas são também capazes de produzir bioluminescência, podendo também desenvolver as marés vermelhas (bloom de algas) responsáveis pela morte de muitos seres vivos.

Os fungos encontram-se maioritariamente em ambientes terrestres. A reprodução destes organismos deve-se maioritariamente à ocorrência de mitoses, por processos de gemulação.

Alguns destes organismos (geralmente protozoários) são quimiolitotróficos, recorrendo a reacções químicas para a produção de alimentos, em locais onde não existe luz solar, sendo que alguns desses seres vivem perto de fontes hidrotermais em regiões com elevadas profundidades. Estes indivíduos podem ser heterotróficos ou autotróficos, dependendo do tipo de organismo, assim como a forma de obtenção do seu alimento.

Muitos dos organismos unicelulares são os responsáveis pelo desenvolvimento de doenças graves, que podem levar a morte de outros seres vivos. As contaminações bacterianas podem também ser causadas por organismos unicelulares.

7402 Visualizações 2 Total

References:

diatom. (2016). Encyclopædia Britannica. Consultado em: Agosto 31, 2016, em https://www.britannica.com/science/diatom

protist. (2016). Encyclopædia Britannica. Consultado em: Agosto 31, 2016, em https://www.britannica.com/science/protest

CNRS. (2016, April 27). A single-celled organism capable of learning. ScienceDaily. Consultado em: Agosto 31, 2016, em www.sciencedaily.com/releases/2016/04/160427081533.htm

Souza, Alzira Martins Ferreira de, & López, Jorge A.. (2004). Insulin or insulin-like studies on unicellular organisms: a review.Brazilian Archives of Biology and Technology, 47(6), 973-981.  Consultado em: Agosto 31, 2016, em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-89132004000600017

Berg JM, Tymoczko JL, Stryer L. (2002) Biochemistry. 5th edition. New York: W H Freeman; Section 2.4, Cells Can Respond to Changes in Their Environments. Consultado em: Agosto 31, 2016, em http://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK22568/

7402 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática