Trauma sexual

O trauma sexual e provocado por atos de violência contra a integridade física e/ou psíquica da vítima.

O trauma sexual e provocado por atos de violência contra a integridade física e/ou psíquica da vítima. A maioria das vezes o mesmo é provocado por alguém próximo da mesma.

São vários os estudos relacionados com o trauma sexual que têm como objetivo compreender a forma como as vítimas, em grande parte das amostras, crianças do sexo feminino, lidam com o abuso sofrido (Habigzang, Corte, Hatzenberger, Stroeher, & Koller, 1998).

Quando se fala de trauma sexual, atualmente fala-se, também, em problema de saúde pública devido aos contornos e à necessidade de intervenção, prevenção e tratamento que se mostram cada vez mais urgentes (Habigzang, Corte, Hatzenberger, Stroeher, & Koller, 1998; Gonçalves, Ferreira, 2002, Pfeiffer; Salvagani, 2005, cit in Arppini, Siqueira, & Sagegnago, 2012).

Corroborando esta ideia, outros autores como Arpini, Siqueira e Savegnago (2012) consideram a relevância de entender o trauma sexual como um grave problema de saúde, uma vez que a saúde mental é um dos primeiros fatores a ficar extremamente comprometido.

No que concerne às características de abuso que provoca o trauma, as mesmas podem ir desde carícias até à penetração propriamente dita, levando a vítima a desenvolver problemas cognitivos, dificuldades de se relacionar com os outros, perturbações relacionadas com a afetividade, entre outras (Habigzang, Corte, Hatzenberger, Stroeher, & Koller, 1998).

Alguns dos sintomas provocados pelo trauma sexual estão relacionados com comportamento desviante, como por exemplo, expressão exagerada da sexualidade, que muitas vezes levam a reações de punição, principalmente no caso de crianças (Aprini, Siqueira, & Sagegnago, 2012).

A forma como a vítima lida com a experiência do trauma vivido tem também a ver com características intrínsecas, como vulnerabilidade e resiliência pessoal, e características extrínsecas como a rede de apoio e a reação dos cuidadores não abusivos à situação (Habigzang, Corte, Hatzenberger, Stroeher, & Koller, 1998).

Importa, portanto, compreender a complexidade da situação que a vítima viveu durante o trauma sexual, através de um processo terapêutico que deve ter como principal objetivo ajudar a mesma a reorganizar a relação com as pessoas à sua volta, após o comprometimento da mesma devido ao abuso sofrido (Aprini, Siqueira, & Sagegnago, 2012).

Conclusão

O trauma sexual tem como principal foco a prevenção, a avaliação e a reorganização dos processos cognitivos da vítima, devido ao facto de a sua saúde mental ficar significativamente comprometida.

Habitualmente, de acordo com a literatura, o trauma é provocado por alguém próximo da vítima o que leva à importância da reação das outras pessoas próximas, no sentido de promover uma boa rede de apoio que permita orientar e ajudar a ultrapassar do trauma da forma mais saudável possível.

56 Visualizações 1 Total

References:

  • Aprini, Dorian Mônica; Cardoso Siqueira, Aline; Dal Ongaro Savegnago, Sabrina. Trauma psíquico e abuso sexual: o olhar de meninas em situação de vulnerabilidade. Universidade Presbiterana Mackenzie São Paulo. Psicologia: teoria e prática, v. 14, n. 2, p. 88-101, 2012.
  • Habigzang, L.C, Corte. D, Hatzenberger, Stroeher, F, & Koller, S.H. (1998). Avaliação Psicológica em Casos de Abuso Sexual na Infância e Adolescência. Psicologia: reflexão e crítica, 21 (2), 338-344;
56 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.