Sexualidade e preconceito

Sexualidade e preconceito dizem respeito à forte tendência que o ser humano tem para tratar de forma discriminatória, indivíduos com orientação sexual não tradicional.

Sexualidade e preconceito dizem respeito à forte tendência que o ser humano tem para tratar de forma discriminatória, indivíduos com orientação sexual não tradicional.

Habitualmente, o tema da sexualidade e preconceito associa-se a questões marcadas, grande parte das vezes por questões de orientação sexual devido a conotação religiosa do preconceito (Pereira, Torres, Pereira, & Falcão, 2011).

Quando se fala de preconceito, normalmente, os grupos sexualmente diferentes são os que mais sofrem o mesmo na pele, sendo rejeitados em função da sua sexualidade e alvo de expressão de emoções negativas (Gato, Carneiro, & Fontaine, 2011).

Em algumas situações o preconceito é feito de uma forma flagrante, ou seja, a pessoa que o exprime rejeita e não permite mesmo proximidade, por exemplo, de pessoas homossexuais, ou então pode conhecer de forma mais subtil, quando o preconceituoso exprime de forma menos evidente, procurando justificativas relacionadas com a biologia e a psicologia (Pereira, Torres, Pereira, & Falcão, 2011).

São vários os estudos que demonstram a existência de atitudes preconceituosas contra pessoas cuja orientação sexual não é heterossexual, seja ela homossexual, bissexual ou homossexual, isto é, lésbicas, gays, bissexuais e transexuais/trangéneros (LGBT) (Gato, Carneiro, & Fontaine, 2011).

O que é importante reter quando falamos de sexualidade e preconceito é que, frequentemente, os indivíduos com orientação sexual não heterossexual, são vistos como pessoas portadoras de algum tipo de anomalia ou confusão que os leva a quebrar as regras tradicionais de sexualidade dita normal preconceito (Pereira, Torres, Pereira, & Falcão, 2011).

Não podemos também deixar de referir as crenças religiosas como fortes indicadores de preconceito sexual, uma vez que, são ainda bastante muitos, os indivíduos que procuram justificativas associadas à religião para exercer o seu preconceito (Pereira, Torres, Pereira, & Falcão, 2011).

Alguns dos comportamentos mais comuns, de preconceito, contra determinados indivíduos, com base na sua orientação sexual diferente são a antipatia, a expressão de emoções negativas, o pré julgamento de um grupo ou de um membro de um grupo, entre outros. Muitas vezes, o preconceito baseado em questões sexuais detém contornos de não aceitação da pessoa, tratando-a mesmo como um ser inferior (Gato, Carneiro, & Fontaine, 2011).

 Conclusão

Sexualidade e preconceito são dois assuntos que vêm sempre de mãos dadas ao longo dos tempos, uma vez que, desde sempre, houve tendência para rejeitar, afastar e até mesmo diminuir determinados grupos de indivíduos com base na sua orientação sexual. Os estudos demonstram que encontramos vários comportamentos preconceituosos tais como a antipatia, a exclusão, o inferiorizar a pessoa, a expressão da emoções negativas, entre outros.

39 Visualizações 1 Total

References:

  • Gato, J, Carneiro, N.S, Fontaine, A.M. (2011). CONTRIBUTO PARA UMA REVISITAÇÃO HISTÓRICA E CRÍTICA DO PRECONCEITO CONTRA AS PESSOAS NÃO HETEROSSEXUAIS. Crítica e Sociedade: revista de cultura política. 1, n. 1, jan./jun.. 2011. 2237-0579
  • Pereira, C.R, Torres, A.R.R, Pereira, A, & Falcão, L.C. (2011). Preconceito Contra Homossexuais e Representações Sociais e Homossexuais em Seminaristas Católicos e Evangélicos. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Jan-Mar, 2011, Vol. 27, n. 1, pp.73-82
39 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.