Selecção Portuguesa de Futebol 2006

2006

Campeonato do Mundo 2006 – Alemanha

 

A participação da Selecção Portuguesa no Mundial da Alemanha culminou com um distinto 4º lugar, a segunda melhor posição de sempre e a melhor desde Inglaterra 66. Na sua quarta presença em Mundiais, Portugal venceu todos os jogos que disputou até às meias-finais, onde voltou a perder novamente com a França. Depois, acabou por ser derrotada pelos anfitriões, por 3-1, no jogo de atribuição do 3º e 4º lugar.

Ricardo continuava dono e senhor da baliza lusa, como aconteceu sempre enquanto Scolari foi seleccionador nacional. Na convocatória, o brasileiro levou apenas sete defesas, não podendo contar com Jorge Andrade devido a uma lesão no joelho, embora tenha acompanhado a comitiva na Alemanha. No seu lugar, jogou Fernando Meira, que fez um torneio de alto nível ao lado de Ricardo Carvalho no eixo da defesa. Miguel e Nuno Valente mantinham-se como titulares nas alas.

No meio campo, não houve surpresas. Figo voltou atrás com a decisão de abandonar a selecção, tomada depois do Euro 2004, para representar Portugal pela última vez numa grande competição internacional. O n.º 7 contou com a companhia de Maniche, Costinha e Deco, num meio campo recheado de grandes valores europeus.

A frente de ataque continuava entregue ao habitual nº9: Pedro Pauleta, com Cristiano Ronaldo no apoio ao ataque.

Paulo Ferreira, Simão Sabrosa, Petit, Nuno Gomes e Hélder Postiga foram alguns dos jogadores mais utilizados como suplentes nesta prova.

 

Lista de Jogadores convocados

Guarda Redes

ricardo quim vale
Ricardo

(Sporting)

Quim

(Benfica)

Bruno Vale

(FC Porto)

 

Defesas

caneira meira miguel carvalho
Caneira

(Valência)

Fernando Meira

(Estugarda)

Miguel

(Valência)

Ricardo Carvalho

(Chelsea)

paulo valente costa
Paulo Ferreira

(Chelsea)

Nuno Valente

(Everton)

Ricardo Costa

(FC Porto)

 

Médios

petit costinha maniche tiago
Petit

(Benfica)

Costinha

(Dín. Moscovo)

Maniche

(Dín. Moscovo)

Tiago

(Lyon)

deco viana figo simao
Deco

(Barcelona)

Hugo Viana

(Valência)

Luís Figo

(Real Madrid)

Simão

(Benfica)

 

Avançados

ronaldo postiga nuno pauleta
C. Ronaldo

(Man. United)

Hélder Postiga

(Saint-Étienne)

Nuno Gomes

(Benfica)

Pauleta

(PSG)

boa morte
Boa Morte

(Fulham)

 

Seleccionador Nacional

scolari
Luís Filipe Scolari

 

 

FASE DE QUALIFICAÇÃO: 1º lugar sem derrotas

País J V E D GM GS +/- Pnt
Flag of Portugal.svg Portugal 12 9 3 0 35 5 +30 30
Flag of Slovakia.svg Eslováquia 12 6 5 1 24 8 +16 23
Flag of Russia.svg Rússia 12 6 5 1 23 12 +11 23
Flag of Estonia.svg Estónia 12 5 2 5 16 17 -1 17
Flag of Latvia.svg Letónia 12 4 3 5 18 21 -3 15
Flag of Liechtenstein.svg Liechtenstein 12 2 2 8 13 23 -10 8
Flag of Luxembourg.svg Luxemburgo 12 0 0 12 5 48 -43 0

 

Portugal venceu 9 dos 12 jogos do apuramento para o Mundial da Alemanha, sofrendo apenas um total de 5 golos, contra 35 marcados. A equipa lusa cedeu apenas 3 empates, contra Liechtenstein – surpreendentemente -, Rússia e Eslováquia. O ponto alto da qualificação foi a goleada imposta à Rússia, adversário directo, a 13 de Outubro no estádio da Luz, por 7-1. Esta seria uma vitória que lançaria uma autêntica revolução no futebol russo daí em diante.

Pauleta, o avançado açoreano, foi o melhor marcador da fase de qualificação, tendo feito balançar as redes adversárias em 11 ocasiões.

 

 

Fase de Grupos: Sem espinhas. Só vitórias.

Ditou o sorteio que a selecção portuguesa iria defrontar as formações de Angola, Irão e México, na fase de grupos do Mundial da Alemanha. Tal como na fase de qualificação, Portugal passou a fase de grupos tranquilamente,vencendo todos os três encontros e já tendo garantida a passagem aos oitavos-de-final antes da última jornada.

GRUPO D P J V E D GM GS
1
Portugal Portugal
9 3 3 0 0 5 1
2
México México
4 3 1 1 1 4 3
3
Angola Angola
2 3 0 2 1 1 2
4
Irão Irão
1 3 0 1 2 2 6
2006/06/11
Angola Angola
0-1
Portugal Portugal
2006/06/17
Portugal Portugal
2-0
Irão Irão
2006/06/21
Portugal Portugal
2-1
México México

 

 

Portugal Portugal – Angola Angola (1-0)

No primeiro jogo, em Colónia, Portugal apadrinhou a estreia da selecção Angolana na fase final de um Mundial e derrotou os “palancas”, por 1-0. Pauleta abriu o marcador bem cedo, aos 4 minutos, depois de uma jogada fantástica de Figo, que assistiu o ponta-de-lança, que apenas teve de encostar. Antevia-se uma goleada, mas Angola conseguiu equilibrar relativamente bem o encontro e, apesar de dispor de algumas ocasiões, Portugal não conseguiu dilatar a vantagem.

 

Portugal Portugal – Irão Irão (2-0)

No segundo encontro da fase de grupos, Portugal mediu forças com a selecção Iraniana, em Frankfurt. Ao contrário do jogo com Angola, a equipa orienta por Scolari sentiu maiores dificuldades para quebrar a defesa do Irão e só aos 63 minutos conseguiu abrir o marcador, pelos pés de Deco. O médio do Barcelona inaugurou o marcador com um forte remate à entrada da área. Cristiano Ronaldo iria fixar o resultado final em 2-0, através da conversão de uma grande penalidade.

 

Portugal Portugal – México México (2-1)

No último jogo do grupo, Portugal já tinha a qualificação garantida e, por isso, rodou quase meia equipa frente ao México. Caneira, Petit, Simão, Tiago e Postiga entraram para o «onze» que derrotou a formação sul americana.

Logo aos 6 minutos, Maniche rematou forte e colocado, após passe de Simão, e assinou mais um grande golo na carreira internacional. Aos 24 minutos, Simão Sabrosa converteu uma grande penalidade e, ainda na primeira parte, à passagem da meia hora, Kikin Fonseca  fechou o resultado em 2-1. Na segunda parte, os mexicanos ainda tiveram uma oportunidade de ouro para igualar o resultado, também na sequência de um penalti provocado por Miguel, mas Bravo foi incapaz de converter o castigo máximo.

 

OITAVOS-DE-FINAL: espremer novamente a laranja 

Portugal Portugal Holanda Holanda (1-0)

Foi um dos jogos mais indisciplinados a que se assistiu em fases finais de Mundiais. 16 cartões amarelos e 4 cartões vermelhos mancharam um jogo que Portugal venceu com justiça, por 1-0. Logo aos 2 minutos de jogo, o árbitro Russo admoestou Van Bommel com o amarelo e a partir deste momento, sucederam-se entradas duras de parte a parte, com ambas as equipas a terminarem o encontro reduzidas a 9 unidades.

Para a história ficou o único golo da partida, novamente pelos pés de Maniche, que, aos 23 minutos, atirou para o fundo das redes. Até ao fim do jogo a Holanda teve boas oportunidades para empatar a partida mas não conseguiu concretizar.

 

QUARTOS-DE-FINAL: os ingleses e os penaltis

Portugal Portugal Inglaterra Inglaterra (0-0)

Nos quartos de final, tal como tinha acontecido no Euro 2004, Portugal ia medir forças com a selecção Inglesa. Portugal entrou bem e determinado a marcar primeiro mas não conseguiu traduzir em golos o seu poderio ofensivo. Aos 62 minutos, Rooney foi expulso, por agredir Ricardo Carvalho, e tornou mais fácil o caminho de Portugal para a vitória, que mesmo assim não chegou durante o tempo regulamentar. Nem no prolongamento, novamente. Postiga ainda chegou a introduzir a bola na baliza e, quando todos pensavam que o avançado do Tottenham daria novamente o apuramento sobre a Inglaterra, o golo acabou por ser anulado por fora-de-jogo.

O jogo seguiu para penaltis, novamente, e à semelhança daquilo que aconteceu em 2004, Ricardo voltou a ser herói, ao defender as grandes penalidades de Lampard, Gerrard e Carragher. 3-1 foi o resultado final do desempate e Portugal estava, 40 anos depois, apurado para as Meias-Finais de um Mundial.

 

MEIAS-FINAIS: a queda habitual aos pés da França

Portugal Portugal França França (0-1)

Como não há duas sem três, à terceira não foi de vez. Ainda com o sabor amargo da derrota polémica nas meias do Euro 2000 (e de 1984), Portugal queria vingar a derrota e qualificar-se para a final pela primeira vez na sua história.

No entanto, as suas aspirações caíram por terra, quando o Uruguaio Larrionda apontou para a marca do castigo máximo, após considerar que houve falta de Ricardo Carvalho sobre Henry. Zidane, outra vez ele seis anos depois, não perdoou e fez o 1-0.

Ainda durante a primeira parte, os Portugueses reclamaram uma grande penalidade mas sem sucesso, o árbitro da partida nada assinalou.

A sorte voltou a não sorrir à selecção Lusa, que saía eliminada novamente de forma polémica frente à França.

 

TERCEIRO E QUARTO LUGAR: Já sem motivação

Alemanha Alemanha – Portugal Portugal (3-1)

Portugal defrontou a anfitriã Alemanha no jogo de atribuição do 3º lugar, já mentalmente e fisicamente desgastada. Os alemães bateram Portugal por 3-1 com dois golos de Schweinsteiger e um auto-golo de Petit, após cruzamento do mesmo jogador. O golo de Portugal foi apontado por Nuno Gomes, já muito perto do apito final. A selecção Portuguesa terminava então a sua participação no Mundial da Alemanha no 4º Lugar.
5137 Visualizações 2 Total

References:

http://www.portugalvivo.com/os-23-portugueses-pelo-mundial.html

http://www.zerozero.pt/edicao.php?id_edicao=560

5137 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.