Ensino e aprendizagem

Ensino e aprendizagem dizem respeito à capacidade dos professores para transmitir conhecimento e dos alunos para o adquirir através do estudo.

Ensino e aprendizagem

Ensino e aprendizagem dizem respeito à capacidade dos professores para transmitir conhecimento e dos alunos para o adquirir através do estudo.

 

Para Mahoney e Almeida (2005) o processo de ensino e aprendizagem devia ser analisado enquanto unidade, através da relação interpessoal e necessária entre professor e aluno, o que faz com que ambas as partes cresçam em simultâneo ao longo deste processo.

Moura, Araújo, Moretti, Panossian e Ribeiro (2010) abordam o processo de ensino e aprendizagem mediante variáveis relacionadas com a educação, o desempenho, a motivação, a estrutura e o comportamento de toda a comunidade escolar.

A propósito das variáveis relacionadas com o processo, alguns estudos evidenciaram que o mesmo depende, significativamente, da afetividade dos elementos integrantes, pelo que, um grau elevado da mesma, aumenta, consideravelmente a eficácia do ensino e da aprendizagem (Mahoney, & Almeida, 2005).

Devemos compreender este processo como uma simbiose entre os professores e os alunos, de teor pedagógico, na medida em que ambos são interdependentes tanto no que concerne ao ensino como no que concerne ao produto final, acerca da educação (Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010).

Para que tal seja possível, é necessário que os professores assumam, na integra, o seu papel, pelo que é importante que integrem programas de formação promotores do afeto necessário para se conseguir um processo simbiótico de sucesso (Mahoney, & Almeida, 2005).

Os autores propõem alguns tópicos que visam criar a oportunidade de fazer com que ensino e aprendizagem possam acontecer de forma eficaz:

  • Relação funcional entre o indivíduo e o meio escolar;
  • Afetividade, ou seja, emoções, sentimentos, gosto pelo que se faz;
  • Adaptação da afetividade entre ambas as partes, de acordo com as diferentes fases de desenvolvimento da criança.

(Mahoney, & Almeida, 2005).

Neste processo, a atividade de ensinar, visa incluir novos elementos na comunidade escolar, cuja participação deve ser ativa, como aprendizes, na busca de uma construção da cultura humana, de cidadania bem como de desenvolvimento e promoção das suas capacidades (Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010).

Assim, ensino e aprendizagem pressupõem a construção e a produção de conhecimento (Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010).

Mahoney e Almeida (2005) viam esta construção do conhecimento como um processo único, já que as partes integrantes, isto é, professores e alunos, fazem parte dos mesmos programas, o que significa que a evolução e o crescimento acontece com ambos.

De acordo com os trabalhos de Vigotski (2002, p. 115, cit in Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010), o processo de aprendizagem dá-se por meio do contato do indivíduo com o ambiente físico e social, através de instrumentos como a capacidade linguística, desenvolvida ao longo do crescimento.

De referir que, embora associada ao ambiente, físico e social, a aprendizagem, além do seu teor espontâneo, também é um processo cultural (Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010).

Para compreender a ligação entre o ensino e a aprendizagem, podemos dizer, então, que os mesmos estão intimamente ligados ao desenvolvimento psicológico em que o indivíduo se encontra, nas diferentes fases desse processo educativo (Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010).

“… resulta claro então que a assimilação de um sistema científico de conceitos e das consequentes estruturas da atividade psíquica, assim como o desenvolvimento multilateral e uniforme do aluno não são possíveis mediante somente uma aprendizagem incidental asseado na atividade vital “natural”.”

(Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010, p. 209).

O fenómeno de aprendizagem, quando relacionado com o processo de ensino, acontece, assim, por meio do estudo feito pelo aluno (Moura, Araújo, Moretti, Panossian, & Ribeiro, 2010).

Tendo em conta que se trata de um processo mútuo, Mahoney e Almeida (2005) defendiam que, além de ensinar, os professores devem confiar nas capacidades dos seus alunos, pelo que, esta estratégia é das mais significativas para promover o sucesso e o desenvolvimento dos mesmos, bem como o seu.

O empenho dos professores no ensino das suas áreas específicas, é a forma de comunicar com os alunos e promover as suas habilidades face às mesmas (Mahoney, & Almeida, 2005).

Conclusão

Ensino e aprendizagem mostram-se como um processo único, formado por uma relação interpessoal entre professores e alunos. Este processo está intimamente ligado à afetividade e à motivação sentidas por ambas as partes para que o produto final, isto é, aquisição de conhecimento, aconteça de forma eficaz.

974 Visualizações 1 Total

References:

  • Mahoney, Abigail Alvarenga, & Almeida, Laurinda Ramalho de. (2005). Afecvidad y el processo enseñar-aprender: las contriubociones de Henri Wallon. Psicologia da Educação, (20), 11-30. Recuperado em 03 de novembro de 2016 de http://pepsic.bvsalud.org;/scielo.php?pid=S1414-69752005000100002&script=sci_arttext&tlng=es
  • Moura, M.O., Araújo, E.S., Moretti, V.D., Panossian, M.L., & Ribeiro, F.D. (2010). ATIVIDADE ORIENTADORA DE ENSINO: unidade entre ensino e aprendizagem. Revista diálogo educação, Curitiba, v.10, n.29, p.205-229, jan/abr. 2010. Recuperado a 03 de novembro de http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/dialogo?dd1=3432&dd99=view&dd98=pb.
974 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.