Comportamento animal

A relevância do comportamento animal deve-se ao fato de nos clarificar em muitos aspetos a compreensão do comportamento humano.

Comportamento animal

A relevância do comportamento animal deve-se ao fato de nos clarificar em muitos aspetos a compreensão do comportamento humano. Nas linhas abaixo iremos compreender em que medida podemos assumir esse paralelismo.

A importância deste estudo deve-se ao seu paralelismo com o estudo do comportamento humano no seu ambiente que nos ajuda a entender os problemas sociais do ser humano (Snowdon, 1999).

O autor defende que o comportamento animal é percebido segundo uma interação entre a investigação em biologia e em ecologia, entre os organismos e o ambiente, entre o sistema nervoso e o ecossistema (Snowdon, 1999).

Bueno (1997) a propósito dessa interação dos animais com o meio que nos permite estudar o seu comportamento, menciona que é necessário ter em conta características ambientais como a pressão do ar, a luz, os estímulos, o canto dos pássaros, as relações espaciais (estrelas), etc.

Como já referimos o comportamento animal ajuda-nos a compreender o comportamento humano, o que, do ponto de vista das neurociências, se torna numa grande mais valia, já que permite estruturar meios de educação mais eficazes e funcionais para as futuras gerações da ciência (Snowdon, 1999).

Contribuições da investigação do comportamento animal e da sua capacidade de adaptação para a compreensão do comportamento humano

Ao longo da história da evolução das espécies, a observação do comportamento dos animais dá uma alavanca para observar a sociedade (Snowdon, 1999). Por exemplo, no que concerne ao homicídio, estudos demonstram que em alguns casos de abuso infantil, a teoria de base para estudar o flagelo, está relacionada com o infanticídio de origem animal (Snowdon, 1999).

Wall (s.d., cit in Snowdon, 1999) realizou um estudo em que se podia perceber claramente o comportamento agressivo de seres humanos à luz da observação de da reconciliação de grupos de chimpanzés e outros primatas.

A par destas descobertas, diferentes nomes importantes da ciência, como Charles Darwin, estudaram o comportamento animal, a partir das emoções para compreender a sua influência no estudo do comportamento emocional humano (Snowdon, 1999).

Jean Piaget, aquando do seu estudo sobre a evolução cognitiva humana, começou por estudar algumas espécies de animais diferentes que lhe permitiram estabelecer a ponte para o estudo do comportamento humano, o leva a concluir que o estudo do comportamento animal foi um marco fundamental para a evolução dos estudos acerca do comportamento humano (Snowdon, 1999).

 Diferenças no que concerne à adaptação entre as espécies aos vários habitats, demonstraram que a mesma difere ente os diferentes tipos de animais, sendo uns mais adaptativos e outros mais limitados (Snowdon, 1999) embora, pelos estudos de Bueno (1997) consigamos chegar à conclusão que, habitualmente os animais conseguem adaptar-se às alterações climatéricas e ao que acontece à sua volta.

Assim podemos entender que a compreender a capacidade de adaptação animal, nos permite promover o seu bem-estar e tornar-nos mais sensíveis as alterações climatéricas e respetiva degradação do ambiente que prejudicam a vida das espécies animal, ajuda a que possamos compreender a sua capacidade de adaptação (Snowdon, 1999).

Segundo Snowdon (1999) verificamos que, por exemplo, o comportamento sexual dos animais está ligado à qualidade do ambiente em que eles vivem, que faz com que, quanto menos condições tiver esse ambiente, menor será a frequência e a capacidade de reprodução das espécies (Snowdon, 1999).

No entanto, é preciso reconhecer que os animais têm a enorme capacidade de formar representações a partir dos estímulos que vão encontrando, como por exemplo, na busca de alimento, se encontram algo venenoso, reconhecem as marcas do veneno presentes no estímulo, por experiência antecipada, ou então, reconhecem os seus grupos de espécies quando aprendem a reconhecer os membros que as constituem (Bueno, 1997).

Não podemos deixar de mencionar aqui o reflexo condicionado de Pavlov que nos explica claramente como um estimulo pode condicionar outro através da experiência (Bueno, 1997).

É devido a todas estas capacidades de aprendizagem, representação e reação a estímulos que, cada vez mais, vemos crescer a produção de material de estudo do comportamento dos animas, seja na televisão, nos filmes, na internet, nos livros, etc, uma vez que o ser humano se move cada vez mais pela sua curiosidade em interpretar este comportamento (Snowdon, 1999).

Conclusão

A importância de estudar o comportamento animal deve-se ao paralelismo que encontramos entre este e o comportamento humano, o que nos ajuda a observar de forma mais clara as interações sociais. Verificamos que os animais, devido às alterações ambientais e climatéricas, têm vindo, ao longo da história da evolução, a adaptar-se a diferentes habitats.

2176 Visualizações 1 Total

References:

  • Bueno, J.L.O. (1997). O IMAGINÁRIO ANIMAL. SCIELO BRASIL – scielo.br. Psicol. USP vol.8 n.2. Acedido a 19 de maio de 2016 em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-65641997000200009&script=sci_arttext&tlng=es
  • Snowdown, C.T. (1999). O significado da pesquisa em Comportamento Animal. [em linha] SCIELO – scielo.br. Estudos de Psicologia 4(2), 365-373.
2176 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.