Vitamina A

A vitamina A é uma vitamina lipossolúvel e é biossintetizada a partir de compostos de origem vegetal chamados de carotenoides, sobretudo o β-caroteno.

Existem três formas ativas de vitamina A designadas coletivamente de retinoides. Assim, estes compostos incluem:

a) O retinol– a vitamina A em forma de álcool;

b) O retinal – a vitamina A em forma de aldeído;

c) O ácido retinoico – a vitamina A em forma de ácido.

Embora todas estas três formas desempenhem funções essenciais, o retinol é considerado o elemento chave da família dos compostos da vitamina A. Efetivamente, a unidade padrão para quantificar a atividade biológica das várias formas de vitamina A e os seus percursores é conhecida como equivalente de atividade de retinol (RAE).

Nos humanos, o retinol é facilmente convertido em retinal que por sua vez pode ser reconvertido de volta a retinol ou ser convertido irreversivelmente a ácido retinoico. A natureza interconvertível do retinol e do retinal permite-lhes sustentar todas as atividades da vitamina A.

Retinol <-> Retinal -> ácido retinoico

Pigmentos vegetais de cor alaranjada designados carotenoides são percursores da vitamina A. O corpo converte alguns carotenoides, compostos de provitamina A, em vitamina A com diferentes graus de eficiência. O β-caroteno pode ser clivado em 2 moléculas de retinal e tem o maior potencial de atividade de vitamina A dos compostos de provitamina A, isto é, o β-caroteno, entre todos os carotenoides com atividade de provitamina A, é o que apresenta maior rendimento de produção de vitamina A.

Funções no organismo

A vitamina A desempenha um papel crucial na visão como parte do composto rodopsina nas células bastonetes da retina. Quando a luz entra na retina, a rodopsina separa-se, altera de forma e envia um impulso nervoso ao cérebro. Quando a quantidade de vitamina A é inadequada, a falta de rodopsina torna difícil ver em luz fraca.

A vitamina A também está envolvida na diferenciação, crescimento e desenvolvimento celulares, no sistema imune, e na saúde das células da pele e dos ossos.

A deficiência na vitamina provoca a progressiva perda de visão desde cegueira noturna temporária, reversível até permanente. Adicionalmente, a falta de secreções mucosas e reduzida imunidade torna o paciente vulnerável a infeções.

Armazenamento de vitamina A

O fígado armazena mais de 90% do vitamina A encontrada no corpo humano, enquanto que o restante é depositado no tecido adiposo, pulmões e rins. A forma principal de armazenamento de vitamina A é o éster de retinil – resíduo de retinol ligado a um ácido gordo, frequentemente ácido palmítico. O fígado acumula gradualmente reservas de vitamina A e liberta retinol em quantidades adequadas para manter o nível normal de retinol no sangue.

Transporte e distribuição da vitamina A

A vitamina A, como outras vitaminas lipossolúveis, necessita de proteínas carrier para transportá-la na corrente sanguínea até ao local de destino. As proteínas de ligação ao retinol (RBP do inglês retinol binding proteins) transporta o retinol libertado do fígado e entrega à célula destinária que pode converter o retinol em retinal ou ácido retinóico consoante as necessidades. A síntese contínua de RBP requer a presença de zinco.

Dose diária recomendada e fontes alimentares

Diferentes retinoides e carotenoides fornecem diferentes quantidades de vitamina A. As recomendações dietéticas foram desenvolvidas a partir de medições padronizadas baseadas no retinol chamando-se equivalente de atividade de retinol (RAE) que reconcilia as diferenças de biodisponibilidade dos carotenoides. Por exemplo, 12 µg de β-caroteno alimentar corresponde a 1 RAE.

A dose diária recomendada (DDR) de vitamina A para homens de 14 anos ou mais velhos é de 900 µg ERA; para mulheres da mesma faixa etária é 700 µg RAE.

A vitamina A é encontrada como retinol em alimentos de origem animal e como carotenoides precursores da vitamina em alimentos de origem vegetal:

a) O retinol está disponível em apenas alguns alimentos de origem animal, nomeadamente, o fígado, óleo de fígado de peixe, gordura do leite (e.g. manteiga) e gema de ovo.

b) Os carotenoides são encontrados em frutas de cor alaranjada (e.g. pêssego, alperce, manga), vegetais também de cor alaranjada (e.g. cenoura, abóbora, batata doce) e vegetais de folha verde escura (e.g. espinafres, brócolos).

Adicionalmente, existe alimentos fortificados com vitamina A (na forma de retinil pamitato ou retinil acetato) como as margarinas e alguns cereais de pequeno-almoço.

4416 Visualizações 2 Total

References:

  • Crandall C. (2004).Vitamin A intake and osteoporosis: a clinical review. Journal of Women’s Health, 13(8): 939–953.
  • Krinsky, N.I., Johnson, E.J. (2005). Carotenoid actions and their relation to health and disease. Molecular Aspects of Medicine, 26: 459–516.
4416 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.