Nutrição

A nutrição é a ciência que estuda os alimentos e os seus componentes (nutrientes e outras substâncias), incluindo a relação entre a saúde e as doenças (efeitos, interações e equilíbrios), processos que ocorrem no corpo (ingestão, digestão, absorção, transporte, função e eliminação dos produtos finais) e, finalmente, as implicações fisiológicas, culturais, económicas e sociais de se comer.

Os nutrientes fornecidos pelos alimentos

Os alimentos são constituídos por seis tipos diferentes de nutrientes:

  1. a água;
  2. as proteínas;
  3. os glúcidos também chamados de glícidos ou hidratos de carbono;
  4. os lípidos ou gorduras;
  5. as vitaminas;
  6. os minerais.

A água, os glúcidos, as proteínas e os lípidos são necessários em grandes quantidades e, por isso, são chamados de macronutrientes. Já o corpo necessita de quantidades comparativamente menores de vitaminas e minerais, atribuindo-lhes a designação de micronutrientes.

Alguns destes nutrientes, como é o caso da água e dos minerais, têm uma estrutura química relativamente simples, são compostos inorgânicos.

Já os restantes nutrientes têm uma estrutura química complexa constituídos por átomos de carbonos e são designados por compostos orgânicos.

Os nutrientes que obtemos dos alimentos têm três funções principais e gerais:

  1. Contribuir para a estrutura das células e do corpo;
  2. Regular processos corporais e celulares;
  3. Fornecer energia.

A tabela seguinte resume a função de cada nutriente.

 

 

Componente estrutural

Componente regulador Componente fornecedor de energia

Classificação química

Macronutriente a) Proteínas

sim

sim

sim

Orgânico

b) Glúcidos

sim

não

sim

Orgânico

c) Lípidos

sim

sim

sim

Orgânico

d) Água

sim

sim não

Inorgânico

Micronutriente a) Vitaminas

não

sim

não

Orgânico

b) Minerais

sim

sim

não

Inorgânico

 

 

Orientações dietéticas para a nutrição humana

A escolha de alimentos para uma alimentação saudável baseia-se em três princípios: moderação, variedade e equilíbrio. Para ajudar as pessoas na escolha saudável dos seus alimentos foram desenvolvidas orientações dietéticas baseadas em dados científicos atuais.

Nesse sentido foram desenvolvidas pirâmides alimentares e rodas alimentares que ajudam a ilustrar as orientações dietéticas para a população geral e ajudam a visualizar a proporção e combinação que deve ser feita na escolha dos alimentos.

A roda alimentar, divulgada pela Associação Portuguesa de Nutricionistas (ver Figura 1), está dividida em 7 grupos de alimentos de acordo com as suas semelhanças e características nutricionais mais a água no centro. O formato da roda permite uma associação com a forma de um prato e não hierarquiza os alimentos.

A roda de alimentos faz recomendações de alimentos e não de nutrientes. Estes últimos podem ser orientados pelas doses diárias recomendadas.

 

 

Os alimentos ingeridos são digeridos, absorvidos e eliminados

Para se obter os nutrientes fornecidos pelos alimentos, estes têm de ser processados por etapas sucessivas:

  1. Ingestão – em que o alimento é levado à boca, eventualmente mastigado e engolido;
  2. Digestão – os alimentos vão ser degradados pelo aparelho digestivo, pois os alimentos contêm geralmente macromoléculas que têm de ser reduzidas aos seus constituintes mais simples para poderem serem utilizados, por exemplo, as proteínas são degradas a aminoácidos, o amido dos cereais é hidrolisado até se obter moléculas simples de glucose, etc;
  3. Absorção – os nutrientes em formato de moléculas simples (e.g., aminoácidos, monossacarídeos) podem atravessar as membranas que revestem o trato digestivo para o sangue. Pelo sistema circulatório sanguíneo os alimentos são transportados e distribuídos pelas células do corpo;
  4. Egestão ou eliminação – os alimentos não digeridos nem absorvidos têm de ser removidos do corpo.

Os animais apresentam adaptações ao seu modo de nutrição

De acordo com o tipo de alimentos com que os animais se alimentam, eles são classificados como:

  1. Os herbívoros que são consumidores primários consomem grandes quantidades de alimentos vegetais e passam a maior parte da sua vida a comer, pois os alimentos não são eficientemente digeridos e são eliminados do corpo quase inalterados. Isto acontece porque as plantas são ricas em fibras indigestas como a celulose. Os ruminantes que têm um estômago dividido em quatro partes incluem no rúmen (a primeira parte do estômago) microrganismos que ajudam a digerir a celulose.
  2. Os carnívoros que são consumidores secundários alimentam de herbívoros ou de outros predadores. A carne é mais facilmente digerida do que os vegetais e, por isso, o trato digestivos dos carnívoros é menor que dos herbívoros.
  3. Os omnívoros alimentam de plantas e de animais e incluem os humanos e os porcos.

 

Figura 1 – A roda dos Alimentos. Adaptado da APN.

Figura 1 – A roda dos Alimentos. Adaptado da APN.

604 Visualizações 1 Total

References:

  • APN – Associação Portuguesa dos Nutricionistas. (n.d.). Retrieved July 19, 2016, from http://www.apn.org.pt/ver.php?cod=0E0C0D
  • Food-Based Dietary Guidelines in Europe. (n.d.). Retrieved July 19, 2016, from http://www.eufic.org/article/en/expid/food-based-dietary-guidelines-in-europe/
  • Insel, P. Turner, R.E., Ross, D. (2007). Nutrition. Massachusetts: Jones and Barlett Publishers, Inc.
  • Solomon, E. P., Berg, L. R., & Martin, D. W. (2008). Biology. Australia: Thomson-Brooks/Cole.
604 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.