Stress familiar

O stress familiar diz respeito ao desencadear de sintomas de angústia, ansiedade, tensão emocional, causados por uma enorme sobrecarga em todos os elementos da família.

Este artigo é patrocinado por: «A sua instituição aqui»

O que é o stress familiar

O stress familiar diz respeito ao desencadear de sintomas de angústia, ansiedade, tensão emocional, causados por uma enorme sobrecarga em todos os elementos da família.

Alguns estudos mostram que os fatores que ativam o stress familiar podem ser de vários estímulos, sendo que, perante situações geradoras dos mesmos, a família inteira tem a necessidade de obter um determinado período de tempo para se organizar e gerir questões relacionadas com sobrecarga (Roncon, Lima, & Pereira, 2015).

Alguns dos mais conhecidos efeitos negativos que o stress familiar pode desencadear prendem-se com ansiedade, pânico, tensão, angustia, insónia, alienação, dificuldades nos relacionamentos interpessoais, dúvidas acerca de si mesmo, exagerada preocupação, dificuldade de concentração, incapacidade para relaxar, tédio, depressão e hipersensibilidade de ordem emotiva (Fávero, Santos, & Preto, 2005).

Entendemos que o stress familiar pode ser tanto físico, como psicológico, social ou financeiro, aliado a cenários que, de alguma forma, alteram a qualidade de vida dos membros (Roncon, Lima, & Pereira, 2015).

Estudos levados a cabo anteriormente por Fávero, Santos e Preto (2005) mencionavam já como o stress familiar pode levar a uma enorme sobrecarga que vai gerar bastante tensão emocional e, por consequência, desencadear os sintomas acima mencionados.

Uma das situações em que Roncon, Lima e Pereira (2015) encontram maior registo de fatores potenciadores de stress é em famílias onde existe alguém que precisa de cuidados redobrados, como por exemplo, idosos dependentes.

No entanto, os estudos demonstram a crença de se pode tratar de algo positivo quando a família se encontra na necessidade de se readaptar a uma nova situação, o que lhe promove a possibilidade de adquirir aprendizagem e desenvolvimento (Roncon, Lima, & Pereira, 2015).

Conclusão

Tendo em conta aquilo que nos dizem os estudos acerca do assunto, podemos entender o stress familiar como um fator que envolve todos os membros de uma tal forma que, para que seja gerido de forma saudável, todos têm de se ajustar às novas circunstancias quando as mesmas aparecem. Podemos aqui falar de vários cenários tais como o cuidado de um membro idoso ou a condição especial de um membro, no entanto, em todas as circunstancias, há sempre necessidade de gerir situações potenciadoras de angústia, pressão, ansiedade, entre outros sintomas causados pelo stress. Necessário também, é compreender que o mesmo não pode ser visto apenas de uma forma negativa, já que a necessidade de ajuste promove a aprendizagem e desenvolvimento de todos.

388 Visualizações 1 Total

References:

  • Fávero, M.A.B, & Santos, M.A. (2005). Autismo Infantil e Estresse Familiar: Uma Revisão Sistemática da Literatura. Psicologia: Reflexão e Crítica, 2005, 18(3), pp. 358-369.
  • Roncon, J, Lima, S, & Pereira, M.G. (2015). Qualidade de vida, Morbilidade Psicológica e Stress Familiar em Idosos Residentes na Comunidade. Psicologia: teoria e pesquisa. Jan-Mar 2015, Vol. 31 n. 1, pp.87-96. Disponível em http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/39725
388 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.