Fracasso escolar

O fracasso escolar associa-se, na maioria dos casos ao ambiente em que a criança vive, versus, o ambiente escolar, ou ainda à individualidade do aluno.

O fracasso escolar associa-se, na maioria dos casos ao ambiente em que a criança vive, versus, o ambiente escolar, ou ainda à individualidade do aluno.

Segundo os estudos de Souza (2006) existem vários motivos que levam ao fracasso escolar dos alunos pelo que os mesmos estão associados a três agentes sendo eles alunos, pais e professores.

Algumas das características verificadas por esta autora situam-se dentro da sala de aula e de acordo com a forma como se organizam as práticas escolares em que se colocam turmas muito homogéneas que fazem com que alunos considerados fracos fiquem logo estigmatizados (Souza, 2006). Crianças que se inserem nestes quadros de aprendizagem têm de se adaptar e ajustar à escola e ao ambiente escolar, sem que haja preocupação com a individualidade de cada um (Angelucci, Kalmus, Paparelli, & Patto, 2004).

Em algumas situações extremas assiste-se a cenários em que as crianças têm vários professores num único ano, sujeitas a constantes repreensões e humilhações, ou então prática de atividades e exercícios que não têm qualquer significado (Souza, 2006).

Por vezes, Sousa (2006) refere, de acordo com a sua investigação, que existem casos em que as próprias expectativas em relação às crianças são menos favoráveis devido ao meio onde se inserem, devido a preconceitos sociais, como no caso de crianças pobres, negras, etc.

Nestas circunstâncias, a instituição defende que o cenário pressupõe que o fracasso escolar de crianças em situações menos favorecidas se deve ao seu nível sócio-económico (NSE) portanto, a fatores totalmente externos à escola (Angelucci, Kalmus, Paparelli, & Patto, 2004).

Existem ainda cenários em que a própria relação entre os professores e os alunos é pautada pela insubordinação, fruto de regras autoritárias e desprovidas de qualquer sentido (Souza, 2006).

Outros autores mencionam ainda questões psíquicas que fazem com que a criança desenvolva perturbações de ansiedade, agressividade, dificuldade de atenção, dependência, entre outros (Angelucci, Kalmus, Paparelli, & Patto, 2004).

Conclusão

O fracasso escolar é visto de diferentes formas em diferentes situações sendo que os fatores mais apontados são associados a questões de NSE ou à dificuldade da escola em se adaptar à individualidade de cada aluno, obrigando a que aconteça, na esmagadora maioria das vezes, o inverso. Verifica-se ainda que para além do NSE, existem outros fatores que geram o preconceito, como pertencer a um grupo minoritário ou ser de raça negra, que, ainda nos dias de hoje leva a que a criança seja colocada de parte, desenvolvendo problemas emocionais e psíquicos como ansiedade, depressão, agressividade, entre outros.

363 Visualizações 1 Total

References:

  • Angelucci, C.B, Kalmus, J, Paparelli, R, & Patto, M.H.S (2004) O estado da arte da pesquisa sobre o fracasso escolar (1991-2002): um estudo introdutório. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n.1, p. 51-72, jan./abr. 2004;
  • Souza, D.T.R. (2006). Formação continuada de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.32, n.3, p. 477-492, set./dez. 2006. Recuperado em 5 de setembro de 2018 de http://www.redalyc.org/html/298/29832304/.
363 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.