Nazaré (Portugal)

Apresentação da vila da Nazaré e do seu concelho: caracterização sócio-económica, histórica, heráldica, património histórico, edificado e património natural.

Nazaré é uma vila portuguesa e sede de concelho pertencente ao distrito de Leiria localizada na região Centro e sub-região do Oeste. Segundo os Censos de 2011, a vila de Nazaré conta com 9.788 pessoas e o município conta com uma área de 82,43 km² e tem uma população de 15.158 habitantes num total de 3 freguesias, a saber: Famalicão, Nazaré e Valado dos Frades. Faz fronteira com o concelho de Alcobaça e com o Oceano Atlântico.

 

Fotografado no local de carga dos ascensores, 04-07-05

Fotografado no local de carga dos ascensores, 04-07-05

História da vila:

O território ao qual pertence actualmente o concelho da Nazaré foi até 1912 designado como Pederneira. A este concelho foi concedido foral em 1514, por D. Manuel I e integrou os coutos de Alcobaça. Durante o período dos Descobrimentos portugueses, a Pederneira teve um dos mais activos estaleiros navais do reino. Daí saíram muitas naus e caravelas, foram escoadas muitas mercadorias e madeiras do Pinhal do Rei e que seguiam para a capital ou para além-mar. Nos finais de setecentos assiste-se a uma decadência da Pederneira devido ao desenvolvimento do sítio, que até à altura era um local de difícil acesso, e devido ao afastamento do mar e o aparecimento da praia. O povoamento do sítio esteve bastante ligado a condições naturais e também a condições religiosas. Aliás, o topónimo Nazaré está associado a uma Lenda sobre uma imagem da Virgem oriunda de Nazareth, na Palestina, e que esteve escondida durante séculos no Sítio e ao milagre da Virgem ao cavaleiro D. Fuas Roupinho, em 1182. Com a criação e instalação do elevador mecânico em 1889, este local passará a ser ainda mais visitado por romeiros e por peregrinos.

O aparecimento da praia da Nazaré, propriamente dito, é relativamente recente. A zona que hoje é ocupada pelas casas, era na época um território ocupado por dunas e pela foz do rio Alcoa, pois os pescadores locais tinham as suas casas nas partes altas devido aos constantes ataques piratas. As primeiras referências sobre a ocupação e sobre a pesca na praia surgem apenas em 1643. Mas é só nos inícios de oitocentos, depois das invasões francesas que, de facto, se começam a criar condições de segurança para que a população se começasse a fixar no areal. Apesar de durante o século XX a pesca, a transformação do pescado e a sua venda terem sido as principais actividades da população é ainda durante  este  século que se assiste a uma mudança na vila. A vila piscatória passa a ser uma vila dedicada cada vez mais ao turismo. Na década de 60, devido ao Turismo a vila da Nazaré passou a ser reconhecida internacionalmente.

Ainda hoje existe na Nazaré marcas dos tempos idos. O actual bairro da Pederneira, mantém ainda o edifício dos antigos Paços do Concelho, o Pelourinho, a Igreja Matriz e a Igreja da Misericórdia. E ainda é mantida por algumas mulheres da terra a tradição nazarena das sete saias. A explicação para o uso das sete saias não é consensual. No entanto, diz-se estar associada à fauna marítima. As setes saias usadas pelas mulheres, a camisa de flanela e o barrete preto usados pelos homens atraíram desde sempre grandes nomes da pintura e da fotografia, durante os anos 50 e 60. Estes representaram em suas obras a vida quotidiana e as tradições daquelas gentes. Actualmente a Nazaré é também reconhecida pelo recorde mundial da maior onda já surfada: 30 metros, por Garrett McNamara.

filmers-at-large-nazare-empty

Património Natural e Edificado:

No que toca ao Património Edificado do concelho de Nazaré é dado relevo ao religioso com um conjunto de Edifícios que importa destacar: Igreja de São Gião, a Capela de Nossa Senhora dos Anjos, a Igreja de Nossa Senhora da Nazaré, a Igreja da Misericórdia da Pederneira e a Capela de Nossa Senhora da Nazaré. O Forte de São Miguel Arcanjo é, também, uma infra-estrutura de relevo que, ao longo destes anos, ganhou destaque por ser um local privilegiado para visualização das ondas gigantes. A Casa-Museu do Pescador e o Museu Dr. Joaquim Manso são dois edifícios de interesse cultural que convém destacar na Nazaré. No que toca ao património Natural e como é óbvio, as praias com as suas ondas gigantes são o maior destaque do concelho.

brasão nazareBrasão da Vila:

O Brasão da Vila de Nazaré tem um Escudo verde, com uma torre coberta e rematada por uma cruz, tudo de prata, aberta e iluminada de vermelho, assente num cômoro de sua cor, realçado de negro e de verde, cortado por três faixas ondadas, duas de prata e uma de verde, na qual assentam dois golfinhos afrontados de ouro, realçados de negro, com as caudas levantadas, acompanhando a torre. Coroa de mural de prata de quatro torres. Listel branco com a palavra :” NAZARÉ “, a negro.

 

Acordos de Geminação e Cooperação:

A vila de Nazaré conta com 4 acordos de cooperação e geminação, a saber:

  • Badajoz é uma cidade da Estremadura Espanhola com cerca de 150.000 habitantes (sem data disponível)
  • Nogent-sur-Marne é uma comuna francesa perto de Paris com mais de 31.000 habitantes (desde 26 de Fevereiro de 1993)
  • Pipa é uma praia do Estado de Natal, no Brasil, turística pelas ondas tal como Nazaré (sem data disponível)
  • Zushi é uma vila japonesa com cerca de 60.000 habitantes (desde 1 de Julho de 2004)
600 Visualizações 1 Total
600 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.