Alcobaça (Portugal)

Apresentação da cidade de Alcobaça e do seu concelho: caracterização sócio-económica, histórica, heráldica, património histórico, edificado e património natural.

Alcobaça é uma cidade portuguesa e sede de concelho localizado no distrito de Leiria localizada na região Centro e sub-região do Oeste. Segundo os Censos de 2011, a cidade de Alcobaça conta com 5786 pessoas e o município conta com uma área de 408,14 km² e tem uma população de 56 693 habitantes num total de 13 freguesias, a saber: União de Freguesias de Alcobaça e Vestiaria, Alfeizerão, Aljubarrota, Bárrio, Benedita, Cela, União de Freguesias de Cós, Alpedriz e Montes, Évora de Alcobaça, Maiorga, União de Freguesias de Pataias e Martingança, São Martinho do Porto, Turquel e Vimeiro. Faz fronteira com os Concelhos da Marinha Grande a norte, a leste por Leiria, Porto de Mós e Rio Maior, a sudoeste pelas Caldas da Rainha e a oeste pela Nazaré.

 mosteiroalcobaça

História da cidade:

Alcobaça nasceu entre os vales do Rio Alcoa e do Rio Baça. O território actual do concelho foi habitado pelos romanos mas diz a história que a denominação toponímica tem origem árabe. Aquando da Reconquista, a localidade tinha acesso ao mar e à grande Lagoa da Pederneira que atingia Cós. Através deste acesso navegavam embarcações que transportavam para o resto do país frutos deliciosos que se produziam na zona graças à técnica introduzida pelos monges de Cister.

As denominadas Terras de Alcobaça, foram doadas por Afonso Henriques aos monges Cistercienses, em 1153, com a obrigação de as arrotearem. As doações feitas ao longo dos vários reinados vieram a constituir “Os Coutos de Alcobaça”, um vastíssimo território. Os monges de Cister chegaram a ser senhores de 14 vilas.

Os monges de Alcobaça, além da actividade religiosa e cultural, ofereceram aulas públicas desde 1269. Nessas aulas, incluíam estudos de Humanidades, Lógica, Teologia e técnicas agrícolas. Desenvolveram uma grande acção colonizadora e perdurável, pondo em prática as inovações já experimentadas em outros mosteiros da Ordem de Cister. Graças a estas técnicas inovadoras conseguiram arrotear terras, secar pauis, introduzir culturas adequadas a cada terreno e organizar explorações ou quintas, a que chamaram granjas. Joaquim Vieira Natividade refere-se a estes monges como monges agrónomos.

O foral a este território foi concedido por D. Manuel I, em 1514. Em 1567, o Mosteiro de Alcobaça separou-se de Cister, para se tornar cabeça da Congregação Portuguesa, por bula do Papa Pio V. No século XVII, a maioria das terras do couto já pertenciam aos habitantes das vilas e dos seus concelhos.

Alcobaça foi destruída e sofreu grande inundação, devido ao grande terramoto de 1755. A partir desta época o Marquês de Pombal foi um grande impulsionador deste município. Durante as invasões francesas, o Mosteiro de Alcobaça foi alvo de pilharia. Tal como voltou a ser saqueado em 1833. A partir de 1834, com a extinção das ordens religiosas, parte do Mosteiro de Alcobaça foi vendido em hasta pública. A administração cisterciense, que durou cerca de 700 anos, marcou este território não só a nível agrícola. Desta presença existem inúmeros elementos arquitectónicos, sobretudo manuelinos, alguns pelourinhos e muitas casas rurais. Alcobaça foi elevada a categoria de cidade em 1995.
11143227_771871116265410_4374668562634374067_o-1024x576

Património Natural e Edificado:

A cidade de Alcobaça conta no seu Património Edificado com um dos edifícios mais reconhecidos a nível nacional, o Mosteiro de Alcobaça, primeira obra Gótica em Portugal. No Concelho, relevo para os Castelos de Alfeizerão e Alcobaça, Mosteiro de Santa Maria de Cós e os Museus de Faiança e do Vinho. No que respeita ao Património Natural, o Concelho de Alcobaça conta com várias zonas verdes, como o Pinhal de Leiria, a Mata do Gaio, a Mata Nacional do Vimeiro e parte do território faz parte do Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros. Conta com várias praias reconhecidas a nível nacional, como São Martinho do Porto e Pataias.

 

IM000711.JPG

IM000711.JPG

Brasão da Cidade:

O Brasão da Cidade de Alcobaça tem um Escudo vermelho, uma torre de ouro assente num contra-chefe de cinco faixetas ondeadas, três de prata e duas de azul, acompanhada por dois crescentes de ouro; chefe de azul, carregado de três flores-de-lis de ouro. Escudo cercado pelo colar da Ordem militar de Torre e Espada do valor, lealdade e mérito. Coroa mural de prata de cinco torres. Listel branco com os dizeres a negro : ” ALCOBAÇA “.

Acordos de Geminação e Cooperação:

cidade de Alcobaça  conta com 3 acordos de cooperação e geminação, a saber:

  • Aubergenville é uma comuna francesa que tem 12.126 habitantes (sem data disponível)
  • Cacuaco é uma vila angolana de Luanda com cerca de 26.ooo pessoas (desde 31 de Dezembro de 1996)
  • Chicopee é uma cidade do Estado de Massachusetts nos Estados Unidos que contabiliza 54.463 residentes (desde 11 de Janeiro de 1994)
763 Visualizações 1 Total
763 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.