Senhora da Graça (Ciclismo)

A subida da Senhora da Graça é dos momentos mais esperados numa Volta a Portugal, seja pela dureza da mesma, seja pela moldura humana.

Senhora da Graça é o nome dado ao cume do Monte Farinha (cuja designação se deve à sua orografia cónica que se assemelha a um monte de farinha), uma montanha com 947 metros de altura, localizada nas imediações da vila de Mondim de Basto, no distrito de Vila Real. No topo da montanha está localizado o Santuário da Nossa Senhora da Graça, o qual lhe dá o nome.

A subida à Senhora da Graça é um dos percursos habituais da Volta a Portugal em ciclismo, agregando uma grande comunidade de adeptos quando ali termina senhora-da-graca-ciclismo-01alguma etapa. A entrada desta subida no percurso da Volta a Portugal deu-se na sua 40ª edição, no ano de 1978. Nesta altura o percurso da Volta incluía já de outras dificuldades montanhosas, como a subida à Torre (no cume da Serra da Estrela), passando ambas as subidas a disputar entre si o ‘título’ de percurso mais icónico da prova lusitana. Desde então, a subida à Senhora da Graça só não esteve presente no percurso da prova em 1983; em 1980 estava presente no percurso mas a corrida foi neutralizada e não se chegou a subir até lá acima.

Com um desnível de 620 metros, a subida apresenta 8,5 quilómetros de subida sempre constante com muito poucas zonas de descanso. É uma subida que é feita a elevado ritmo e a maior dificuldade é na metade final da subida, como é possível observar na altimetria. Com percentagens de 10,5% inclinação máxima é uma subida de eliminação. E agora a subida está mais suavizada com um alcatrão melhor do que quando tinha um alcatrão de montanha, rugoso e que exigia mais potência aos atletas. A montanha é feita, inicialmente, com algumas rectas com algumas curvas abertas mas que à medida que se vai chegando ao topo, as curvas são mais fechadas e emsenhora-da-graca-ciclismo-02 cotovelo. Com a chegada dos últimos dois quilómetros para a meta, deixa de existir esse tipo de curvas e assistimos à aproximação da meta em forma de espiral.

Marco Chagas, Carlos Moreira, Jose Luis Rebollo, Quintino Rodrigues e João Cabreira foram os únicos ciclistas a bisar na subida da Nossa Senhora da Graça. Rodrigues e Cabreira foram desclassificados por alegada utilização de “doping”.

Marco Chagas, em 1985; Jorge Silva, em 1991; Massimiliano Lelli, em 1996; Zenon Jaskula, em 1997 e David Blanco, em 2010 foram os vencedores na etapa e na classificação geral final da Volta no mesmo ano. Marco Chagas, Venceslau Fernandes, Manuel Cunha e Claus Moller venceram na Senhora da Graça e, em anos seguintes, a classificação geral da Volta.

José Santos é o director desportivo com mais vitórias na subida de Mondim de Basto. No total, foram quatro conquistas: Manuel Vilar venceu em 1987, no ano seguinte repetem vitória com Carlos Moreira, Jose Luis Rebollo triunfa no ano de 1998 e no ano de 2003, o basco Pedro Arreitunandia leva a melhor sobre os adversários.

O primeiro triunfo estrangeiro nesta chegada aconteceu em 1989 por Santiago Portillo, da Lotus-Zahor. Cinco anos mais tarde, Felice Puttini, da Brescialat levanta os braços no Monte Farinha. Massimiliano Lelli abria um leque de dez vitórias seguidas para ciclistas fora de Portugal. A seguir aos portugueses, são os espanhóis que vencem mais vezes esta escalada. Os últimos a vencer foram Eladio Jimenez em 2007, Juan Jose Cobo em 2008, David Blanco em 2010 e Sergio Pardilla em 2013.

Lista de vencedores na Senhora da Graça:

1978 – João Costa; 1979 – Marco Chagas; 1981 – Benjamin Carvalho; 1983 – Venceslau Fernandes; 1984 – Manuel Cunha; 1985 – Marco Chagas; 1986 – Carlos Moreira; 1987 – Manuel Vilar; 1988 – Carlos Moreira; 1989 – Santiago Portillo; 1990 – Joaquim Gomes; 1991 – Jorge Silva; 1992 – Quintino Rodrigues*; 1993 – Quintino Rodrigues; 1994 – Felice Puttini; 1995 – António Correia; 1996 – Massimiliano Lelli; 1997 – Zenon Jaskula; 1998 – Jose Luis Rebollo; 1999 – Michele Laddomada; 2000 – Claus Moller; 2001 – Jose Luis Rebollo; 2002 – Joan Horrach; 2003 – Peio Arreitunandia; 2004 – David Arroyo; 2005 – Adolfo Garcia Quesada; 2006 – João Cabreira; 2007 – Eladio Jimenez; 2008 – Juan Jose Cobo; 2009 – João Cabreira*; 2010 – David Blanco; 2011 – Hernani Broco; 2012 – Rui Sousa; 2013 – Sergio Pardilla; 2014 – Edgar Pinto; 2015 – Filipe Cardoso; 2016 – Gustavo Cesar Veloso

*as vitórias de Quintino Rodrigues e João Cabreira foram anuladas devido a uso de “doping”

2074 Visualizações 1 Total
2074 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática