Micorriza

Apresentação das Micorrizas, associações simbióticas entre fungos e plantas, associações estas que se encontram em grande parte das plantas terrestres…

As micorrizas são associações simbióticas entre fungos e plantas. Estas associações encontram-se em grande parte das plantas terrestres. Cerca de 90% das grandes árvores estão associadas a fungos, bem como a maioria das plantas vasculares de pequeno porte.

As micorrizas terão auxiliado a diversificação das plantas terrestres e contribuído para o seu sucesso evolutivo. Forma encontrados vestígios fósseis de associações de fungos com plantas muito antigas, o que leva a pensar que as micorrizas poderão ter ajudado as primeiras plantas vasculares a instalarem-se nos terrenos inóspitos iniciais.

O corpo vegetativo do fungo encontra-se debaixo do solo. O fungo desenvolve um sistema de redes de canais semelhantes a raízes designado por micélio. O micélio é constituído por diversas hifas, as ramificações.

Através das hifas, o fungo absorve os nutrientes presentes no solo. As raízes das árvores, por seu lado, encontram-se misturadas com as hifas do fungo. Em algumas destas associações, as hifas do fungo penetram nas células das raízes enquanto o resto do micélio se distribui pelo solo. Noutros casos, as hifas formam um invólucro à volta dos pêlos da raiz, os pêlos radiculares, e não chegam a penetrar nas células radiculares.

 

Associação que constitui benefício mútuo

As micorrizas são associações são extremamente benéficas tanto para os fungos como para as plantas. O fungo absorve água e minerais do solo como fósforo, zinco ou cobre. O micélio contribui não só para o aumento da superfície de absorção da raiz, como também para a manutenção de um ambiente húmido em torno da raiz. Em contrapartida, através desta associação, a planta fornece ao fungo compostos orgânicos vitais, como aminoácidos e açúcares.

As plantas associadas a fungos possuem uma maior resistência a condições ambientais mais adversas, como solos com poucos nutrientes, e a ambientes muito frios ou secos.

 

Referências bibliográficas

da Silva Folli-Pereira, M., Meira-Haddad, L. S. A., Bazzolli, D. M. S., & Kasuya, M. C. M. (2012). Micorriza arbuscular e a tolerância das plantas ao estresse. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 36(6), 1663-1679.

Stern, K. R., Bidlack, J. E., Jansky, S., & Uno, G. (2006). Introductory plant biology. Boston: McGraw-Hill Higher Education.

1296 Visualizações 1 Total
1296 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.