Absorção radicular

Conceito de absorção radicular, as suas principais características e vias de absorção, assim como os factores que afectam esta absorção…

Absorção radicular – Conceito

raiz

Absorção radicular caracteriza-se pela absorção da água e sais minerais através das raízes das plantas, num percurso de curta distância. Este tipo de absorção é o principal método utilizado pelas plantas para obter água. Esta absorção permite ao organismo reunir a quantidade de água e sais minerais necessária à realização de diversas funções importantes ao seu desenvolvimento.

Raiz:

Uma das partes principais da constituição de uma planta é a sua raiz. Esta estrutura é responsável pela fixação da planta ao solo, ao mesmo tempo que contribui para a absorção da água e sais minerais importantes para o seu desenvolvimento.

A raiz de todas as plantas (maioritariamente das Angiospérmicas) caracteriza-se pela presença de uma epiderme revestida por pêlos absorventes. No interior encontra-se a endoderme que envolve o cilindro central, onde se localizam os vasos condutores. A endoderme pode apresentar um conjunto de células justapostas cujas paredes apresentam lenhina, constituindo as bandas de Caspary.

Os pêlos radiculares correspondem a extensões da epiderme que permitem o aumento da área de absorção das raízes, assim como o aumento da área de contacto com o solo. Estas extensões originam-se na parede celular das células da epiderme.

A parede celular possui uma composição rica em lípidos, sendo a membrana celular caracterizada por uma bicamada fosfolipídica, cuja camada mais externa corresponde a uma camada hidrofílica, e a porção interna composta por duas camadas hidrofóbicas.

Absorção pelas raízes:

O meio internos das raízes é geralmente hipertónico, devido a uma maior concentração de soluto em relação ao meio exterior, favorecendo assim a entrada de água nas raízes por osmose, visto que a água se desloca de meios hipotónicos para meios hipertónicos.

A água entra então nos pelos radiculares da raiz por transporte activo, deslocando-se posteriormente até ao xilema onde será transportado para as folhas da planta, onde se realizará a fotossíntese.

A absorção radicular caracteriza-se no transporte de água, assim como pelo transporte de iões, sendo que este último transporte pode necessitar da presenta de proteínas específicas que permitem um transporte selectivo. O gradiente de iões irá permitir o surgimento de um gradiente osmótico, que favorece o movimento da água até ao xilema.

O transporte de água e sais minerais pode então ocorrer de forma passiva, sem havendo gasto de energia, ou de forma activa, ocorrendo dispêndio de energia (ATP) e não sendo possível reverter o efeito.

Vias de absorção:

A absorção radicular pode ocorrer por duas vias diferentes, consoante o local utilizado para a movimentação da água. As duas rotas podem se a via simplástica e a via apoplástica. Estas vias ocorrem geralmente quando a água se desloca da epiderme para a endoderme das raízes.

  • Via simplástica

Nesta rota a deslocação ocorre de forma intercelular, pois a água movimenta-se através das membranas plasmáticas e do seu citoplasma. A movimentação da água por esta via é mais lenta, no entanto, permite uma selecção dos solutos que são absorvidos. Esta movimentação é considerada activa, pois é necessário gastar energia para haver deslocamento de água, ocorrendo em sentido oposto ao gradiente de concentração, sendo necessário a presença de proteínas que facilitem o transporte. A nível da endoderme está é a via preferencial para a deslocação da água.

  • Via apoplástica

Nesta rota o transporte é contínuo, sendo que a água segue ao longo das paredes celulares e dos espaços intercelulares, a não ser quando este é interrompido pela presença de alguma barreira (bandas de Caspary, bolsas de ar…). Esta movimentação ocorre a favor do gradiente de concentração, não havendo gasto de energia, sendo por isso considerado transporte passivo.

Factores que afectam a absorção radicular:

A absorção radicular pode variar consoante diversos factores externos ou internos, estando estes relacionados com o solo, com as características físicas da própria planta ou ainda com a disponibilidade do soluto no solo. Alguns exemplos:

  • Distribuição das raízes no solo
  • Quantidade de água e nutrientes presentes no solo
  • Taxa de crescimento das raízes
  • Quantidade de pêlos absorventes
  • Presença de micorrizas
  • Capacidade tampão
  • Humidade no ar
  • Produção de energia

A absorção radicular é de grande importância não só para a sobrevivência das plantas, que obtêm assim a água e os sais minerais necessários à sua sobrevivência, assim como também pode ser utilizada para o tratamento de solos, visto que as plantas absorvem todos os minerais existentes no solo sejam estes tóxicos ou não para elas.

5329 Visualizações 1 Total

References:

Carlesso, Reimar (1995). Absorção de água pelas plantas: água disponível versus extraível e a produtividade das culturas. Ciência rural. Santa Maria.V. 25, n. 1, p. 183-188.

Faquin, Valdemar (2005). Nutrição Mineral de Plantas. Curso de Pós-Graduação “LATO SENSU” (ESPECIALIZAÇÃO) A DISTÂNCIA SOLOS E MEIO AMBIENTE. Universidade Federal de Lavras – UFLA. Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão – FAEPE Lavras – MG. Brasil.

5329 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.