Molares (dentes)

Os dentes molares são aqueles que na maioria dos mamíferos apresentam o maior número de acidentes anatómicos, muito por culpa do seu objetivo. Situa-se na parte posterior da mandíbula. Chamam-me molares porque a sua função principal é a de triturar e especialmente moer os alimentos, e por isso o nome deriva de “mó”, ou “pedra de moinho”. Visto que estes dentes têm várias cúspides (ou pontas) na sua área de contacto com os alimentos são multicúspides.

Além disso, o primeiro molar possui uma importante função como chave de oclusão. Ou seja, visto que é o primeiro dente da dentição permanente a erupcionar guia a erupção de todos os outros dentes. No entanto, com frequência, a erupção dos primeiros molares passa despercebida, visto que o mesmo erupciona sem que exista a rizálise de nenhum dente.

Visto que são dentes com muitos acidentes anatómicos com depressões e saliências, e além disso serem dentes posteriores a sua higienização costuma de ser mais difícil, em especial enquanto estão a erupcionar. São portanto dentes muito susceptíveis à cárie dentária. A perca destas peças dentárias provoca sempre transtornos, quer a nível da oclusão, quer a outros níveis, como por exemplo a perca da dimensão vertical. Em virtude de possuir muitas fissuras, com frequência a colocação de selantes de fissura é equacionada pelo profissional de saúde com vista a prevenir a cárie dentária. O Selante de fissura acaba por impermeabilizar a área da fissura. Na dentição de um adulto existem 12 molares. Com frequência o terceiro molar, vulgo siso, causa problemas em vista do facto de na atualidade os humanos não terem espaço para a erupção do terceiro molar. Costuma de crescer também apenas no final da

Primeiro Molar Superior

adolescência.

Diferenças entre Superiores e Inferiores:

  • Os dentes superiores possuem raízes mais robustas, aparecendo por vezes três raízes, duas vestibulares e uma palatina. Os inferiores por outro lado, possuem apenas duas raízes, e são menos robustas, uma mesial e outra distal.
  • As coroas dos molares inferiores possuem um declive lingual acentuado.
  • As bordas mesiais e distais são convergentes para cervical nos dentes superiores e têm tendência para o paralelismo nos dentes inferiores.
  • As faces oclusais têm formato quadrangular e tendem ao losango nos dentes superiores e são mais retangulares nos inferiores.

Diferença entre o Primeiro Molar e o Segundo Molar Superior:

  • O primeiro molar possui quatro cúspides e o segundo molar possui três cuspides.
  • A ligar a cúspide mesio-lingual à cúspide disto-vestibular no primeiro molar, existe uma ponte de esmalte.

    Segundo Molar Superior

  • Convergência mais pronunciada das bordas vestibulares e linguais para distal no segundo molar.
  • Segundo molar possuir forma semelhante a um coração, com duas cúspides vestibulares e uma palatina.
  • Face lingual é maior que a vestibular no sentido mesio-distal no primeiro molar.
  • Presença de um tubérculo, conhecido como tubérculo de Carabelli, nos primeiros molares, no terço médio-mesial a palatino.

Terceiro Molar Superior

  • Pode ser semelhante ao primeiro ou ao segundo molar.
  • Apresentam raízes mais curtes e com frequência fusionada.
  • A face oclusal é muitas vezes acometida de sulcos e cúspides suplementares.
  • Com frequência a forma tricuspídea está presente apesar de variar muito em relação à sua morfologia.

Diferenças entre Primeiros e Segundos Molares Inferiores:

  • Primeiro molar apresenta cinco cúspides, três vestibulares e duas linguais. A maior cúspide é a mesio-

    Primeiro Molar Inferior

    vestibular.

  • O segundo molar apresenta quatro cúspides, e o sulco principal tem forma de X.
  • Contorno pentagonal (visão oclusal) no primeiro molar e contorno retangular nos segundos molares.
  • O Sulco principal tem forma de W com vértices para vestibular nos primeiros molares.

Terceiro Molar Inferior:

  • Menor que os primeiros e segundos molares inferiores.
  • Podem assemelhar-se ao primeiro ou segundo molar inferior;
  • Diferenciam-se dos primeiros e segundos molares visto que apresentam raízes mais curtas e com frequência fusionadas.
  • Com frequência a face oclusal é acometida por sulcos e cúspides complementares.

    Segundo Molar Inferior

 

 

8445 Visualizações 1 Total
8445 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.