Rui Costa (Futebolista)

Biografia

Rui_Costa Data de Nascimento: 1972-03-29

Nacionalidade: Portuguesa

Naturalidade: Lisboa

Internacionalizações A: 94 Jogos / 26 Golos

Altura: 180 cm

Peso: 73 kg

Posição: Médio Ofensivo Centro

777 Jogos – 122 Golos

 

Rui Manuel César Costa (conhecido como Rui Costa) foi um jogador de futebol português, que se destacou em Portugal ao serviço do Benfica e da selecção nacional. Nascido em Lisboa, iniciou a carreira nas camadas jovens do clube da Luz em 1980, no qual terminou também a carreira 28 anos depois, na época de 2007/08. Pelo meio, foi 94 vezes internacional pela selecção de futebol, marcando 26 golos, e fez parte da “Geração de Ouro”, que conquistou o campeonato do Mundo de Sub-20 em 1991.

 

O Maestro

O amor entre Rui Costa e o Benfica foi uma constante ao longo da carreira do jogador e continuou depois de pendurar as chuteiras. Com o número 10 na camisola e a jogar no miolo do terreno, o atleta rapidamente se tornou num dos símbolos do clube, isto apesar de ter jogado apenas 5 épocas nos encarnados (de 1990-1994 e de 2006-2008).

No primeiro ano como sénior, foi emprestado ao Fafe, clube que representou em 38 jogos, nos quais apontou 6 golos. De regresso ao Benfica, na sua primeira época na equipa principal, “pegou de estaca” e tornou-se o titular no meio-campo durante três temporadas consecutivas, o que lhe valeu a chamada à selecção em Março de 1993, num jogo de qualificação para o Mundial de 1994.

A história de amor começou quando Rui Costa deu uma «nega» a Sousa Cintra, que entretanto tinha levado Pacheco e Paulo Sousa, e quase João Vieira Pinto, para Alvalade.

Após a conquista do seu único campeonato português, o «camisola dez» assinou pela Fiorentina e fez parte do primeiro lote de emigrantes de luxo portugueses que rumou a Itália no verão de 1994, entre os quais estavam Paulo Sousa (que assinou pela Juventus) e Fernando Couto (que assinou pelo Parma).

Rui Costa era um dos melhores jogadores do mundo na sua posição, como nº 10 (médio de ataque centro), numa altura em que despontavam outros grandes nomes do futebol mundial, como Zidane, Del Piero, entre outros, que actuavam na mesma zona do terreno. De tal forma, que Rui Costa ficou conhecido como “O Maestro”, pela qualidade que demonstrava com a bola nos pés, dono de uma capacidade de condução do esférico em progressão capaz de penetrar em qualquer defesa.

 

Príncipe em Florença

Ao serviço da Fiorentina, Rui Costa manteve o estatuto que alcançara no Benfica, vestindo a camisola «viola» durante sete temporadas. Fez 276 jogos e apontou 50 golos, ao lado do ponta-de-lança argentino Gabriel Batistuta.

Pelo meio, um dos momentos mais marcantes da sua carreira aconteceu num jogo particular frente ao Benfica no Estádio da Luz. Na partida de apresentação da nova época, o médio marcou um golo à sua antiga equipa e desfez-se em lágrimas. A imagem correu mundo e calou fundo na alma benfiquista. Rui Costa era o filho pródigo que um dia teria de voltar a casa. E esse dia chegou.

 

Nº 10 em Milão

Com a crise a bater à porta da Fiorentina, Rui Costa mudou-se para Milão, para representar o AC Milan, em 2001. No clube de Berlusconi, jogando ao lado de Maldini, Pirlo, Shevchenko, Inzaghi e Seedorf, ganhou cinco troféus, entre os quais uma Liga dos Campeões, em 2002/03 frente à Juventus.

 

O regresso do filho pródigo

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, encontrou finalmente uma janela de oportunidade para fazer regressar Rui Costa à Luz, quando se tornou óbvio que o jogador perdera o papel preponderante, após cinco temporadas no Milan. O «Maestro» aceitou o convite dos encarnados e uma redução do salário para vestir a camisola que o fez crescer para o futebol. O regresso a casa confirmava-se e consta que Rui Costa terá assinado contrato sem saber sequer os valores do ordenado.

No entanto, nas duas últimas épocas no Benfica os títulos voltaram a escapar para o FC Porto.

Rui Costa despediu-se do futebol na última jornada da época 2007/08, numa vitória caseira do Benfica por 3-0 frente ao Vitória de Setúbal. O médio foi substituído para o aplauso ao minuto 86 e daí em diante passaria a integrar a estrutura do Benfica.

 

Carreira na selecção

Ao longo dos onze anos em que representou a selecção nacional de futebol, desde a estreia frente à Suíça em 1993 à despedida frente à Grécia na final do Euro 2004, Rui Costa espalhou o perfume do seu futebol pelo meio campo da equipa das quinas.

Esteve presente em quatro competições internacionais ao serviço da selecção principal: os Europeus de 1996, 2000 e 2004 e o Mundial 2002. Fez 94 jogos no total e marcou 26 golos.

 

Carreira

Época Equipa  Jogos
2007/08
Portugal Benfica
45 10
2006/07
Portugal Benfica
22 1
2005/06
32 3
2004/05
38 1
2003/04
40 3
2002/03 48 1
2001/02 33 3
2000/01 38 8
1999/00 48 6
1998/99 39 14
1997/98 37 5
1996/97 38 1
1995/96 41 7
1994/95 35 9
1993/94
Portugal Benfica
47 10
1992/93
Portugal Benfica
32 4
1991/92
Portugal Benfica
32 4
1990/91
Portugal Fafe
38 6

 

COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS (3 TÍTULOS)

1 Mundial Sub20 1991

1 Liga dos Campeões 2002/03

1 Supertaça Europeia 2003

 

COMPETIÇÕES NACIONAIS (8 TÍTULOS)

1 Liga Portuguesa 1993/94

1 Taças de Portugal 1992/93

1 Liga Italiana 2003/04

3 Taças de Itália 1995/96, 2000/01, 20002/03

2 Supertaças de Itália 1996, 2004

3104 Visualizações 2 Total

References:

http://www.zerozero.pt/player.php?id=1953

3104 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.