Thomas Henry Huxley

Este artigo é patrocinado por: «A sua instituição aqui»

Thomas Henry Huxley (1825-1895) foi um professor de História Natural, conhecido por ter divulgado e defendido as ideias evolucionistas de Darwin. Foi o criador do conceito de agnosticismo.

Vida privada e educação

Huxley nasceu em Londres a 4 de Maio de 1825.

Era filho de um professor de matemática, chamado George Huxley.

Huxley estudou na escola onde o pai dava aulas por apenas dois anos, entre 1833 e 1835.

Em 1835, com 10 anos de idade, a família mudou-se para Coventry, uma cidade no centro de Inglaterra.

Em 1838, com 13 anos de idade, Huxley tornou-se aprendiz do seu tio, John Charles Cooke, surgião do hospital local.

Em 1841, com 16 anos de idade, regressa a Londres, onde continua a sua formação médica.

Em 1855, Huxley casou-se com Henrietta Anne Heathorn (1825–1915) que tinha conhecido em Sidney durante a sua viagem abordo do navio Rattlesnake. Eles tiveram cinco filhas e três filhos.

T. H. Huxley é avô do célebre romancista inglês Aldous Huxley, escritor de Admirável Mundo Novo e do fisiologista Andrew Huxley, vencedor do prémio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1963.

Início do seu percurso profissional: A viagem no Rattlesnake (1846-1850)

Em 1846, com 21 anos de idade, Huxley integra a tripulação do navio HMS Rattlesnake como surgião auxiliar. O navio da marinha real tinha como missão mapear os mares ao redor da Austrália e da Nova Guiné.

Durante os quatro anos de patrulhamento, Huxley recolheu e estudou invertebrados marinhos, como medusas e anémonas-do-mar usando um microscópio no próprio navio. Ao conjunto desses animais, nomeou-os como Nematophora em referência às suas células urticantes (mais tarde, o grupo foi renomeado para filo Cnidaria).

Em 1850, regressa a Londres e em 1851 é nomeado membro da Sociedade Real de Londres (Royal Society of London).

Apologista e divulgador de Darwin e da evolução

Em 1854, Huxley torna-se professor de história natural e paleontologia na Escola de Minas (School of Mines) em Piccadilly, centro de Londres.

Por volta de 1856, Huxley conhece e torna-se amigo de Charles Darwin, o naturalista que se tornaria célebre com a publicação de «A origem das Espécies» em 1859. O livro criou uma grande polémica porque punha em causa a crença generalizada de que a vida na Terra foi criada por Deus.

Darwin que se mostrava acanhado para debates públicos, Huxley cumpriu o papel de acérrimo defensor e divulgador das ideias de Darwin. De fato, Huxley chegou a receber a alcunha de “Buldogue de Darwin”.

Em 1863, Huxley publica o seu livro «Evidence as to Man’s Place in Nature» que aborda aspetos da evolução humana.

De 1881 a 1885 foi presidente da Royal Society.

Huxley cria o conceito de agnosticismo

Pela primeira vez em 1869, Huxley cunhou o termo agnóstico numa reunião da Sociedade Metafísica em Londres.

Agnóstico vem do grego agnōstos e significa etimologicamente que não conhece. Huxley aplicou o termo para mostrar o seu ceticismo às doutrinas da Igreja.

 

1378 Visualizações 1 Total

References:

  • Thomas Henry Huxley. (2016). In Encyclopædia Britannica. Retrieved from http://www.britannica.com/biography/Thomas-Henry-Huxley
1378 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.