Homoplasia

Mecanismos evolutivos que conduzem à formação de homoplasias.

A homoplasia é um fenómeno de recorrência de similaridade de um caractere ou atributo fenotípico entre duas linhagens biológicas, ao longo da evolução. Uma homoplasia pode surgir como resultado de três processos evolutivos: convergência evolutiva, paralelismo e reversão evolutiva.

Convergência evolutiva

A convergência evolutiva surge quando dois organismos que não são filogeneticamente relacionados exibem os mesmos caracteres fenotípicos.

Estruturas como o olho dos vertebrados e o dos cefalópodes, as conchas bivalves dos moluscos e dos braquiópodes, ou os aparelhos bucais sugadores exibidos por insectos Hemípteros e mosquitos (Dípteros), são estruturas que, apesar da sua aparente semelhança e similaridade na função, não possuem a mesma origem embrionária. São, assim, considerados caracteres convergentes.

Paralelismo

O Paralelismo tem sido, muitas vezes, confundido com convergência evolutiva. O paralelismo é a similaridade de um caractere que surge mais do que uma vez em diferentes espécies pertencentes a uma determinada linhagem biológica, mas ocorrem num cenário em que há um fundo genético partilhado e uma mesma origem embrionária. O Paralelismo pode resultar de uma homologia distante. Imaginemos um determinado grupo em que uma dada característica foi sendo alterada ao longo da evolução para se tornar menos complexa, por exemplo. É o caso de estruturas que vão reduzindo as partes de que se compõem, como uma redução no número de espinhas, de segmentos corporais, vértebras, raios de barbatanas, etc. É comum a ocorrência deste tipo de reajustes em grupos de animais segmentados como os anelídeos ou os artrópodes. No entanto, mesmo que haja uma diferença entre determinadas espécies destes grupos no número destes caracteres, é possível que o estado ancestral do caractere volte a surgir mais tarde numa outra espécie relacionada.

Reversão Evolutiva

Durante um fenómeno de reversão evolutiva, determinado caractere fenotípico retorna a um estado que ocorrera num dos grupos ancestrais. O estado do caractere no ancestral é designado por ‘estado primitivo do caractere’, enquanto que quando o estado do caractere se apresenta alterado nas espécies descendentes, é designado por ‘estado derivado do caractere’. Assim, a reversão evolutiva ocorre quando surge uma linhagem biológica que apresenta uma passagem de um caractere derivado para um caractere ancestral.

4369 Visualizações 1 Total

References:

  • Mark Jobling, Edward Hollox, Matthew Hurles, Toomas Kivisild, Chris Tyler-Smith. (2013) . Human Evolutionary Genetics. Garland Science.
4369 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.