Peyroteo

Fernando Baptista Seixas Peyroteo, foi um futebolista português, e que também foi Selecionador Nacional da equipa Portuguesa de Futebol em Séniores. Peyroteo nasceu em Angola, naquela época

Fernando Peyroteo, Goleador Português

colónia portuguesa, em 10 de Março de 1918, e era filho de José de Vasconcelos Correia Peyroteo e  Maria da Conceição Fernandes de Seixas.

É especialmente conhecido por ser detentor de uma média de 1.6 golos por jogo, o que o distingue a nível nacional e mundial como um goleador por excelência.

O seu nome espanholado revela as suas origens castelhanas por parte dos seus avôs paternos. Cedo demonstrou a sua apetência para o futebol, e começou a jogar como interior direito nas reservas do Atlético Clube de Moçâmedes. No entanto, em vista da sua parca condição física foi aconselhado a melhorar, por fazer ginástica para ganhar físico, visto que tinha peso a mais para a prática do futebol. Ele aceitou a sugestão e ao fim de um ano retornou para a equipa principal onde foi três vezes campeão.

Em 1934, aos 16 anos, foi para Sá da Bandeira para frequentar o ensino secundário e passou a jogar pela equipa do Liceu, já na posição onde faria história posteriormente, como avançado centro, onde se destacou como goleador. Dois anos depois, passou a representar o Sporting Clube de Luanda.

A 26 de Junho de 1937 aos 19 anos, Peyroteo chega a Lisboa, acompanhado da sua mãe, que retornava a Portugal para receber tratamentos de saúde apropriados. Um dos seus amigos angolanos, Aníbal Paciência, apresentou-o aos dirigentes do Sporting Clube de Portugal, que já ouviam falar da sua fama goleadora em Angola. Numa operação de charme, os dirigentes do clube leonino levaram-no até a sede do Clube no Palácio da Foz, contudo, Peyroteo não se sente confortável com o ambiente em vista do fumo, do barulho, e dos perfumes femininos. Visto que, ainda assim o seu sonho era atuar pelo Sporting Clube de Portugal, ele deu a sua palavra aos dirigentes do Clube.

Com a sua palavra em mente, foi-lhe oferecido um bilhete para ir até Coimbra de comboio assistir ao desfecho do então Campeonato de Portugal. O jogo ocorreu a 4 de Julho de 1937 e foi um jogo entre o Sporting Clube de Portugal e o Futebol Clube do Porto. O Sporting viria a perder, com muita polémica á mistura, esse jogo por três dois.

Mais tarde porém, uma disputa envolvendo Peyroteo e o Futebol Clube do Porto seria muito mais marcante para o Clube. Durante o defeso, enquanto Peyroteo se adaptava á cidade, estabelecido em Sintra, mas com constantes idas a Lisboa, um emissário do Futebol Clube do Porto assediou Fernando Peyroteo oferecendo-lhe muito dinheiro para trocar Lisboa pela Cidade do Porto e o Sporting pelo Futebol Clube do Porto. Nesta época, recorde-se, Peyroteo ainda não tinha assinado nenhum contrato com o Sporting, mas Peyroteo informou que já estava comprometido com o Clube de Lisboa, visto que tinha dado a sua palavra.

Em Agosto desse ano, a história começou a ser feita. Nesse mês Peyroteo fez o primeiro treino pelo Sporting, e apesar de ter as pernas a tremer marcou três golos, ao na altura já mítico Azevedo. Isso impressionou toda a equipa técnica, em especial Joseph Szabo, na época o treinador do Sporting. Joseph Szabo, passou a treinar com Peyroteo 4 dias na semana, ao passo que os restantes companheiros de equipa apenas treinavam 2 vezes por semana, e além disso, Szabo pressionou os dirigentes para que assinassem com Peyroteo. Entretanto, entre o mês de Agosto e a sua estreia em Setembro, Peyroteo assinou pelo Sporting, a troco de 500 escudos, e com um ordenado mensal de 700 escudos.

Fernando Peyroteo com a camisa tradicional do Sporting Clube de Portugal, clube pelo qual marcou635 golos

A sua estreia como jogador do Sporting Clube de Portugal acontece a 12 de Setembro de 1937, ainda com 19 anos, num dérbi contra o eterno rival Sport Lisboa e Benfica, a contar para um torneio nas Salésias. O Sporting viria a vencer por 5-3, e Fernando Peyroteo marcou dois golos. Foi o início de uma história mítica e de uma lenda no Sporting. Peyroteo passou a liderar a equipa nos 12 anos seguintes, como atacante e criou junto com outros quatro companheiros a lenda dos 5 Violinos. Antes dos 5 violinos porém, ele já era a estrela, com outra mítica linha atacante composta por Mourão, Pireza, Soeiro e João Cruz.

Durante o período em que esteve no Sporting, Fernando Peyroteo conquistou um Campeonato de Portugal, cinco Campeonatos Nacionais, quatro Taças de Portugal, sete Campeonatos de Lisboa e uma Taça Império. O máximo de golos que ele marcou num só jogo foram 9, num jogo frente ao Leça, tendo ainda marcado noutra ocasião 8 golos ao Boavista e conseguindo marcar 6 golos numa única partida por 3 vezes, 5 por 12 vezes e 4 por 17 vezes.

Peyroteo a marcar um golo

Além disso, foi ele quem inagurou as redes no Estádio Nacional, no Jamor, num jogo frente ao Sport Lisboa e Benfica. A este adversário conseguiu marcar 64 golos, sendo uma das suas vítimas preferidas. Foi também contra o Benfica que Peyroteo viu o seu único cartão vermelho, num jogo em que socou o adversário Gaspar Pinto, que insultou a sua mãe, e Peyroteo, perdeu as estribeiras visto que com a honra da sua mãe ninguém brincava.

Peyroteo também jogou na Seleção Nacional, estreando-se frente a uma equipa da Alemanha, ainda na primeira época ao serviço do Sporting. A sua estreia internacional não foi corolada por golos, no entanto, nas 20 participações em representação de Portugal, Peyroteo fez 13 golos.

Tavares da Silva, na época Jornalista, atribui á linha avançada do Sporting entre 1946 e 1949 o título de

Peyroteo, ao meio com a bola

cinco violinos. Peyroteo era um dos cinco violinos que incluíam ainda Jesus Correia, Vasques, Albano e José Travassos. Tendo sido estes responsáveis por muitos títulos e golos do Sporting.

Em 1949, quando tinha apenas 31 anos Peyroteo decide retirar-se das lides desportivas, e fazer uma festa de despedida. Provavelmente isso é motivado pelas divídas que a sua loja de artigos desportivos em Lisboa tinha. A sua festa de despedida tinha o objetivo de angariar algum dinheiro. Em 25 de Setembro de 1949, Peyroteo, fez o seu último jogo 4oficial com a camisa leonina, contra o Atlético.

A sua despedida do Sporting acontece em 5 de Outubro de 1949, num jogo frente ao Atlético de Madrid, e em seguida é transcrita a sua declaração de despedida:

“Fui soldado nas fileiras do desporto nacional e um soldado não foge ao cumprimento do

Discurso de Despedida de Peyroteo

seu dever, seja qual for e em que circunstâncias for! Mas de hoje em diante, reconheço que sou um soldado velho… Não posso corresponder às exigências de preparação de um jogador de futebol que queira manter-se em

forma e ser útil ao seu clube e à modalidade que pratica. Quando entro em campo, vou cheio de vontade de jogar, mas, depois de meia dúzia de pontapés na bola, apodera-se de mim um enfastiamento inexplicável.”

O dinheiro angariado permitiu pagar as suas divídas, mas pouco depois teve que fechar o seu negócio que não foi lucrativo e retornar a Angola, onde permaneceu por pouco tempo. De regresso a Portugal tornou-se Seleccionador Nacional, estavamos na época de 1961/1962. Apenas fez dois jogos como Seleccionador visto que uma derrota por 4-2 frente ao Luxemburgo levou ao seu despedimento. Esse jogo porém seria um momento histórico visto que foi nesse jogo que Fernando Peyroteo lançou um jovem atleta do Sport Lisboa e Benfica chamado Eusébio da Silva Ferreira.

Alguns anos depois, uma lesão sofrida num jogo de veteranos frente ao Barcelona, levou-o á mesa de operações. A intervenção não foi um sucesso devido a uma doença sanguínea que Peyroteo tinha e isso levou-o a amputar a perna.

Em 28 de Novembro de 1978, Fernando Peyroteo Faleceu vítima de um ataque cardíaco, com apenas 60 anos.

2120 Visualizações 1 Total

References:

www.Fórumscp.com

2120 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.