Sistema Esquelético

Apresentação do Sistema Esquelético:

O sistema esquelético humano é cerca de 20% da massa corporal e tem como funções a sustentação do organismo, a proteção de estruturas vitais, base mecânica para o movimento, armazenamento de sais e hematopoiética e contém cerca de 99% do cálcio do organismo, sendo, portanto uma reserva deste ião. É constituído por tecido ósseo, cartilagem, ligamentos e articulações.

O tecido ósseo é constituído por células, uma matriz óssea rígida e pelo periósteo, tecido conjuntivo resistente fibroso fora do osso, e endósteo, uma espessa membrana de tecido conjuntivo que contém osteoclastos que reveste a superfície medular no interior do osso.

  • As células podem ser osteoblastos, as mais jovens formadoras de osso, os osteócitos, células ósseas maduras já diferenciados ou osteoclastos que derivam dos monócitos do sangue, são móveis e capazes de segregar enzimas proteolíticas que quebram e reabsorvem o osso.
  • A matriz óssea tem uma parte inorgânica na sua constituição, que constitui 50% do seu peso seco e do qual fazem parte iões fosfato, cálcio, bicarbonato, magnésio entre outros, e uma parte orgânica constituída por fibras colagéneas em cerca de 95% e por substância fundamental amorfa.
  • Pode ser classificado macroscopicamente ou histologicamente.

A classificação histológica tem duas categorias, pode ser classificado como tecido ósseo primário ou imaturo, é o primeiro tecido a ser formado e pouco frequente em adulto, tem uma maior percentagem em osteócitos e um menor teor em sais minerais e as fibras de colagénio não possuem uma organização definida, ou em tecido ósseo secundário, maduro ou lamelar, onde as fibras de colagénio são organizadas em lamelas paralelas umas às outras ou concêntricas em relação a vasos. O primeiro osso a ser formado é o osso primário que gradualmente será substituído por tecido ósseo secundário.

Macroscopicamente existe osso compacto, aquele que não possui cavidades visíveis a olho nu, e osso esponjoso, aquele com muitas cavidades visíveis e com tabiques de osso. Existem ossos curtos, longos e chatos. Ossos longos são mais longos que largos e constituídos por osso compacto e por uma grande quantidade de osso esponjoso nas extremidades, são exemplos o osso da coxa, perna, braço e antebraço.

Ossos curtos têm dimensões verticais e horizontais aproximadamente iguais, têm forma parecida com um cubo e são constituídos por osso esponjoso, como por exemplo os ossos carpais e torso. Os ossos chatos são finos, aplanados e curvos muitas vezes, possuem uma camada média de osso esponjoso revestido por uma camada de osso compacto, são exemplos os ossos do crânio, parietal e frontal. Os ossos não pertencentes a estes três conjuntos são designados ossos irregulares, geralmente constituídos por osso esponjoso coberto por uma fina camada de osso compacto, por exemplo as vértebras e alguns ossos do crânio.

  • O processo de formação de tecido ósseo denomina-se histogénese e pode ocorrer por dois processos, através de ossificação intermembranosa, que tem lugar no interior de uma membrana conjuntiva e que é o processo de crescimento dos ossos curtos e de aumento em espessura dos ossos longos, ou através de ossificação endocondral, que envolve a substituição de cartilagem hialina com tecido ósseo. O desenvolvimento ósseo continua na vida adulta mesmo após ser atingida a estatura adulta para reparo de fraturas e remodelamento para atender às mudanças do estilo de vida.

Inicialmente o esqueleto humano é formado por cartilagens e membranas fibrosas que são depois a maioria substituídas por osso, as que permanecem estão presentes em locais onde é necessário um tecido esquelético flexível. No esqueleto humano cartilagem é tecido conjuntivo especializado existindo três tipos a cartilagem hialina, elástico e fibrocartilagem.

  • A cartilagem hialina fornece suporte, flexibilidade e resistência, são as mais abundantes no esqueleto, presentes como revestimento das extremidades da maioria dos ossos das articulações móveis, conectando as costelas ao esterno e formando o esqueleto da laringe e reforço das vias respiratórias e suportando a estrutura externa do nariz.
  • Cartilagem elástica é semelhante à hialina mas com mais capacidade de esticar e dobrar devido à maior quantidade de fibras elásticas, encontra-se na orelha externa e epiglote.
  • As fibrocartilagens apresentam características intermédias e são compressíveis e resistentes à tensão e pode ser encontrada em locais de grande tensão e estiramento como os discos inter-vertebrais e menisco do joelho.

A cartilagem pode ter um crescimento aposicional, de fora para dentro, ou intersticial, de dentro para fora, e este termina com a adolescência, altura em que o esqueleto cessa o crescimento.

As articulações são locais de união óssea que proporcionam mobilidade ao esqueleto humano, existem três tipos, a fibrosa que não possui cartilagem entre os dois ossos e é uma articulação fixa com movimento muito restrito, nos ossos cranianos por exemplo, a cartilagínea, menos rígida que permite algum movimento mas de amplitude restrita, e a sinovial que é a única que permite movimentos de grande amplitude.

Os ligamentos são tecido conjuntivo que conecta os ossos e reforçam as articulações permitindo a realização de movimentos e impedindo a realização de outros, podem ser brancos, com colagénio na sua composição e não elásticos sendo os mais comuns, ou amarelos presente no pescoço com elastina na sua composição e mais elásticos.

O esqueleto humano pode ser dividido em duas categorias, esqueleto axial e apendicular. Do esqueleto axial forma o eixo longitudinal do corpo e fazem parte os ossos do crânio, da coluna vertebral, as 7 vertebras cervicais, 12 torácicas e 5 lombares, sacro e cóccix e da caixa torácica, o esterno e costelas. Do esqueleto apendicular fazem parte os membros superiores (úmero, rádio, ulna, carpo, metacarpo e falanges), os membros inferiores (fémur, patela, tíbia, perónio, tarso, metatarso e falanges), a clavícula, escápula e quadril e todos os restantes que fazem a ligação ao esqueleto axial.

Geralmente os ossos masculinos são mais pesados e maiores e a pelve feminina é mais larga e mais rasa. Do nascimento à puberdade é produzido mais osso que perdido, na idade de adulto jovem existe um equilíbrio entre a taxa de produção e de perda, durante a meia-idade e com a queda na produção de hormonas sexuais ocorre uma redução da massa óssea e a perda ultrapassa a formação, tornando-se os ossos mais frágeis e com perda de massa.

Os distúrbios mais comuns do sistema esquelético são a osteoporose, o raquitismo e osteomalacia, duas formas da mesma doença resultantes da calcificação inadequada da matriz óssea, a hérnia de disco, que acontece quando os ligamentos dos discos lesados ou enfraquecidos e sob pressão se rompe a fibrocartilagem e o material interno pode herniar, a espinha bífida, uma deformidade congénita da coluna vertebral em que as lâminas falham em se unir em linha mediana, ou ainda, a fratura do quadril, que é muito frequente em indivíduos mais idosos e que está relacionada com a osteoporose e consequente perda de massa óssea que proporciona quedas.

1833 Visualizações 1 Total
1833 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.