Joelho

Descrição e apresentação dos principais componentes da articulação do joelho

O joelho corresponde a um complexo articular constituído por três articulações: duas articulações tibiofemorais (uma do lado interno e outra do lado externo) e uma articulação patelofemoral.

A articulação tibiofemoral consiste na articulação entre a parte distal do fémur (côndilo femoral) e a parte proximal da tíbia (prato tibial); a articulação tibiofemoral interna ou medial corresponde à articulação entre o côndilo femoral e o prato tibial mediais e a articulação tibiofemoral externa ou lateral corresponde à articulação entre o côndilo femoral e o prato tibial laterais.

Entre cada superfície articular do fémur e da tíbia existe um menisco (um do lado medial e outro do lado lateral), correspondendo cada um deles a um disco fibrocartilaginoso, com funções de lubrificação e nutrição da articulação, absorção do choque, transmisão de carga e diminuição da fricção articular durante os movimentos.

A articulação patelofemoral diz respeito à articulação entre a patela (ou rótula) e o fémur. Esta articulação desempenha importantes funções, tais como a proteção da parte distal do fémur de um trauma e a diminuição da tensão de cisalhamento anteroposterior da articulação tibiofemoral.

A estabilidade estática do joelho encontra-se dependente de quatro ligamentos intrínsecos principais: o ligamento cruzado anterior (LCA), o ligamento cruzado posterior (LCP), o ligamento colateral medial ou lateral interno (LCM ou LLI) e o ligamento colateral lateral ou lateral externo (LCL ou LLE). O LCA impede a translação anterior da tíbia sobre o fémur, o LCP impede a translação posterior da tíbia sobre o fémur, o LCM restringe o valgismo da tíbia e o LCL restringe o varismo da tíbia.

O joelho é também estabilizado externamente por alguns ligamentos, tais como o ligamento patelar, ligamentos poplíteos oblíquos, ligamento colateral tibial e ligamento colateral fibular. A nível dinâmico, os vários músculos que atuam neste complexo articular também providenciam estabilidade, sendo eles: quadricípite, isquiotibiais, gémeos, poplíteo, tensor da fáscia lata e adutores da anca.

O joelho apresenta também uma cápsula articular composta por uma forte membrana fibrosa. Esta cápsula é a maior cápsula sinovial do corpo humano.

Relativamente ao suprimento arterial, este é feito através das artérias femorais, poplítea e genicular. O suprimento nervoso realiza-se através dos nervos femoral, safeno, ciático, fibular comum e tibial.

O joelho classifica-se como sendo uma articulação sinovial do tipo dobradiça, permitindo movimentos de flexão e extensão. As amplitudes normais destes movimentos são 135ᵒ no caso da flexão e 0° no caso da extensão.

283 Visualizações 1 Total

References:

Dutton, M. (2012), Dutton’s Orthopaedic Examination, Evaluation and Intervention (Third Edition), The McGraw-Hill Companies, Inc (Chap. 4, pp 837-851)

Moore, K. L., Dalley, A. F., Agur, A. M. R. (2014), Clinically Oriented Anatomy (7th edition) Baltimore: Lippincott Williams& Wilkins (Chap. 5, pp 634)

283 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.