Coluna cervical

Descrição e apresentação dos principais componentes da coluna cervical

A coluna cervical corresponde à parte inicial da coluna vertebral (zona do pescoço), localizando-se entre o crânio e as vértebras torácicas.

A coluna cervical é constituída por 7 vértebras cervicais (de C1 a C7) e os respetivos discos intervertebrais (à excepção da articulação entre C1 e C2, que não possui um disco). Uma das características mais importantes das vértebras cervicais é a presença do forame transverso, uma cavidade lateral por onde passam artérias e veias. Apenas a última vértebra cervical (C7) contém um forame transverso mais pequeno, podendo até ser inexistente.

As vértebras cervicais apresentam um menor tamanho comparativamente às vértebras dos restantes segmentos da coluna, uma vez que suportam menos peso. Pelo contrário, os discos intervertebrais têm uma maior grossura. A conjugação do menor tamanho vertebral, da maior grossura dos discos intervertebrais e da orientação quase horizontal das facetas articulares faz com que a coluna cervical seja a região da coluna vertebral com maior amplitude de movimentos.

As vértebras da coluna cervical podem ser divididas em dois grupos, típicas ou atípicas. Desde a 3ª até à 7ª (de C3 a C7), as vértebras cervicais são consideradas típicas, enquanto as duas vértebras mais superiores (C1 e C2) são consideradas atípicas.

As vértebras típicas têm um forame vertebral largo, para acomodar o alargamento cervical da espinhal medula, como consequência do papel desta região na inervação dos membros superiores. Os processos espinhosos de C3 a C6 são curtos e habitualmente bífidos, enquanto o processo espinhoso de C7 é comprido, formando uma proeminência, notória sobretudo quando o pescoço de encontra fletido.

A primeira vértebra cervical (C1), também designada por atlas, é única porque não tem um corpo nem um processo espinhoso. Esta vértebra é constituída por massas laterais unidas entre si por um arco anterior e outro posterior. A face superior das massas laterais apresenta uma cavidade, chamada de cavidade glenóide, que articula com os côndilos do occipital. A face inferior das massas laterais apresenta uma faceta articular que se articula com C2. A primeira vértebra cervical é ainda a vértebra cervical mais larga, apresentando maior superfície para as inserções musculares.

A segunda vértebra cervical (C2), também conhecida por axis, é a mais forte das vértebras cervicais. Apresenta duas facetas articulares superiores largas, que articulam com o atlas. O que caracteriza esta vértebra é uma eminência óssea vertical, a apófise odontóide, que serve de pivô para a rotação da cabeça. A face articular posterior serve para inserção do ligamento transverso do atlas, que previne a luxação anterior do atlas e a luxação posterior da apófise odontóide.

175 Visualizações 1 Total

References:

Moore, K. L., Dalley, A. F., Agur, A. M. R. (2014), Clinically Oriented Anatomy (7th edition) Baltimore: Lippincott Williams& Wilkins (Chap. 4, pp 443-446)

175 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.