Modelo de Análise de Crescimento/Liquidez de ERNST

Apresentação do Modelo: O Modelo de Análise de Crescimento/Liquidez de ERNST foi desenvolvido por Harry Ernst da consultora norte…

Apresentação do Modelo

O Modelo de Análise de Crescimento/Liquidez de ERNST foi desenvolvido por Harry Ernst da consultora norte-americana Compumetrics para uma empresa que estava com problemas de tesouraria originados por uma aumento de encomendas. Os responsáveis da empresa estavam frustrados com a dificuldade em gerir o crescimento e liquidez através de demonstrações financeiras convencionais e pretendia uma demonstração que oferecesse informação clara sobre a liquidez. O modelo então desenvolvido modifica o formato padrão do balanço, permitindo uma visão mais clara das tendências na liquidez e permitindo também uma melhor gestão do cash-flow em períodos de rápido crescimento e investimento.

Como utilizar o modelo:

As instruções para utilização do modelo são as seguintes:

  1. Reestruturar o balanço para criar um balanço crescimento/liquidez. Para isso deverão ser combinadas as existências com activos a longo prazo na coluna do crescimento. De seguida subtrair este total do capital próprio dos accionistas (lucros retidos + capital social) de forma a exprimir a capacidade deficitária ou excedentária de investir adicionalmente em activos que geram crescimento.
  2. Subtrair todos os passivos de curto e longo prazo dos activos financeiros dos activos financeiros (tais como disponibilidades e dívidas a receber); daí resultará a liquidez operacional. Deverá então ser reestruturado o balanço tal como apresentado abaixo.
Crescimento Liquidez
Capital próprio dos accionistas Caixa e dívidas a receber (activos financeiros)
Menos

Existências

Terrenos, edifícios e equipamento

Menos

Passivo de curto prazo

Passivo de longo prazo

Igual

Excedente ou défice de crescimento

Igual

Liquidez operacional

  1. Analisar as tendências nos activos que geram crescimento e liquidez operacional, procurando informações sobre o estado financeiro da empresa ou para prever o comportamento futuro.
  2. Pode ser obtida informação adicional desenhando uma curva operacional, que representa a relação entre variações anuais na liquidez operacional e variações anuais nos activos que geram crescimento. Para isso, o balanço crescimento/liquidez deverá ser efectuado para pelo menos 5 anos. Usam-se então os totais sucessivos dos activos que geram crescimento para calcular a variação percentual anual; paralelamente calculam-se também as variações percentuais anuais na liquidez operacional. De seguida é dividida a variação percentual de cada ano quer para os activos que geram crescimento, quer para a liquidez pelo valor das vendas correspondente ao ano mais recente para os converter em vendas.
  3. Desenhar um gráfico com os valores do capital de investimento no eixo horizontal e os valores da liquidez no eixo vertical. Nesse gráfico, traçar uma linha de regressão de mínimos quadrados que acompanhe a tendência dos pontos representados – a inclinação desta linha reflecte a relação entre os activos que geram crescimento e a liquidez para uma determinada empresa. Por exemplo, uma inclinação de -1 indica que o passivo cresce mais depressa do que o capital próprio, não representando variações significativas nos activos financeiros.
  4. Encontrar o ponto onde a curva operacional intersecta uma linha horizontal que passe no ponto 0 do eixo vertical. Este ponto representa o equilíbrio operacional, isto é, o máximo crescimento sem endividamento externo. Se a empresa se encontra abaixo deste ponto na sua curva operacional, existe um espaço que terá que ser preenchido com financiamento a longo prazo. Se a empresa desce abaixo da sua curva operacional, deverá ocorrer um aumento da dívida e o investimento em activos que geram crescimento deverá descer até que a liquidez seja restaurada.
  5. Também é possível usar o gráfico para identificar a taxa máxima de crescimento viável com financiamento externo. Para isso deverão ser calculadas as variações anuais nos lucros retidos divididos pelas vendas. De seguida, desenhar o valor anual dos lucros retidos em relação à variação anual nos activos que geram crescimento e unir os pontos com uma linha. Depois desenhar uma linha vertical no gráfico onde as distâncias desde a linha horizontal de crescimento zero até à curva de lucros retidos e à curva operacional sejam iguais. Esta linha vertical (que representa uma recta de equilíbrio estratégico) intercepta o eixo horizontal no valor na taxa de crescimento do investimento que é consistente com a capacidade de a empresa gerar vendas e lucros. Se a empresa descer abaixo da recta de equilíbrio estratégico, provavelmente terá que compensar com uma mudança para outra direcção no futuro.
  6. O gráfico poderá também ser utilizado para análise estratégica, utilizando-o para efectuar comparações a concorrência. Poderá ser utilizado para avaliar, por exemplo, quais as empresas que têm sido mais agressivas em termos de crescimento e quais as que se encontram mais endividadas ou afastadas do equilíbrio estratégico.
625 Visualizações 1 Total
625 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática