Hipotiroidismo

Apresentação do Hipotiroidismo:

O hipotiroidismo é uma patologia em que as hormonas da tiróide, T3 (triiodotirosina) e T4 (tiroxina), estão presentes em quantidades reduzidas e insuficientes para atender as necessidades metabólicas do organismo. De um modo geral, as hormonas da tiróide são responsáveis por regular o metabolismo global do organismo. Assim, como resultado da diminuição das hormonas T3 e T4, os doentes apresentam uma taxa metabólica mais reduzida do que o normal. Esta doença é mais comum nas mulheres entre os 30 e 50 anos e está geralmente associada a uma disfunção da glândula da tiróide.

Causas

De acordo com a origem do problema, o hipotiroidismo pode ser dividido em:

– primário (anomalias na glândula da tiróide);

– secundário (anomalias na hipófise);

– terciário (anomalias no hipotálamo).

As causas do hipotiroidismo primário incluem a tiroidite de Hashimoto (inflamação da tiróide), o tratamento da doença de Graves com iodo radioativo, a tiroidoctemia subtotal, a tiroidite subaguda e a incorporação excessiva de iodeto. A tiroidite de Hashimoto é uma doença autoimune em que existe a produção de anticorpos (linfócitos B e T) que provocam a destruição das próprias células da tiróide sendo a causa mais comum do hipotiroidismo primário. O hipopituitarismo derivado da existência de um adenoma hipofisário, o tratamento de ablação hipofisária ou a destruição hipofisária são algumas das causas que podem estar na origem do hipotiroidismo secundário. O hipertiroidismo terciário é mais raro e está associado a uma disfunção a nível do hipotálamo que normalmente surge em simultâneo com uma disfunção hipofisária, embora também possa surgir isoladamente.

Existem  ainda  outras  causas  ligadas  ao  hipotiroidismo tais  como a  resistência  periférica  à  ação das hormonas tiroideias e ainda a presença de determinados fármacos. Alguns fármacos podem causar a diminuição dos niveis plasmáticos de T3 e T4 como é o caso dos androgénios, glucocorticóides, salicilatos, anticonvulsionantes, ácido mefenâmico, L-asparginase, furosemida, entre outros.

Hipotiroidismo em crianças

Existem dois tipos de hipotiroidismo que podem surgir em recém-nascidos e crianças: hipotiroidismo congénito e hipotiroidismo neonatal. O hipotiroidismo congénito é provocado por défice da hormona tiroxina  (T4), enquanto  que  o hipotiroidismo neonatal é  causado por deficiência  de  iodo durande a gravidez, principalmente durante o primeiro trimestre de gestação.

Sinais e Sintomas

Os principais sinais e sintomas do hipotiroidismo estão relacionados com uma diminuição geral da taxa metabólica, como resultado da deficiência de hormonas tiroideias no organismo. Alguns dos sinais e sintomas característicos do hipertiroidismo são: fraqueza muscular, apatia, bócio (aumento do volume da glândula da tiróide), intolerância ao frio, dimuição da memória, obstipação, aumento de peso, queda de cabelo, edema generalizado, depressão, bradicardia e ainda pele seca e aumento da concentração de colesterol no sangue. No hipotiroidismo neonatal é possível verificar os seguintes sinais e sintomas: degeneração física, atraso mental, nanismo, insuficiência da tiróide e órgãos genitais subdesenvolvidos.

Diagnóstico

O diagnóstico do hipotiroidismo envolve a realização de exames laboratoriais bem como a identificação da causa (diagnóstico diferencial). Inicialmente, é realizado o doseamento sérico das hormonas T4 livre (ou FT4) e TSH de modo a chegar a um diagnóstico mais conclusivo. No caso de os doentes com suspeita de hipotiroidismo tomarem hormonas tiroideias, a medicação é suspensa durante seis semanas antes da realização do exame. Níveis normais de FT4 e TSH apontam para o funcionamento normal da glândula da tiróide,  situação  denominada  por eutiroidismo.  Concentrações baixas de FT4 e  elevadas de  TSH são indicadoras de hipotiroidismo primário, enquanto que concentrações baixas de FT4 e normais ou elevadas de TSH estão relacionadas com hipotiroidismo secundário. Quando o diagnóstico aponta para hipotiroidismo   secundário,   ou   atá   mesmo   quando   o   diagnóstico   de   hipotiroidismo   primário   é questionável, procede-se a um teste em que se avalia a resposta do doente a ação da hormona TRH: a ausência de qualquer tipo de resposta indica uma lesão hipofisária, se a resposta for excessiva, o diagnóstico de hipotiroidismo primário é confirmado e se a resposta for normal, a origem está associada ao hipotálamo.

Tratamento

O tratamento do hipotiroidismo consiste essencialmente na reposição das hormonas da tiróide que estão em défice no doente. Sempre que possível, a causa que está na origem da patologia também deve ser tratada. Geralmente, a reposição hormonal é efetuada por ação de fármacos e o tratamento pode durar durante a vida toda.

934 Visualizações 1 Total
934 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.