Epilepsia

O que são os ataques de epilepsia; quais os diversos tipos de ataques epilépticos; quais as suas causas…

Conceito de Epilepsia

A Epilepsia é um sintoma de perturbação cerebral que se caracteriza pela ocorrência de ataque periódicos e recorrentes. Os ataque de epilepsia podem ser de diversos tipos, variando entre ataques de duração curta com perturbações do estado de consciência e ataques com convulsões graves e perda de consciência.

Ao contrário do que acontecia no passado, em que os ataques eram classificados em grande mal, pequeno mal, psicomotores e focais, actualmente os ataques são classificados consoante a zona do cérebro envolvida. As duas classes principais são os ataques parciais, que envolvem apenas uma zona do cérebro, e os ataques generalizados, que envolvem todo o cérebro.

Ataque Epilépticos Parciais

No caso dos ataques parciais, dado que envolvem apenas uma zona do cérebro, apenas uma zona do corpo é afectada ou apenas um certo nível de consciência é afectado. Os ataques parciais de sintomas simples (antes designados por ataques focais) originam contracções súbitas de certos músculos como por exemplo os músculos que controlam um braço ou uma perna; se a zona do cérebro afectada controlar a visão, a audição ou outros órgãos dos sentidos, a pessoa terá breves alucinações visuais, auditivas ou outras, sem contudo perder a consciência.

Já os ataques parciais com sintomas complexas (antes designados por ataques psicomotores) podem envolver momentos de perdas de consciência e actos complexos involuntários. Durante um ataque deste tipo a pessoa parece estar consciente mas não reage ou então reage de forma inadequada ao ambiente que a rodeia executando acções sem objectivo concreto. A sua duração pode ser curta, de várias horas ou evoluir para um ataque generalizado.

Ataques Epilépticos Generalizados

Como referido antes, os ataques generalizados afectam todo o cérebro, podendo ser divididos em crises de ausência (antes designados por pequeno mal) e em ataques tónico-clónicos (antes designados por grande mal). As crises de ausência consistem em perdas breves de consciência, as quais podem durar entre cinco a trinta segundos. Neste tipo de ataques a pessoa poderá apresentar um olhar fixo e dar a impressão de estar a sonhar acordada ou sentir leves contracções dos músculos da face ou dos braços. Após a crise, a pessoa continua a fazer o que estava a fazer antes do ataque sem se aperceber do que aconteceu.

Quanto aos ataques generalizados tónico-clónicos (os que geralmente são entendidos pelas pessoas em geral como a epilepsia), o ataque inicia-se com uma perda súbita de consciência, a pessoa cai, os seus músculos tornam-se rígidos (a chamada fase tónica), pode surgir um grito agudo em consequência da contracção dos músculos abdominais e a pele pode tornar-se azulada devido à breve interrupção da respiração. Inicia-se depois a fase clónica que consiste em movimentos bruscos de contracção dos principais grupos musculares, a respiração faz-se de uma forma profunda e irregular levando à produção de espuma e saliva. Durante o ataque a pessoa pode morder a língua ou perder o controlo da bexiga. A duração de ataque deste tipo dura geralmente entre três a cinco minutos.

Causas da Epilepsia

Os ataques de epilepsia são provocados por uma descarga descontrolada de energia eléctrica pela células cerebrais. Em cerca de metade das pessoas não se consegue determinar a causa do descontrolo da actividade eléctrica, sendo nestes casos designada por epilepsia idiopática. Na outra metade, em que é possível determinar a causa, a epilepsia é designada por sintomática. As causas mais vulgares são as lesões pré-natais, lesões ocorridas durante o parto, tumores cerebrais, pancadas fortes na cabeça, doenças cerebrovasculares e infecções graves durante a infância.

551 Visualizações 1 Total
551 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.