Cinfães, Portugal

Cinfães é um município português localizado no distrito de Viseu, na região norte. É um município com 20 427 habitantes, de acordo com os censos de 2011, estando dividido em 14 freguesias em 239,29 km². Cinfães é limitado a norte por Marco de Canaveses e Baião, a leste por Resende, a sul por Castro Daire e Arouca e a oeste por Castelo de Paiva.

As 14 freguesias do concelho de Cinfães são: Alhões, Bustelo, Gralheira e Ramires, Cinfães, Espadanedo, Ferreiros de Tendais, Fornelos, Moimenta, Nespereira, Oliveira do Douro, Santiago de Piães, São Cristóvão de Nogueira, Souselo, Tarouquela, Tendais e Travanca.

História

Com raízes na pré-história, existem evidências da existência de população em Cinfães desde o período pré-celta do Paleolítico, da época da pedra lascada, com povos nómadas de origem africana, como os capsenses e berberes, que se espalharam pela Península Ibérica e deixaram importantes vestígios no município. Nos séculox IX e VIII a.C. ocorre a primeira ocupação celta e daí resultam os lusitanos da idade do ferro, que se deslocam para as montanhas com o objetivo de se fixarem numa posição estratégica de proteção face às invasões. É nestas encostas que ainda hoje se encontram vários castros de origem megalítica.

No século VI a.C. chegam os hispânicos que retiram as vantagens comerciais do rio Douro, tendo perdido o seu território para os romanos. Nesta época surgiram os primeiros povoados em forma de vilas e cidades interligados por pontes e estradas, muitas das quais ainda visíveis nos dias de hoje. Em 409 d.C. surgem os suevos, alanos e vândalos e em 456 iniciam-se as guerras com os visigodos. Também de 711 existem alguns vestígios árabes.

O ponto alto da história de Cinfães reporta-se ao século X, tendo como elemento mais importante Santiago de Piães. Nesta povoação medieval D. Afonso Henriques viveu parte da sua juventude e ali recebeu educação do seu aio Egas Moniz. Como consequência, Afonso Henriques deixou parte dos seus bens à Herdade Real de Tarouquela, na freguesia de Cinfães.

O foral foi entregue por D. Manuel I a 1 de maio de 1513. Mais tarde, a 24 de outubro de 1855, foi criada a comarca de Cinfães, com as freguesias do seu concelho e as de Sanfins da Beira, então extinto.

Património edificado e natural

Para conhecer a história, o património e as paisagens de Cinfães, vale a pena visitar o Museu Serpa Pinto.

Um dos principais marcos identitários do concelho de Cinfães é o seu património religioso, destacando-se a Igreja de Tarouquela, de estilo românico, a Igreja de Nossa Senhora da Natividade em Escamarão, na freguesia de Souselo, a Igreja Matriz de Alhões, a Igreja Matriz de Bustelo, a Igreja Matriz de Ramires e a Igreja de São Cristóvão de Nogueira.

De tempos antigos restam vestígios importantes como a Ponte de Covelas, a Ponte de Soutelo, o Parque Megalítico de S. Pedro, o Castro das Coroas e a Muralha das Portas do Montemuro.

Por fim, se está de passagem por Cinfães, não deixe de apreciar o rico património natural deste concelho. Os vários rios que por aqui passam – Bestança, Douro, Cabrum, Paiva, Sampaio e Ardena – permitem observar paisagens aquáticas únicas e oferecem locais para desfrutar. Ainda na riqueza natural, no concelho existem três parques importantes: Parque de Sampaio e Mourilhe, Parque do Ladário e Parque Nossa Senhora de Lurdes.

Gastronomia

A gastronomia cinfanense é marcada essencialmente por três pratos: arroz de Aba, bolos de manteiga e posta arouquesa. O arroz de Aba é um arroz composto por várias carnes e enchidos locais, os bolos de manteiga, também conhecidos por matulos, consistem numa massa de pão fofo coberta de calda de açúcar, e a posta arouquesa aproveita da melhor forma a carne arouquesa típica da região.

Geminações

Com o objetivo de aproximar os povos e criar laços históricos e culturais de amizade, o município celebrou o seguinte Protocolo de Geminação:

  • São Filipe (Ilha do Fogo), Cabo Verde – celebrado a 17 de novembro de 2008

Brasão da cidade

cinfaes

O brasão de Cinfães é composto por escudo de prata com um cacho de uvas de púrpura folhado e sustido de verde, acompanhada lateralmente por dois ramos de oliveira de verde frutada de negro, atado em ponta de vermelho e em chefe um leopardo de azul com uma estrela de ouro de cinco pontas na testa. A coroa mural de prata com quatro torres e o listel é branco com os dizeres VILA DE CINFÃES a negro.

Municípios do Distrito de Viseu

Armamar Carregal do Sal Castro Daire Cinfães Lamego
Mangualde Moimenta da Beira Mortágua Nelas Oliveira de Frades
Penalva do Castelo Penedono Resende Santa Comba Dão São João da Pesqueira
São Pedro do Sul Sátão Sernancelhe Tabuaço Tarouca
Tondela Vila Nova de Paiva Viseu Vouzela
292 Visualizações 1 Total
292 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.