Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo, Moura

O Convento do Carmo onde está inserida a Igreja com o mesmo nome localiza-se na localidade de Moura e era inicialmente chamado de Igreja de Santa Maria.

Este convento foi o primeiro existente da ordem Carmelita em toda a Península Ibérica, sendo o mesmo fundado no ano de 1251, enquanto reinava o rei Dom Afonso III de Portugal. Tinha como principal objectivo albergar os Capelães da Ordem militar de São João de Jerusalém, a quem viria a ser doado o mesmo pelos cavaleiros desta Ordem.

Desde cedo este convento beneficiou de vários privilégios reais e era tal a sua importância para o país que inúmeras famílias abastadas faziam doações testamentarias ao mesmo.

A nível arquitectónico o mesmo apresenta características diversas sendo de destacar o conhecido “gótico alentejano” que nos presentei com três naves de seis tramos, vindo mais tarde a sofrer remodelações e apresentado aIgreja do Carmo - Moura partir daí características ao estilo manuelino e renascentista.

No seu interior destaca-se a abóbada manuelina na sacristia, em que as suas interligações formam a representação da Cruz de Cristo. Destaque ainda para os vários elementos presentes no seu interior que nos remetem para a Ordem de Malta, assim como o Claustro e as várias capelas ao estilo renascentista.

Entretanto, no seu exterior, o destaque vai para o pórtico principal e a sua fachada ao estilo renascentista.

A este Convento estão ligadas várias personalidades da história, destacando-se:

  • Frei Baltazar Limpo, natural de Moura, que foi Bispo do Porto, participou no Concílio de Trento, e que podemos ver o seu sepulcro na capela lateral da Igreja de Nossa Senhora do Carmo;
  • Martim de Sottomayor, natural do concelho, e estritamente ligado ao convento do Carmo de Lisboa, exercendo ainda a função de pregador do rei Dom Afonso V. Martim foi ainda juiz apostólico dos Breves de Roma e Bispo de Tripoli;
  • Dom Nuno Álvares Pereira, que foi o responsável pela transferência dos primeiros carmelitas para o Convento do Carmo em Lisboa. Dom Nuno foi ainda um grande benfeitor deste convento de Moura.

Este edifício, mais concretamente o seu claustro e igreja estão, desde o ano de 1944, classificado como Imóvel de Interesse Público.

 

1514 Visualizações 1 Total
1514 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.