Judaísmo

O judaísmo é uma religião que remonta aos primórdios da humanidade, e é também o berço de várias formas de adoração modernas. O cristianismo, e o islamismo derivam desta religião principal e mesmo hoje, existem alguns tipos diferentes de judaísmo. Existe o judaísmo ortodoxo, e inclusive alguns dos praticantes deste modo de adoração são ultra ortodoxos, como é o caso dos hassidins, o judaísmo Reformista, e o Judaísmo conservador. Existem naturalmente outros tipos de religiões e seitas que derivam do judaísmo, no entanto estes são os tipos mais famosos.

Nos primórdios, judeus refere-se não a uma religião mas sim a um conjunto de pessoas que derivam de um ramo semítico, de língua hebraica. Seu antepassado, Abrão migrou desde a região da Suméria para o território de Canaã. A Bíblia sagrada em Génesis 14:13 declara-o como sendo Abrão o hebreu. A partir daí, os judeus traçam uma linha de descendência começando primeiro com o seu filho Isaque, e passando para o seu neto Jacó, cujo nome foi mudado para Israel. Este Israel tinha 12 filhos, sendo que o quarto dos seus filhos chamava-se Judá, de quem se deriva o nome judeu, pois foi a tribo mais proeeminente dentro das 12 tribos de Israel. Em dada altura da sua vida, em busca de melhores condições de vida, Judá e os seus filhos mudaram-se para o Egipto, onde posteriormente foram feitos escravos pelos governadores egipcíos.

Para que Deus (sendo que na época o conceito de um Deus monoteísta de um deus pessoal era único entre os restantes povos), pudesse cumprir aquilo que tinha prometido a Abraão, Deus escolheu Moisés para libertar o povo da escravidão do Egipto. Após um exílio de 40 anos de Moisés no ermo ele retornou ao Egipto a mando de Deus (que segundo o relato em Êxodo apresentou-se com o seu nome pessoal

Nome do Deus dos judeus

YHWH). Moisés usando o poder concedido por Deus libertou Israel da escravidão, e fê-los atravessar o Mar Vermelho onde Faraó e sua frota foi destruída. Após isto, no Monte Horebe ou Sinai, YHWH (em português a expressão mais usada para traduzir este nome é Jeová, embora se pense que a expressão Iavé ou Javé esteja mais próxima do seu original), Moisés foi o Mediador do pacto da Lei entre Deus e os israelitas. Este pacto era composto de cerca de 600 leis, sendo que as mais proeminentes e primeiras a serem escritas são os Dez Mandamentos que se encontram em Êxodo 20.

Visto que a forma de adoração dos Israelitas estava associada á sua organização nacional começou assim a formar-se a religião judaica. Na atualidade portanto, em vista da destruição dos registos genealógicos pelos romanos em 70 DC é muito dificíl associar-se o judeu a uma nacionalidade, mas associa-se sim a uma religião.

Com o passar do tempo o judaísmo foi influenciado pela cultura e filosofia grega, e também as revoltas dos judeus levaram á destruição do templo e de algumas das seitas que permaneciam á época. Por exemplo, foram destruídos os saduceus que eram essencialmente constituídos por sacerdotes. Com a destruição do templo os mesmos deixaram de existir. Com a destruição do templo, a lei oral, estudos mais intensos, a oração e as obras de piedade substituíram os sacrifícios no templo e as peregrinações. Os peregrinos escreveram as leis orais, e formaram o Talmude, e agora o judaísmo podia ser praticado em qualquer lugar.

Durante a idade Média a Europa foi influenciada por dois grupos de judeus, os judeus asquenazes que floresciam na Europa Central e Oriental e os judeus sefárdicos que existiam na Península Ibérica. Os peritos rabinícos destas duas seitas produziram as formas de pensamento que é a base para o judaísmo praticado nos dias atuais.

Uma das bases do Judaísmo é a vinda do Messias e muitos afirmavam ser o Messias. De todos estes, o mais proeeminente e cujos ensinos prevalecem até hoje é Jesus de Nazaré.

O judaísmo atual, influenciado pelo mundo grego crê que a alma sobrevive á morte do corpo, mas essa base não encontra suporte nas Escrituras iniciais, além de que eles também creêm que Deus tem o seu nome pessoal mas que o mesmo é sagrado demais para ser pronunciado.

Os Dez Mandamentos dos Judeus:

  1. “Não deves ter outros deuses além de Mim.
  2. “Não deves fazer para ti uma imagem esculpida, nem qualquer semelhança do que há nos céus acima, ou na terra embaixo, ou nas águas sob a terra. Não deves curvar-te perante elas nem servi-las. . . .
  3. “Não deves jurar falsamente em nome do SENHOR [hebraico: יהוה] teu Deus . . “
  4. “Lembra-te do dia de sábado e mantém-no sagrado. . . . O SENHOR abençoou o dia de sábado e o consagrou.
  5.  “Honra teu pai e tua mãe . . .”

    Os Dez Mandamentos na Cabalah

  6. “Não deves assassinar.
  7.  “Não deves cometer adultério.
  8.  “Não deves roubar.
  9.  “Não deves dar falso testemunho contra o teu próximo.
  10.  “Não deves cobiçar a casa . . . a esposa . . . o escravo ou a escrava de teu próximo, nem seu boi ou seu jumento, ou qualquer coisa que pertença a teu próximo.” — Êxodo 20:3-14.

Os Escritos Sagrados dos Hebreus

Tanakh – As três divisões da Bíblia em hebraico e aramaico. Tora (Lei), Nevi´im (Profetas), Kethuvim (Escritos). Estes livros foram escritos entre o 16º Século AC e o 5º século AC.

Torah (Tora) – O Pentateuco ou os primeiros cinco livros da Bíblia atuais, escritos por Moisés. Também pode ser usado para se referir á Bíblia sagrada judaica como um todo, bem como á Lei Oral e ao Talmude.

O Talmude, é o resumo escrito, com palavras, comentários e explicações de rabinos judeus do Pentateuco. Ele divide-se em duas partes. A Míxena, e a Guemara.

1404 Visualizações 1 Total
1404 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.