Saltos para a Água

Os Saltos para a Água são um desporto que consiste num ou mais saltos através duma plataforma saltando para uma piscina efectuando determinadas habilidades.

Este artigo é patrocinado por: «A sua instituição aqui»

Os Saltos para a Água são um desporto que consiste num ou mais saltos através de uma plataforma saltando para uma piscina efectuando determinadas habilidades.

Os saltos para a Água são um dos desportos que se pode praticar numa piscina como a Natação, a Natação Sincronizada e o Pólo Aquático. A primeira competição de Saltos para a Água ocorreu no ano de 1871 na capital inglesa, Londres, em que os atletas saltavam de uma ponte. Mas já na Grécia Antiga, ocorreram os primeiros Saltos para a Água de forma habilidosa. Sim, o que se está a falar aqui não é de um simples salto de uma pessoa para um rio, mar ou piscina. Os Saltos para a Água estabelecem um parâmetro de espectáculo com o exercício de habilidades entre o momento em que se está na plataforma e a queda na água.

Em 1904, esta competição dos Saltos integrou a terceira edição dos Jogos Olímpicos mas numa versão diferente das actuais. Enquanto actualmente, os Saltos consistem em provas que os atletas fazem acrobacias durante o processo de queda para a água, a competição do Salto para a água que estava presente nesses Jogos era o atleta que conseguisse nadar o maior tempo possível na água após a queda, o que não chamou muito a atenção dos espectadores e ficou de fora das restantes edições. Desde 1904 até 1916, só os homens participavam nos Saltos dos Jogos Olímpicos tendo ficado reservado a participação das mulheres para a edição do ano de 1920, situação que se mantém até então. As provas são as mesmas seja para homens ou para mulheres. Existem várias competições de Saltos para a Água mediante a altura entre o trampolim e a piscina. As provas que neste momento vigoram nos Saltos são a Plataforma Individual de 10 metros e a Plataforma Sincronizada de 10 metros, depois existe as mesmas duas competições mas para o Trampolim de 3 metros e, por último, existe o Trampolim Individual de 1 metro. Esta última competição não faz parte dos eventos olímpicos. As piscinas para estes exercícios têm cinco metros de profundidade de forma a evitar qualquer tipo de acidente e ainda um jacto de água por baixo dos trampolins para que os atletas possam ver melhor a zona de impacto da sua queda na piscina. Os atletas têm de fazer vários saltos ao longo das suas competições dividindo-se em duas categorias: com grau de dificuldade e sem grau de dificuldade. Na Plataforma, os atletas fazem quatro saltos com grau de dificuldade e no Trampolim fazem cinco saltos com grau de dificuldade sejam homens ou mulheres. Nos saltos sem grau de dificuldade existe uma variação entre homens e mulheres. Os homens fazem seis saltos seja na Plataforma ou no Trampolim enquanto as mulheres fazem quatro saltos na Plataforma e cinco no Trampolim.

Existem um sem número de variações de saltos que podem ser feitos pelos atletas mas pode-se agrupar em seis grupos:
1. Para a frente (Saída de frente para a água assim como a execução e a chegada na água),
2. De costas (Saída de costas e execução para trás com a rotação a ser mais longe da plataforma),
3. Pontapé à Lua (Saída para a frente e execução para trás em que o atleta começa voltado para a frente do trampolim terminando com uma rotação em direcção à plataforma),
4. Revirado (faz-se o inverso do Pontapé à Lua em que a saída é de costas e a execução é para a frente em que o atleta fica no fim da plataforma e realiza uma rotação em direcção do trampolim),
5. Em Parafuso (Independentemente do tipo de saída, são todos os saltos com o giro do corpo entre si),
6. Em Equilíbrio (Salto realizado com o atleta em posição de pino que mantém durante cinco segundos até perfazer o salto).

A cada salto, existe uma posição corporal que o atleta tem de efectuar, a saber:
A. Esticada – Pés juntos com as pontas esticadas e o corpo não pode estar flexionado na cintura e joelhos
B. Carpada – Corpo flexionado na cintura mas pernas e pés bem estendidos. A posição das pernas e do tronco deve estar em 90 graus.
C. Grupada – Corpo junto ao quadril e joelhos com os tornozelos mantidos junto às nádegas e coxas puxadas contra o peito
D. Livre – Combinação de várias posições
Os saltos são avaliados por um conjunto de juízes que dão uma pontuação mediante a actuação do atleta mediante os parâmetros de aproximação, partida, elevação, execução e chegada com a nota mínima a ser o 0 e a nota máxima a ser 10.

2479 Visualizações 1 Total
2479 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.