Teixo

Conceito de Teixo, as suas características principais e as utilizações que possui, nomeadamente a nível medicinal…

Conceito de Teixo

Teixo é o nome vernáculo dado aos elementos da espécie Taxus baccata, pertencente à família Taxaceae. Estes indivíduos são gimnospérmicas arbóreas, podendo também surgir sob a forma arbustiva, apesar de ser raro. Os teixos são espécimes dioicos, apresentando por isso um sexo diferente em cada individuo.

Apesar de serem consideradas espécies gimnospérmicas, os elementos do género Taxus, diferem deste grupo por não produzirem cones, nem resina, características típicas dos indivíduos pertencentes às gimnospérmicas.

A casca do seu tronco é castanho avermelhada inicialmente lisa mas que pode começar a descascar em tiras ao envelhecer. Estas plantas podem atingir alturas de 15 metros, existindo algumas árvores que chegaram aos 25 metros de altura.

As folhas destes indivíduos são planas e linear (podem permanecer na árvore durante 8 anos), mas se ingeridas podem ser tóxicas, devido à sua capacidade de produzir taxina, causando a morte se for ingerida em uma quantidade bastante elevada. As suas folhas apresentam uma coloração verde escura durante praticamente todo o ano, pois são árvores perenes, raramente perdendo a totalidade da sua folhagem.

As suas flores masculinas são globosas e muito numerosas, surgem nas axilas das folhas, possuem uma cor amarelada e uma forma esférica enquanto as femininas são solitárias e pouco visíveis devido à sua cor verde, encontrando-se nas extremidades dos ramos. A sua floração ocorre entre Março e Abril.

Estes indivíduos não produzem frutos, mas sim uma estrutura vermelha carnuda denominada de arilo que protege as sementes. Esta estrutura é a única parte da planta que não é venenosa, sendo até muito apreciada por pássaros, surgindo apenas nas plantas femininas.

A espécie Taxus baccata existe por toda a Europa, sendo comum nas terras mais altas de Portugal (está bem adaptado para suportar altitudes que rondam os 1000 metros, podendo chegar aos 1500 metros em alguns casos), surge também de forma espontânea em certas parte de África e da Ásia. Esta planta é indígena da Madeira e das ilhas Canárias, mas tornou-se muito rara nestes locais devido à exploração das ilhas. Apesar de poder ser espontânea, a maior parte dos teixos que se encontram nos jardins foram cultivados.

A sua longevidade é muito grande devido ao seu crescimento extremamente lento, podendo viver cerca de dois mil anos, havendo casos em que resistiram até aos cinco mil anos, mas é muito raro. Este tipo de crescimento tem contribuído para o seu desaparecimento enquanto espécie, pois as árvores abatidas demoram muito tempo para recuperar. Actualmente está classificado como em vias de extinção.

A maior parte dos teixos que se encontram em Portugal, apresentam um pequeno porte e estão localizados em áreas de difícil acesso, podem também ser encontrados indivíduos de maior porte em jardins ou parques onde o abate de árvores é proibido. Os teixos são árvores que suportam bem o frio, mas não a geada, procuram locais com bastante luz, apesar de poderem suportar sombra.

Estas árvores preferem ambientes unidos, sendo comum encontrar espécimes em vales ou encostas, não se trata de uma espécie muito exigente em relação ao solo em que se fixa, tolerando a acidez e os solos rochosos.

O taxol que é extraído de outras espécies de Taxus tem contribuído para o tratamento de alguns cancros, as substancias activas dos teixos também podem ser usadas na criação de medicamentos para tratar problemas causados por vírus, fungos e bactérias.

As suas copas serem de habitat para muitas espécies de pássaros, que as procurar para nidificar uma vez que esta pode dar protecção aos pequenos pássaros que nascerem. A sua capacidade de suportar bem a poda, permitiu o seu uso como ornamental.

A madeira de teixo era muito apreciada para a produção de armas como as bestas, os arcos longos e flechas devido às suas características de resistência e grande flexibilidade. Esta madeira pode também ser utilizada na produção de mobiliário e esculturas. As suas raízes são muitas vezes utilizadas para a produção de arcos de violino.

As suas características físico-químicas e biológicas permitem a estes indivíduos resistirem a poluição urbana, no entanto, não tolera bem a proximidade marítima. Estas árvores foram durante bastante tempo consideradas sagradas, sendo protegidas pelos povos celtas. A sua grande distribuição pelo país, assim como a sua importância na cultura deu origem a sobrenomes como Teixeira.

Palavras-chave:

Gimnospermica

Espécie em extinção

Poluição

1170 Visualizações 1 Total

References:

Nunes, Manuel. Teixo, os dias do fim? Naturlink. Consultado em: Outubro 31, 2015, em http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Ambiente/Fauna-e-Flora/content/Teixo-os-dias-do-fim?bl=1&viewall=true#Go_1

Teixo -Taxus baccata. Florestar.net Consultado em: Outubro 31, 2015,http://www.florestar.net/teixo/teixo.html

 

1170 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.