Polvo

Apresentação do Polvo

O polvo é um animal invertebrado pertencente ao filo dos Moluscos (animais de corpo mole, podendo ou não estar protegidos por uma concha) e, dentro deste à classe dos Cefalópodes. Ocorre em meio marinho e apresenta uma larga distribuição, podendo ser encontrado em zonas tropicais e zonas temperadas e a diferentes profundidades. O polvo-comum (Octopus vulgaris Cuvier, 1979) será possivelmente a espécie mais conhecida.

Desprovido de concha, apresenta 8 tentáculos que possuem ventosas com as quais o polvo se fixa ao substrato (por exemplo rochas) e captura alimento. Pode movimentar-se utilizando os tentáculos e as ventosas ou por propulsão, expelindo água pelo funil ou sifão (estrutura tubular localizada junto à cabeça) e obtendo assim impulso.

 

Ciclo de vida e reprodução

O ciclo de vida do polvo pode durar entre 12 meses e 3 anos, aproximadamente. Após a reprodução, o macho morre. A fêmea deposita os ovos em cavidades rochosas ou conchas e, para cuidar deles, deixa de se alimentar, vindo a morrer após a eclosão.

Os machos distinguem-se das fêmeas por possuírem um tentáculo diferenciado, especializado para a cópula, denominado hectocótilo.

 

Alimentação

Os polvos são, regra geral, carnívoros, alimentando-se de crustáceos, moluscos ou peixes. Para capturar e matar as presas, o polvo utiliza os tentáculos e o seu bico quitinoso (estrutura presente na boca, em forma de bico e formado por quitina, sendo a única estrutura rígida do seu corpo).

 

Estratégias

Mestre de camuflagem, o polvo tem a capacidade de mudar a sua cor, bem como de alterar a sua textura, o que lhe permite confundir-se com o substrato. Além disso, graças à sua grande flexibilidade, o polvo consegue alojar-se em pequenos espaços (como buracos e fendas em rochas), permanecendo lá escondidos.

Tal como acontece nas lulas e nos chocos, o polvo possui uma bolsa onde é armazenado um fluido preto (vulgarmente designado ‘tinta’) que pode ser expelido de forma a despistar outros animais (por exemplo possíveis predadores), permitindo a fuga do polvo.

 

Referências bibliográficas

– CORGOSINHO, P.; BORGES, M.; NEVES, F. (2010). Zoologia de Invertebrados. Montes Claros:Editora Unimontes

– LEANDRO, P.; GIL, F.; INÁCIO, A. (2009). Guia – Aquário Vasco da Gama. Oeiras: Aquário Vasco da Gama.

– Salgado, M. Ficha do Polvo-comum. Available: http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Ambiente/Fichas-de-Especies/content/Ficha-do-Polvo-comum?bl=1.

1499 Visualizações 1 Total
1499 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.