Goodall, Jane

Apresentação da vida e obra de Jane Goodall: Nascida a 3 de Abril de 1934 em Londres, Jane Goodall é uma ativista dos direitos animais (…)

Biografia de Jane Goodall

Nascida a 3 de Abril de 1934 em Londres, Jane Goodall é uma ativista dos direitos animais, primatologista e doutorada em etologia. Tem vários livros publicados, para leitores mais jovens e para adultos.

Fascinada desde criança pelo comportamento animal, trabalhou como secretária na Universidade de Oxford, em 1956 viaja para África onde conhece Dr. Louis S.B. Leakey, um famoso antropologista e paleontologista, pelo qual foi contratada para trabalhar como sua assistente e secretária. Em 1960 chega a Gombe, Tanzânia, para estudar o comportamento de chimpanzés como parte do seu trabalho para Loius que viu nela a pessoa ideal para estudar o comportamento selvagem dos chimpanzés que na altura não era muito conhecido.

Equipada com um computador e uns binóculos conseguir ganhar a confiança dos chimpanzés e através dessa confiança descobrir novos comportamentos antes não associados a este animal, um feito que fascina até aos dias de hoje.

Contudo a sua primeira tentativa de observação próxima do grupo de animais não foi bem-sucedida não tendo conseguido chegar mais de 400 metros perto deles, no entanto Jane não desistiu e tentou novamente uma observação não ameaçadora num outro grupo, aparecendo todas as manhãs à mesma hora, os chimpanzés começaram a tolerar a sua presença e ao final de um ano permitiam a sua aproximação ao espaço de alimentação, uma grande conquista. Após dois anos em que os chimpanzés a viam todos os dias eles já não demonstravam qualquer sinal de medo e vinham ter com ela à procura de bananas, um método de alimentação diário e sistematizado que Jane criou usando a sua aceitação por parte dos animais para ganhar mais confiança e entender melhor os seus comportamentos. Jane imitava os seus comportamentos, passava tempo nas árvores e perto do local de alimentação e com este contato constante fez várias descobertas, entre elas, o complexo sistema social, a existência de comportamentos ritualizados e de métodos de comunicação, o uso do toque como forma de conforto entre indivíduos assim como o desenvolvimento de ligações familiares duradouras. Até à época acreditava-se que os chimpanzés eram vegetarianos e a construção de instrumentos era atribuída apenas ao ser humano, duas das mais importantes teorias que Jane contrariou com as suas observações de chimpanzés a comer carne e a construir instrumentos.

Em 1962 as observações de Jane foram publicadas pela “National Geographic” com fotos de Hugo Van Luwick, fotógrafo enviado pela revista para documentar o seu trabalho, os dois acabam por se casar em 1964 e têm um filho, Hugo Eric Louis Van Luwick, em 1967.

No ano de 1965 Jane recebe o seu doutoramento em etologia com a sua tese a detalhar os seus primeiros cinco anos de estudo na reserva de Gome, tornando-se uma das poucas pessoas a ser doutorada sem ter primeiro o grau de licenciatura. Durante o ano de 1973 torna-se professora honoraria convidada em Zoologia na Universidade Dar es Salaam na Tanzânia.

Separa-se de Hugo Van Luwick e em 1975 volta a casar-se com Derek Brycebon, membro do parlamento da Tanzânia e diretor dos parques naturais do país, mas cinco anos depois, em 1980, depois Derek morre diagnosticado com cancro.

Em 1965 foi fundado o Gombe Stream Reserach Center que permitia estudantes e outros participassem da observação dos animais, este centro cresceu e até hoje continua a estudar comportamentos de chimpanzés e outros animais e treina primatologistas, Jane continua a visitá-lo todos os anos e a participar de projetos de investigação apesar de já não fazer o trabalho diário de campo.

Em 1986 depois de participar em uma conferência em Chicago a respeito da publicação do seu livro The Chimpanzees of Gombe: Patterns of Behavior e focada no tratamento ético dos chimpanzés, Jane começa a dirigir os seus esforços para a educação do público sobre o ambiente perigoso dos chimpanzés selvagens e do tratamento não ético do uso dos mesmos na investigação científica.

Atualmente Jane continua envolvida na proteção de espécies, especialmente chimpanzés, e na sensibilização das pessoas para cada uma fazer a sua parte para a existência de um mundo melhor para pessoas, animais e meio ambiente.

O The Jane Goodall Institute, fundado por Jane em 1977 trabalha para a proteção dos chimpanzés do Parque Nacional de Gombe, da conservação de espécies, dos seus hábitos e correto tratamento. Tem programas de ajuda às pessoas que vivem na pobreza em África e para a sensibilização sobre a importância da conservação florestal e vida animal. Possui também um programa ambiental, Roots and Shoots, dedicado aos jovens para os ajudar a identificar os problemas das suas comunidades e encorajar a tomada de decisões que tenham em vista a sua solução.

1512 Visualizações 1 Total

References:

  • www.janegoodall.org
  • www.nationalgeographic.com/explorers/bios/jane-goodall/
  • www.biography.com/people/jane-goodall
1512 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.