Fotoperíodo

Conceito de fotoperíodo, as suas características e a forma como o fotoperíodo afeta as plantas e os animais…

Fotoperíodo

Efeito do fotoperíodo: Migração

Efeito do fotoperíodo: Migração

 

Fotoperíodo é a designação cientifica, geralmente botânica, que se refere às horas de exposição solar que os seres vivos exigem para se desenvolverem de forma adequada, assim como as reações físicas em animais e plantas que lhe estão associadas.

A duração deste período varia consoante a época do ano, assim como com a latitude, o que afeta os seres vivos de diferentes formas. O Equador é um dos poucos locais do planeta onde essas alterações não ocorrem, pois o comprimento do dia mantém-se estável durante todo o ano.

Além de descrever a duração do período de luz num determinado local, o fotoperíodo pode também indicar as adaptações e os efeitos que a luz tem sobre todos os seres vivos.

Cada ser vivo possui um fotoperíodo próprio designado por fotoperíodo crítico, acima ou abaixo do qual o individuo não se desenvolve corretamente, contribuindo para restringir a dispersão de algumas espécies. Este período crítico pode variar entre espécies ou mesmo dentro de elementos da mesma especíe que habitam em latitudes diferentes.

O fotoperíodo critico leva ao desenvolvimento de comportamentos sazonais, como a hibernação ou a alteração da coloração do pelo para auxiliar a camuflagem assim como outros comportamentos.

Nas plantas:

A floração das plantas depende da quantidade e da duração de luz que estas recebem no habitat onde se encontram. O mesmo é valido para a germinação e para a queda da folha. As plantas podem então distinguir-se em três tipos: as plantas de dia curto, as plantas de dia longo e as plantas neutras.

As plantas neutras não sofrem influência do fotoperíodo, desenvolvendo-se bem quando expostas a períodos longos ou curtos de luz. As plantas de dia longo são plantas que necessitam de uma elevada exposição solar, logo são aquelas que florescem no verão, quando os dias são longos e as noites curtas.

Enquanto as plantas de dia curto necessitam de uma fraca exposição solar para florescerem, isto é, são plantas que necessitam de um dia com curta duração e noites maiores, características que se encontram durante o inverno.

 A variação da floração não depende verdadeiramente da duração do dia, mas antes da noite. Uma planta de dia longo pode ter um período de elevada exposição solar, mas só florescerá que tiver um curto período de ausência de luz, sem esse período não ocorrerá a floração. Algo semelhante pode ser dito para espécies de dia curto, cuja floração apenas ocorre se forem expostas a um longo período de ausência de luz.

O fotoperíodo pode afetar as plantas de diferentes formas além das mencionadas anteriormente. Em muitos casos as plantas utilizam o fotoperíodo como forma de controlar a floração, assegurando que as flores surgem no mesmo período em que os polinizadores se encontram ativos, favorecendo assim a sua reprodução.

Estes conhecimentos permitem aos horticultores controlarem o período de crescimento da planta, passando estes a utilizar tecnicas que permitam a ocorrência de floração fora do período adequado à espécie.

Nos animais:

Os animais também são sensíveis à variação da quantidade de luz. Ao contrário das plantas, que são obrigadas a manter-se no mesmo local independentemente da altura do ano, os animais podem escolher deslocar-se para encontrarem melhores condições de vida.

Algumas larvas de peixe necessitam de um mínimo de exposição à luz para poderem crescer e desenvolver-se de forma correta. Os adultos necessitam de diferentes níveis de luz para continuarem o seu desenvolvimento.

Tal como verificado nas plantas, alguns animais desenvolvem-se melhor em fotoperíodos curtos, enquanto outros desenvolvem-se muito bem em fotoperíodos mais longos.

As espécies com fotoperíodo curto necessitam de um período curto de exposição solar (no inverno), já as espécies de fotoperíodo longo, desenvolvem-se durante períodos de longos dias (no verão). Estes indivíduos desenvolveram adaptações para se adaptarem melhor ao ambiente em que vivem.

A variação na intensidade de luz leva os animais a migrarem ou a prepararem-se para a estação do ano que se segue (alteração da cor do revestimento ou preparar o organismo para a hibernação…).

A reprodução é um dos comportamentos afetados pela duração da luz, muitos seres vivos aproveitam o aumento do período de luz para acasalar e dar à luz, evitando as baixas temperaturas do inverno.

A manipulação do fotoperíodo dos seres vivos permite aumentar a produção em pecuária, por exemplo, as aves de capoeira como as galinhas eram muitas vezes deixadas expostas a longos períodos de luz para que produzissem mais ovos. O crescimento de peixes em aquacultura também é influenciado pelas alterações do fotoperíodo.

3010 Visualizações 1 Total

References:

Navarro, F.K.S.P.; Navarro, R.D. (2012). Importância do fotoperíodo no crescimento e na reprodução de peixes. Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.36, n.2, p.94-99

Rebouças, Ana Clara Moura Neves; dos Santos, Débora Leonardo (2007). Influência do Fotoperíodo e Qualidade de Luz na Germinação de Sementes de Melocactus conoideus (Cactaceae). Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 2, p. 900-902

(2008). Photoperiodism. Encyclopædia Britannica, inc. Consultado em: Junho 30, 2017, em https://www.britannica.com/science/photoperiodism

3010 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.