Substâncias psicoativas

A utilização de substâncias psicoativas é um problema de saúde pública devido às alterações neurológicas e psiquiátricas causada pelo abuso de consumo.

A utilização de substâncias psicoativas é um problema de saúde pública devido às alterações neurológicas e psiquiátricas causada pelo abuso de consumo.

O grande problema das substâncias psicoativas é a dificuldade da adesão ao tratamento por parte dos doentes, principalmente no sistema de saúde pública, que faz com que o indivíduo que se encontra num cenário de toxicodependência chegue mesmo a não colocar a hipótese de tratamento (Fontanella, & Turato, 2002).

Os estudos mencionam que a dependência se torna numa realidade quando a utilização de drogas se torna abusiva e, principalmente, quando daí vêm consequências para a saúde devido às alterações neurológicas e psiquiátricas associadas, com a recorrência do uso (Sabino, & Cazenave, 2005).

Na maioria dos casos, além de o sistema de saúde pública ser bastante precário, o doente tem a dificuldade de encontrar apoio junto da sua rede, seja familiar, de amigos ou social, ou seja, encontra-se sozinho e estigmatizado (Fontanella, & Turato, 2002).

A literatura revela que a utilização do dependente é feita devido a uma necessidade de fugir de uma realidade insuportável, cuja única forma de conseguir aguentar, é ficar sob efeito de substâncias (Sabino, & Cazenave, 2005).

Existem ainda casos em que o doente não se considera dependente de substâncias psicoativas porque nem sempre as mesmas são injetadas, o que o leva a interpretar o problema como algo que não o torna numa pessoa dependente (Fontanella, & Turato, 2002).

Para além disso, alguns obstáculos associados a dificuldade em partilhar problemas, o medo de perder o emprego ou o transtorno familiar, fazem com que não haja busca e procura pelo tratamento (Fontanella, & Turato, 2002).

Conclusão

A utilização de substancias psicoativas tornou-se num problema de saúde pública devido às consequências negativas que acarreta para a saúde por meio das alterações provocadas. Estas consequências são fruto do abuso das mesmas e da dificuldade de adesão ao tratamento por parte dos doentes, muitos deles porque não têm noção de se tratar de uma doença ou por medo de assumir a mesma devido ao que isso representa a nível familiar e social.

91 Visualizações 1 Total

References:

  • Di Martino Sabino, Nathalí, de Oliveira Santos Cazenave, Sílvia, Comunidades terapêuticas como forma de tratamento para a dependência de substâncias psicoativas. Estudos de Psicologia [en linea] 2005, 22 (Abril-Junio) : [Fecha de consulta: 25 de marzo de 2019] Disponible en:<http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=395336346006> ISSN 0103-166X;
  • Fontanella, B.J.B, & Turato, E.R. (2002). Barreiras na relação clínico-paciente em dependentes de substancias psicoativas procurando tratamento. Revista de Saúde Pública 2002; 36 (4): 439-47. Disponível em https://www.scielosp.org/pdf/rsp/2002.v36n4/439-447/pt.
91 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.