Socialização parental

A socialização parental diz respeito à forma como os pais e os filhos se relacionam entre si e vai ser traduzida no comportamento futuro adotado pelos filhos.

A socialização parental diz respeito à forma como os pais e os filhos se relacionam entre si e vai ser traduzida no comportamento futuro adotado pelos filhos. Permissões e limites devidamente ajustados promovem o desenvolvimento saudável e a conduta mais adequada.

Vários estudos nos mostram, claramente, que a primeira socialização que fazemos, na maioria dos casos, é com os nossos pais, seja em situações de famílias tradicionais, seja em situações de famílias mono parentais, o que vai influenciar significativamente, valores e crenças (Moraes, Camino, Costa, Camino, & Cruz, 2007).

Assim, existem várias formas de socialização parental, sendo algumas das mais conhecidas e associadas ao comportamento e aos afetos dos filhos, o estilo autoritário, o estilo permissivo e o estilo negligente (Martinez, García, Camino, & Camino, 2011; Moraes, Camino, Costa, Camino, & Cruz, 2007).

Através de todos estes estilos, a família vai sendo o primeiro grupo social do indivíduo, onde o ambiente familiar determina a forma como este se vai portar, em ambientes menos familiar mas sociais (Moraes, Camino, Costa, Camino, & Cruz, 2007).

Estas teorias são corroboradas pelos estudos de Martinez, García, Camino e Camino (2011) que observaram a forma como a socialização parental, no quotidiano do indivíduo leva à adoção de um padrão de comportamento que se vai refletir em toda a sua forma de atuação.

Esta construção da socialização através dos ensinamentos parentais, poderá levar a comportamentos adequados ou desajustados, dependendo daquilo que aprendemos como base (Moraes, Camino, Costa, Camino, & Cruz, 2007).

O foco da socialização parental é entendido, deste modo, pelas estratégias de educação que são passadas de pais para filhos, gerindo permissões e limites e ajustando o comportamento dos mesmos ao longo do tempo (Moraes, Camino, Costa, Camino, & Cruz, 2007).

De acordo com o maior ou menor controlo dos pais sobre os filhos que vão ajudar a determinar a maturidade dos mesmos bem como os seus limites, podemos verificar se existe aceitação e apoio transmitido (Martinez, García, Camino, & Camino, 2011).

Conclusão

Os estudos mostram, claramente, a influência da socialização parental, na educação, transmissão de valores e normas e comportamento dos filhos. Pais cuja relação estabelece permissões e limites de forma mais ou menos ajustada, conseguem, geralmente, que a educação dos seus filhos seja associada a posturas sociais mais saudáveis e com maior capacidade de vínculo. Este estilo de socialização parental também promove a noção de responsabilidade que deve ser transmitida de pais para filhos.

 

8 Visualizações 1 Total

References:

  • Martínez, Isabel, García, José Fernando, Camino, Leoncio, & Camino, Cleonice Pereira dos Santos. (2011). Socialização parental: adaptação ao Brasil da escala ESPA29. Psicologia: Reflexão e Crítica, 24(4), 640-647. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722011000400003
  • Moraes, R, Camino, C.C, Costa, J.B, Camino, L, & Cruz, L. (2007). Socialização Parental e Valores: Um Estudo com Adolescentes. Psicologia: Reflexão e Crítica, 20(1), 167-177. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/%0D/prc/v20n1/a21v20n1.pdf
8 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.