Psicologia Sistémica

A psicologia sistémica é uma orientação clínica da psicologia, com fundamentos na psicologia social, que procura compreender o funcionamento da pessoa (…)

Conceito de Psicologia Sistémica

A psicologia sistémica é uma orientação clínica da psicologia, com fundamentos na psicologia social, que procura compreender o funcionamento da pessoa através das relações que esta estabelece com os sistemas onde está inserida.

Baseia-se, por isso, em modelos como a Teoria Geral dos Sistemas no enquadramento da complexidade sistémica, isto é, da teia de sistemas e subsistemas que se interrelacionam, formando um todo constituído por diferentes partes. Estas não são bastantes para a compreensão do todo, assim como o todo não pode ser compreendido na ausência do conhecimento das partes e das relações estabelecidas entre si.

A psicologia sistémica foca-se assim em diferentes sistemas, tais como o sistema familiar ou o sistema constituído pela comunidade. Neste âmbito surgem então diferentes áreas de estudo, designadamente a psicologia da família e a psicologia comunitária.

Áreas de estudo da Psicologia Sistémica

A psicologia da família foca-se na compreensão do funcionamento da família enquanto sistema e dos seus subsistemas, nomeadamente o subsistema conjugal, o subsistema parental e o subsistema filial. O interesse deste vetor inclui o desenvolvimento familiar, desde a formação do casal ao envelhecimento do mesmo e saída dos filhos, numa abordagem dos movimentos ditos normativos, mas também de outros como a experiência de infertilidade, de divórcio, os processos de adoção e integração, a vivência de doença crónica ou morte e adaptação do sistema.

É no âmbito da psicologia da família e do casal que a terapia conjugal e familiar tem lugar, nomeadamente na exploração e compreensão de padrões de relação e de comunicação, que podem ser melhor entendidos através dos axiomas da comunicação humana.

A psicologia comunitária, por sua vez, debruça-se sobre a comunidade, os grupos e organizações da mesma, no sentido de contribuir para o envolvimento e integração dos seus membros. Neste sentido o propósito deste vetor é o acompanhamento mais próximo de populações desfavorecidas ou em situações de vulnerabilidade económica ou social, decorrentes de pobreza, exclusão social ou violência doméstica. A estes associam-se ainda outros exemplos da intervenção comunitária, tais como situações de toxicodependência, alcoolismo e reclusão.

O objetivo da psicologia comunitária é fundamentalmente a prevenção ativa das perturbações mentais ou problemáticas psicossociais, proporcionando recursos que visam o desenvolvimento, a integração e a mudança social, sempre que necessária, em prol do bem-estar das pessoas.

Palavras-chave: Psicologia sistémica; teoria geral dos sistemas; axiomas da comunicação humana; modelo de desenvolvimento familiar

10033 Visualizações 1 Total

References:

  • Ornelas, J. (1997). Psicologia Comunitária. Origens, fundamentos e áreas de intervenção. Análise Psicológica, 3(XV): 375-388.
  • Sampaio, D. (1984). Terapia familiar sistémica: Um novo conceito, uma nova prática. Acta médica portuguesa, 5: 67-70.
10033 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.