Promoção da saúde

A promoção da saúde visa uma sensação de bem-estar pleno, mediante condições oferecidas ao indivíduo e monitorização do seu comportamento.

A promoção da saúde visa uma sensação de bem-estar pleno, mediante condições oferecidas ao indivíduo e monitorização do seu comportamento.

De acordo com alguns estudos é necessário compreender aquilo que entendemos como promoção da saúde, a qual abrange um vasto leque de questões tais como o trabalho, a família, a renda, a alimentação e até mesmo os meios de lazer disponíveis (Santos, Quintanilha, & Dabello-Araujo, 2010).

Autores como Reis (2006) consideram que a capacidade de promover a saúde está, não só nas mãos dos profissionais como mesmo nas mãos do indivíduo, no sentido de gerir a sua vida tomando decisões que vão em busca da obtenção de melhores condições de saúde, o que por sua vez, inclui re-educação em vários aspetos como alimentação, atividade física, condições de trabalho e ambientes físico e social.

Do ponto de vista coletivo, só é possível que a promoção da saúde se torne uma realidade, se todas estas necessidades forem devidamente supridas (Santos, Quintanilha, & Dabello-Araujo, 2010).

Reis (2006) considera que a promoção da saúde, em termos interventivos, pretende ajudar as pessoas a mudar o seu estilo de vida, de modo a equilibrar todos os setores, o que abarca os lados físico, emocional, psíquico e intelectual, através da monitorização do comportamento.

Um dos meios que servem como alavanca para tornar a mesma numa realidade está direcionado para inclusão de universalidade de direitos à saúde para toda a população, aliada à prevenção de doenças (Santos, Quintanilha, & Dabello-Araujo, 2010).

Esta estratégia só é possível se houver combate à desigualdade na resposta às necessidades de saúde de todos (Santos, Quintanilha, & Dabello-Araujo, 2010).

Vários são os estudos em que diferentes autores mencionam algumas das diretrizes associadas à promoção da saúde, entre as quais se verificam “… qualidade de vida e reduzir vulnerabilidades e riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes – modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços essenciais (Brasil, 2006, p.19, cit in Santos, Quintanilha, & Dabello-Araujo, 2010).

De acordo com os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) a promoção da saúde visa que o indivíduo consiga chegar a um bem-estar pleno, tanto físico como emocional, mental ou social, não apenas restrito à ausência de doença (Reis, 2006).

Conclusão

Segundo os dados da literatura podemos compreender a promoção da saúde como uma busca constante e contínua pelo bem-estar a todos os níveis, que depende, não só dos profissionais mas também dos indivíduos, desde que haja condições para o fazer, quer seja na resposta às suas necessidades, quer seja na disponibilidade de acesso à saúde para todos sem presença de desigualdades. É importante ainda, tal como anteriormente mencionado, que o indivíduo esteja plenamente envolvido no processo, através dos seus comportamentos, principalmente no que concerne aos hábitos alimentares e aos hábitos de exercício físico.

283 Visualizações 1 Total

References:

  • Reis, A. (2006). O que é, afinal, a Promoção da Saúde? [em linha] PT O PORTAL DOS PSICÓLOGOS. Recuperado em 8 de outubro de 2018 de http://www.psicologia.pt/artigos/ver_opiniao.php?codigo=AOP0254
  • Santos, Keli Lopes, Quintanilha, Bruna Ceruti, & Dalbello-Araujo, Maristela. (2010). A atuação do psicólogo na promoção da saúde. Psicologia: teoria e prática, 12(1), 181-196. Recuperado em 08 de outubro de 2018, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872010000100015&lng=pt&tlng=pt.
283 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.