Perturbação do Espetro do Autismo

A Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) é uma designação que integra diversas perturbações do desenvolvimento cerebral e neurológico, que afectam o desenvolvimento do cérebro, as ligações entre os neurónios (sinapses), e que resultam em alterações cognitivas e comportamentais.

Conceito de Perturbação do Espetro do Autismo

A Perturbação do Espetro do Autismo (PEA) é uma designação que integra diversas perturbações do desenvolvimento cerebral e neurológico, que afectam o desenvolvimento do cérebro, as ligações entre os neurónios (sinapses), e que resultam em alterações cognitivas e comportamentais. Estas alterações podem ocorrer com maior ou menor grau de severidade sendo que, cada indivíduo afectado situa-se numa região de um espectro de que vai desde os indivíduos com maiores condicionamentos cognitivos a indivíduos de alto funcionamento intelectual. Recentemente, os indivíduos com síndrome de Asperger foram colocados no espectro do autismo, sendo estes os pacientes com o mais elevado grau de funcionamento intelectual e cognitivo. Não apresentam dificuldades ao nível da linguagem, e apresentam um grau de inteligência acima da média em determinadas áreas do conhecimento. A PEA inclui, assim,  o síndrome de Aperger, o Autismo clássico, e outras  perturbação globais do desenvolvimento.

Autism

As manifestações iniciam-se normalmente na infância, até aos 3 anos de idade e apresentam, de um modo geral, algum grau de disfuncionalidade na vida quotidiana. Os sintomas são mais evidentes quando as crianças passam a estar expostas a maiores exigências sociais e adaptativas (ex. entrada para a pré-escola) e ocorrem ao longo da vida. A severidade, bem como os sinais e sintomas assumem alguma variabilidade consoante cada uma das perturbações que integram a designação de PEA.

Essencialmente, as duas características nucleares da PEA são a presença de padrões de interesses restritos e de comportamentos repetitivos, e a dificuldade em estabelecer comunicação interpessoal. As dificuldades na comunicação e relacionamento interpessoal, manifestam-se nos vários contextos de vida da criança, sendo estas:

  • Ausência de iniciativa e/ou dificuldade em manter uma interação social, devido à dificuldade de reconhecimento das emoções do próprio e dos outros;
  • Dificuldades na comunicação não-verbal pela dificuldade na expressão emocional e o reconhecimento desta nos outros (e.g. contacto visual; expressões faciais; postura corporal);
  • Dificuldades na manutenção de relações interpessoais com os pares, pela reduzida partilha de interesses e brincadeiras.

Os padrões de comportamento e as atividades limitadas ou repetitivas incluem:

  • Linguagem e movimentos motores estereotipados ou repetitivos (e.g. ecolália – repetição de frases ou palavras ouvidas; movimentos repetidos como balançar-se; uso repetitivo de objetos);
  • Rituais e rotinas rígidas que se expressam em reação adversa face a mudanças;
  • Interesses restritos (e.g. brincar sempre com o mesmo brinquedo e/ou da mesma maneira);
  • Reatividade desproporcional (hipo ou hiper) a estímulos sensoriais (e.g. ausência de reação à dor, temperatura, respostas adversas a determinados estímulos como sons, ritualização do ato de cheirar ou tocar objetos).

Palavras-chave: Perturbação do espetro do autismo; autismo; asperger; competências socioemocionais

1115 Visualizações 1 Total

References:

Frick, P.J., Barry, C., & Kamphaus, R.W. (2005). Clinical Assessment of Child and Adolescent personality and behavior. New York: Springer.

1115 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.