Desigualdades na educação

As desigualdades na educação dizem respeito à evidente diferença de acesso à progressão académica existente entre as diferentes realidades.

As desigualdades na educação dizem respeito à evidente diferença de acesso à progressão académica existente entre as diferentes realidades.

Alguns autores entendem a necessidade de referir as desigualdades na educação devido ao acesso ao sistema educativo existente em diversas realidades que não é o mesmo para todos os indivíduos (Guzzo, & Filho, 2005).

No caso português e no caso espanhol, por exemplo, à medida em que se verificam cada vez mais avanços no que concerne à qualificação académica, também se verifica que cada vez mais existem profundas desigualdades devido ao fracasso e à exclusão a que muitos alunos estão expostos (Abrantes, 2009).

Em grande parte dos casos verifica-se que o acesso ao ensino privado é a única forma de os indivíduos conseguirem progredir no ramo académico, uma vez que, a realidade do sistema educativo público, nem sempre traz as condições necessárias para que os alunos consigam progredir, o que, por sua vez, pode fazer com que o acesso a uma rede mais alargada de vagas no local de trabalho fique extremamente limitada (Guzzo, & Filho, 2005).

Países como o Brasil, encontram estas desigualdades educativas são bastante evidentes no sentido em que só alunos cujas famílias têm condições para os matricular em instituições privadas, têm, posteriormente, acesso ao ensino superior para conseguir progredir nas suas carreiras (Guzzo, & Filho, 2005).

Na realidade portuguesa, o que se observa, principalmente nas fases de transição entre ciclos do ensino básico, é a individualização e a exclusão social uma vez que, nestes momentos de transição, se alguns alunos realmente conseguem encontrar o seu caminho, outros há que acabam por se perder na totalidade, enveredando pelo insucesso e consequente abandono escolar (Abrantes,2009).

Conclusão

Verifica-se que as desigualdades na educação são pautadas por diferentes motivos, sejam eles individuais sejam eles sociais. Isto acontece porque, se alguns não têm meios sócio-económicos para conseguir garantir uma educação de qualidade, outros há cuja realidade do sistema educativo não se adequa aos seus objetivos e necessidades. Estas questões levam-nos a acreditar que o trabalho a fazer no ramo da educação ainda é bastante vasto.

  • Abrantes, Pedro. (2009). Perder-se e encontrar-se à entrada da escola: Transições e desigualdades na educação básica. Sociologia, Problemas e Práticas, (60), 33-52. Recuperado em 12 de feveiro de 2019, de http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-65292009000200003&lng=pt&tlng=pt.
  • Guzzo, Raquel Souza Lobo, & Euzébios Filho, Antonio. (2005). Desigualdade social e sistema educacional brasileiro: a urgência da educação emancipadora. Escritos sobre Educação, 4(2), 39-48. Recuperado em 12 de feveiro de 2019, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-98432005000200005&lng=pt&tlng=pt.
220 Visualizações 1 Total
220 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.