Abuso de substâncias psicoativas

O abuso de substâncias psicoativas acontece devido à busca de prazer e alívio, ao mesmo tempo que, devido às suas características resulta em comportamentos desajustados e vários tipos de psicopatologia.

O abuso de substâncias psicoativas acontece devido à busca de prazer e alívio, ao mesmo tempo que, devido às suas características resulta em comportamentos desajustados e vários tipos de psicopatologia.

Segundo os estudos realizados por Martins, Stephanus. e Scheffer (2013) entende-se por substâncias psicoativas, vários tipos de droga como o álcool, quando consumido em excesso, a cocaína  e outras drogas ilícitas.

Isto acontece porque as substâncias psicoativas estão associadas à sensação de prazer e ao mesmo tempo com a busca pelo fim da angústia, o que também mexe com o comportamento do indivíduo (Migott, 2007).

Por esta teoria, Freud já dizia que o abuso de substâncias psicoativas acontece devido à busca da felicidade e ao mesmo tempo de uma forma de amortecer problemas, o que, devido à dependência causada, gera sintomas de patologia (Migott, 2007).

Grande parte dos problemas que levam o indivíduo ao consumo e abuso deste tipo de substância, estão também relacionados com o aumento da taxa de tentativa de suicídio bem como com alterações desajustadas de comportamento (Martins, Stephanus, & Scheffer, 2013).

Não podemos colocar todos os indivíduos no mesmo cenário, uma vez que a utilização de substâncias depende de indivíduo para indivíduo já que nem todos usam ou nem todos têm os mesmos recursos para lidar com os problemas (Migott, 2007).

Alguns dos maiores índices da tendência para o abuso de substâncias psicoativas, prendem-se com questões variadas como violência, corrupção, instabilidade política, crime, dinheiro, entre outros (Migott, 2007).

Parece, contudo, comum a todos os estudos, um padrão semelhante de objetivos que levam a este tipo de abuso como a alegria, a diversão, o alivio. Contudo, o mesmo tipo de substância que provoca estas sensações, também produz sofrimento, dor e desagregação (Migott, 2007).

É ainda notório como podemos ver a incidência de situações de desaprovação social, dificuldades de interação, deterioração dos laços sociais, perturbações do foro psiquiátrico, tais como a depressão, entre outros tipos de problemáticas que aumentam exponencialmente a tendência para o abuso de substâncias psicoativas (Martins, Stephanus, & Scheffer, 2013).

Conclusão

O consumo de substâncias psicoativas está, invariavelmente, associado à busca da sensação de alívio, felicidade e euforia, contudo, mais tarde, é também associado ao sofrimento e à dor, devido a quadros clínicos de depressão, tendências suicidas e de patologia social.

A maioria dos indivíduos que enveredam por este tipo de consumo, apresenta ainda problemas de comportamento devido aos efeitos secundários causados pelas drogas, que levam a desajustes em todos os níveis como o familiar e o social.

41 Visualizações 1 Total

References:

  • Martins de Almeida, Rosa Maria; Stephanus Flores, Antoniéle Carla; Scheffer, Morgana. Ideação Suiida, Resolução de Problemas, Expressão de Raiva e Impulsividade em Dependentes de Substâncias Psicoativas. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26 (1), 1-9. Disponível em https://www.redalyc.org/pdf/188/18826165004.pdf
  • Migott, A.M.B. (2007). DEPENDÊNCIA QUÍMICA: PROBLEMA BIOLÓGICO, PSICOLÓGICO OU SOCIAL. São Paulo: Paulus; 2007. 84 pp. (Coleção Questões Fundamentais da Saúde, 12).
41 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.