Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Produto Turístico

Este artigo tem como objetivo explicar o conceito de Produto Turístico. Apresentamos então a definição e as principais caraterísticas de um Produto Turístico.

Conceito de Produto Turístico

Antes de partirmos para a definição do conceito de produto turístico importa esclarecer que um produto define-se como algo que pode ser oferecido no mercado para aquisição e/ou consumo, o que inclui objetos físicos, serviços, lugares e organizações.

Um produto de uma atividade económica transporta consigo caraterísticas intrínsecas, ou seja, compõe-se por duas partes inseparáveis: a parte tangível (constituída pelo produto em si, tal como é definido pelos produtores) e a parte intangível (perceção e/ou as expectativas que os consumidores têm do produto). Engloba também atributos que podem ser divididos em três categorias: valor do produto (fórmula do produto, ou seja, a descrição técnica das suas componentes materiais), o produto visível (as características observáveis pelos consumidores quando o estão a consumir) e o valor adicional (inclui tudo aquilo que pode torná-lo mais interessante e apelativo para o público, isto é, marca, atenção personalizada, qualidade, entre outras).

Tradicionalmente, a designação de produto era destinada aos bens físicos; no presente, a designação de produto desligado de conteúdo físico, generalizou-se a todos os setores de atividade económica, inclusive nas áreas de produção intangível, como o caso, por exemplo, da atividade Bancária ou do Turismo. O produto turístico é assim uma mistura de tudo quanto uma pessoa pode consumir, utilizar, experimentar, observar e apreciar durante uma viagem ou estada.

O produto turístico é uma combinação de elementos materiais e imateriais de um território direcionados para uma atividade própria; engloba o património, as atrações, os equipamentos, as infraestruturas e a acessibilidade ao destino turístico, dos quais o consumidor (turista) compra uma combinação de atividades, com por exemplo, o produto “Neve” é constituído por neve, estabelecimentos hoteleiros, transporte, animação, restaurantes, informação e organização da viagem, estabelecimentos comerciais e serviços diversos.

O produto turístico decorre do conjunto de bens e serviços unidos por relações de interação e interdependência, que o tornam complexo, ou seja, numa ótica funcional o produto turístico compreende entidades com responsabilidades na gestão dos recursos públicos (praias, florestas, museus, monumentos, castelos), empresas turísticas (hotéis, transportes, agências de viagens, restaurantes, operadores turísticos), entidades com responsabilidades na gestão das infraestruturas (estradas, aeroportos, serviços de saneamento, serviços de limpeza) e empresas complementares (parques temáticos, cinemas, casinos, instalações desportivas e/ou culturais). Exposto isto, o conjunto de bens e serviços organizados pelo setor público e setor privado podem ser adquiridos pelo consumidor por um valor estabelecido num lugar concreto e num determinado momento.

O produto turístico tendo em conta as suas especificidades apresenta determinadas caraterísticas, nomeadamente: é estático, os turistas é que vão ao seu encontro; é intangível, não pode ser testado antes do consumo; é abstrato, só fica a memória depois do consumo; apresenta uma relação de inseparabilidade, obriga à presença do turista e é condicionado por este; é perecível, não pode ser armazenado; apresenta um grau alto de variabilidade, o mesmo produto é diferente de quem e onde se oferece o mesmo; é diversificado, engloba vários subprodutos ou serviços, que podem ser substituídos entre si; apresenta uma complementaridade entre as componentes, ou seja, a qualidade é avaliada globalmente; é pouco elástico, na medida em que é pouco adaptável às modificações na procura.

A criação e promoção de um produto turístico corresponde ao reconhecimento da existência de grupos de consumidores com motivações próprias, que se deslocam por razões idênticas, possuindo desejos similares, ou seja, há o reconhecimento da existência de segmentos de mercado diferenciados, tendo o marketing contribuído para esta abordagem que acabou por promover a formação de produtos turísticos pela combinação das diversas componentes da oferta.

Para cada segmento de mercado corresponde um ou mais produtos turísticos definidos tendo em conta as condições específicas de cada território, ou seja, não existem produtos turísticos universais, porque cada território possui características diferentes que influenciam diretamente o mesmo. Existem produtos turísticos comuns em vários territórios, pois as condições de cada território introduzem diferenciações que podem satisfazer melhor ou pior as preferências dos consumidores (turistas).

3778 Visualizações 5 Total

References:

  • Cooper, C. (2007). Turismo – princípios e práticas, Bookman, pp. 1-784.
  • Cunha, L. (2006). Economia e política do turismo, Ed. Verbo, pp. 1-448.
  • Seaton, A. V. (1996). The marketing of tourism products: concepts, issues and cases, International Thomson Business Press, pp. 1-562.
3778 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter