Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Tomar (Portugal)

Apresentação da cidade de Tomar e do seu concelho: caracterização sócio-económica, histórica, heráldica, património histórico, edificado e património natural.

Tomar é uma cidade portuguesa e sede de município no Distrito de Santarém, integrada na Região do Centro e na sub-região do Médio Tejo. O concelho conta com 351,2 Km2 de área e 40.677 habitantes segundo o Censos de 2011 enquanto na cidade habitam 15065 pessoas. O concelho de Tomar é composto por 11 freguesias: Além da Ribeira e Pedreira, Asseiceira, Carregueiros, Casais e Alviobeira, Madalena e Beselga, Olalhas, Paialvo, São Pedro de Tomar, Sabacheira, Serra e Junceira e União das Freguesias de São João Baptista e Santa Maria dos Olivais. Como concelhos limítrofes tem Ferreira do Zêzere, Abrantes, Vila Nova da Barquinha, Torres Novas e Ourém.

 

convento_cristo_g

Castelo Templário e Convento de Cristo

História da Cidade:

Tomar foi fundada por D. Gualdim Pais em 1160. Foi sede das Ordens Militares do Templo e de Cristo. E deve grande parte do seu crescimento ao Infante D. Henrique. A sedentarização da população neste território deveu-se ao excelente clima, à água abundante, ao solos férteis e à fácil comunicação fluvial. Dos vários povos que habitaram este território restam ainda hoje utensílios (moedas, esculturas, rodas de rega, por exemplo), grutas, antas, povoados e a toponímia. Aos romanos se deve a fundação da cidade de Sellium, cuja planta ortogonal determinava a organização urbanística das cidades romanas. Restam dela ruínas do Forum de Sellium, que se situam na actual Alameda 1 de Março. O século VII é marcado pela construção de conventos de freiras e frades, e data dessa época o episódio visigótico e lendário do martírio de Santa Iria. Do período árabe, pouco se sabe. “Thomar” nasce com a construção do castelo (1160), cuja construção foi ordenada pela Ordem dos Templários. Com a permanência do Infante D. Henrique como Administrador da Ordem de Cristo, no século XIV, a Vila beneficiou de grande desenvolvimento. Em 1510, D. Manuel I concede Foral Novo e foi durante este século que vários arquitectos e pintores  – Domingos Vieira Serrão, João de Castilho, Olivier de Gand, Fernando Muñoz, Diogo de Arruda, Gregório Lopes, João de Ruão e Diogo de Torralva – tornaram Tomar um importante centro artístico. Durante o período Filipino, os reis espanhóis investem em Tomar. Fizeram-se obras no Claustro principal do Convento e no Aqueduto dos Pegões, assim como foi criada a, ainda hoje existente, Feira de Santa Iria. Entre o século XVII e finais do século XIX, Tomar crescerá bastante a nível industrial. Tomar é elevada à categoria de cidade em 1844, na sequência da visita da rainha D. Maria II. Foi durante o século XIX que Tomar viu abrir a “Typographia & Photographia”, que recebeu o cinema, no Teatro Nabantino, que edita o semanário “A Emancipação”, dirigido por Angelina Vidal, e que receberá a energia eléctrica. O nome de Manuel Mendes Godinho foi incontornável no crescimento económico de Tomar  no século XX. O mesmo criou um núcleo industrial de grande importância que possibilitou a criação de uma Casa Bancária. Nos anos 50, foi inaugurada a Barragem do Castelo do Bode, e foi renovada, por João dos Santos Simões, a Festa dos Tabuleiros. Em 1983, o conjunto Castelo Templário – Convento de Cristo é reconhecido pela UNESCO como Património Mundial.

1 a muralha pegoes

Muralha de Pegões

Património Edificado e Natural:

A riqueza do Concelho de Tomar ao nível do Património é vastíssima. No que respeita ao edificado, o Convento de Cristo e as Muralhas do Castelo de Tomar em seu redor são um marco importante da cidade e do concelho. Outro monumento imponente é o Aqueduto de Pegões que servira para levar água, precisamente, ao Convento de Cristo. A nível religioso dá-se relevo à Igreja de São João Baptista, à Igreja de Santa Maria dos Olivais, a Sinagoga de Tomar e a Ermida de Nossa Senhora da Conceição. No que toca ao Património Natural, no interior da cidade de Tomar passa o Rio Nabão, a existência da Mata dos Sete Montes e a Anta do Vale da Laje, o mais antigo monumento megalítico funerário a Norte do Tejo.

Brasão da Cidade:

brasão de tomarTomar tem no seu Brasão um Escudo de ouro com uma torre torreada de negro, aberta e iluminada de prata, acompanhada em chefe da Cruz dos Templários e da Cruz de Cristo, e a mesma torre assente num monte de verde cortado por um rio ondeado de prata aguado de azul. Coroa mural de prata de cinco torres e Listel branco com a legenda a negro: TOMAR

Acordos de Geminação e Cooperação:

Tomar tem acordos de Geminação e Cooperação com duas localidades estrangeiras, a saber:

  • Hadera, cidade israelita com cerca de 75.000 habitantes (desde 28 de Junho de 1983)
  • Vincennes, é uma comuna dos arredores de Paris, em França, com cerca de 50.000 pessoas (desde 20 de Outubro de 1998)
403 Visualizações 1 Total
403 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.