Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Cartaxo (Portugal)

Apresentação da cidade do Cartaxo e do seu concelho: caracterização sócio-económica, histórica, heráldica, património histórico, edificado e património natural.

O Cartaxo é uma cidade portuguesa e sede de concelho no Distrito de Santarém, integrando-se na região do Alentejo e na sub-região da Lezíria do Tejo. Segundo o Censos de 2011, o concelho do Cartaxo ocupa uma área de 160 km2 e tem 24 462 habitantes. Depois da reorganização administrativa, o concelho é constituído por seis freguesias: União de Freguesias do Cartaxo e Vale da Pinta, União de Freguesias de Ereira e Lapa, Pontével, Valada, Vale da Pedra e Vila Chã de Ourique. O concelho é limitado por Santarém, Almeirim, Salvaterra de Magos e Azambuja. A cidade do Cartaxo tem 11.256 habitantes, segundo o último Censos realizado.

cartaxo_img01

História da cidade:

Segundo reza a lenda e a tradição, o nome “cartaxo” foi atribuído pela Rainha Santa Isabel a este território pois numa viagem até ao Mosteiro de Almoster, terá ali parado para repousar e terá ficado surpreendida com o bonito chilreio de um pássaro até então desconhecido. Questionou a uns camponeses que se dirigiam para os campos que canto era aquele e os mesmos responderam-lhe que era produzido por um pássaro chamado “cartaxo” ou “cartaxinho”. A partir daí, o território passou a ser a designação de “Lugar do Cartaxo”. O território do Cartaxo, ao longo da história,  sempre foi um ponto importante de passagem para o interior do país, quer por via fluvial quer por via terrestre. Antes da ocupação romana, já outras civilizações tinham ocupado a região em castros situados em Vila Nova de São Pedro, Vale do Tejo e nas regiões de Muge. O Cartaxo, devido à sua proximidade com Santarém, foi uma das várias povoações a ser disputada entre os mouros e os cristãos hispano-godos, chegando a ficar após as lutas da Reconquista bastante arruinado. Na sequência disso, D. Sancho II, achou que seria necessário repovoar a localidade, visto que a mesma possuía uma localização privilegiada e terrenos bastante fertéis. Concedeu este território a Pedro Pacheco, ficando o mesmo encarregue de construir ali uma albergaria para os pobres. Contudo, nunca foi construída nem por Pedro Pacheco nem pelos seus descendentes. O Foral, outorgado em Leiria pelo rei D. Dinis foi concedido em 1312. Outros acontecimentos marcaram a história do concelho, como por exemplo, a Batalha de Ourique, que está provavelmente ligada a Vila Chã de Ourique (1139), a concessão de forais a Pontével pelo rei D. Sancho I (1194) e ainda a existência de Paços Reais em Valada (1361-1365). O Cartaxo recebe honras de vila em 1656. No século XIX, o Cartaxo torna-se o centro de produção vitivinícola mais característico do Vale do Tejo. O Cartaxo é elevado a cidade em 1995.

camara-municipal-cartaxo

Património Edificado e Natural da Cidade e Concelho:

Sendo o Cartaxo denominada a Capital do Vinho, a primeira referência do Património Edificado da cidade é para o Museu Rural e do Vinho, onde se fazem visitas guiadas a documentos e utensílios utilizados na Agricultura e a provas e vendas de vinho. Referências, também, para a Igreja Matriz de São João Baptista e à Capela do Senhor dos Passos. No restante concelho, existem outros pontos de elevado interesse patrimonial, como a Igreja de Nossa Senhora da Purificação de Pontével, a Aldeia de Palhota, em Valada, o Palácio dos Chavões, em Vila Chã de Ourique, o Poço de São Bartolomeu, em Vale da Pinta.  No que respeita ao Património Natural, Cartaxo é rico em Quintas de carácter vinícola e tauromáquico como as Quintas do Gaio de Baixo e a do Gaio de Cima, Quinta das Malhadas, Quinta da Broeira e Quinta da Marchanta.

Brasão da Cidade:

Brasão

Brasão

Cartaxo conta no seu Brasão com Escudo de ouro, com uma rosa vermelha ao centro, acompanhada por duas quinas de Portugal antigo, passando entre a rosa e as quinas duas hastes de videira em negro. Os esmaltes dos quatro cachos de uvas são de prata e de púrpura e são representativos da riqueza local. A rosa no centro simboliza a existência e a acção da Rainha Santa Isabel, enquanto as quinas antigas referem-se ao Rei D. Dinis, o Lavrador. O esmalte vermelho da rosa significa em heráldica vitória, energia, força e vida. O negro das hastes da videira simboliza a terra e significa firmeza e honestidade. O verde do folhado significa esperança e fé. A prata dos cachos significa humildade e riqueza, enquanto a púrpura dos outros dois cachos significa opulência e abundância.

Acordos de Geminação e Cooperação:

  • Bento Gonçalves, município brasileiro do Estado do Rio Grande do Sul com cerca de 114.000 habitantes (desde 30 de Agosto de 2012)
  • Brava, concelho de Cabo Verde na Ilha com o mesmo nome e quase com 6000 pessoas  (desde 23 de Julho de 1994)
  • Penglai, cidade vinícola da China com cerca de 447.000 habitantes (desde 21 de Setembro de 2010)
  • Pucioasa, cidade romena com 15.628 habitantes localizada no distrito de Dambovita (desde 9 de Maio de 1998)
  • Slupsk, cidade polaca da região da Pomerânia com quase 100.000 pessoas (desde 25 de Setembro de 2007)
449 Visualizações 2 Total
449 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.